Início Cotidiano Parque Estadual do Juquery ainda tem focos de incêndio. Metade da área...

Parque Estadual do Juquery ainda tem focos de incêndio. Metade da área foi atingida.

Tempo de Leitura: 3 minutos

.

da Redação DiárioZonaNorte

  • 60% da área foi atingida
  • Acidente foi causado por balões

O Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo ainda trabalha, na tarde desta 2ª feira (23/08/2021), no combate a dois focos de incêndio no Parque Estadual do Juquery,  em Franco da Rocha, na Grande São Paulo.

O incêndio já dura 33 horas foi causado pela queda de balões, na manhã do domingo (22/08/2021) e já consumiu 80% da mata de cerrado do local, o que representa 1.200 hectares. O vento forte, a vegetação seca e o calor contribuíram para que os focos se espalhassem rapidamente.

Cerca de 50 pessoas seguem na operação de rescaldo, entre profissionais do Corpo de Bombeiros, do  helicóptero Águia 4 e da Defesa Civil da Prefeitura de Franco da Rocha, além de brigadistas de incêndio voluntários.

Última região de cerrado da região metropolitana de São Paulo, o  Parque Estadual do Juquery, ocupa uma extensão de dois mil hectares.  Moradores da zona norte de São Paulo, relatam a “chuva de cinzas” na região durante todo o dia de domingo.

Prisão de baloeiros

Na noite de ontem (22/08/2021), a Guarda Civil Municipal de Franco da Rocha conduziu até a delegacia 6 suspeitos de soltarem balões.

Um dos detidos assumiu toda a responsabilidade pelo material apreendido e foi liberado após pagamento de fiança de R$ 3 mil. Não há informações se o grupo tem relação com o balão que caiu no parque.

O incêndio não chegou a atingir o Parque Estadual da Cantareira – reserva de Mata Atlântica Nativa do Estado de São Paulo

Sobre o Parque do Juquery

O Parque Estadual do Juquery, localizado entre os municípios de Caieiras e Franco da Rocha, foi criado em 1993, surgindo da necessidade de conservação de importantes remanescentes de cerrado existente na antiga Fazenda Juquery, bem como preservar as áreas de mananciais do Sistema Cantareira.

O local, administrado pela Fundação Florestal do Estado de São Paulo, recebe esse nome devido à ocorrência de uma planta que os indígenas encontravam em abundância às margens dos rios: a Yu-Kery, da qual extraíam sal para temperar alimentos.  O parque tem como símbolo a Seriema, ave típica do cerrado.

O principal atrativo da unidade é o Ovo do Pato, elevação que impressiona com seus 942 metros de altitude, de onde pode-se avistar outras áreas protegidas que formam um grande corredor ecológico.

Ao visitar a Unidade de Conservação (UC)  é possível realizar todas as trilhas abertas ao público, em um único dia: Árvore Solitária, dos Lagos, do Rio Juquery, do Ovo do Pato e MTB.

Antes do incêndio, na unidade foram registradas espécies da fauna e da flora como cachorros-do-mato, veados-campeiros, jaguatiricas, frutas-do-lobo, angicos, copaíbas, cambarás.

<com apoio de informações: Imprensa/Prefeitura Municipal de Franco da Rocha>