Tempo de Leitura: 3 minutos

.

  • A praça está na jurisdição da Subprefeitura de Santana/Tucuruvi/Mandaqui
  • Monitores darão apoio ao lazer e bem estar dos usuários da praça

Prefeitura Municipal de São Paulo, por meio da Secretaria de Urbanismo e Licenciamento e da SP Urbanismo, informa que está previsto um conjunto de ações para melhoria da Praça Nossa Senhora dos Prazeres, com implantação de novos mobiliários urbanos, como cadeiras de praia, mesas, guarda-sóis, peças de xadrez gigante, equipamentos de ginástica, entre outros, para o conforto, lazer e bem-estar da população local.

Também serão instalados novos pontos de iluminação e a rede de iluminação pública existente será modernizada com a substituição por lâmpadas de LED. A tecnologia vai reduzir o número de manutenções, promover a distribuição de luz mais uniforme e valorizar o espaço.

Haverá também solicitação de reforço no serviço de zeladoria como poda e limpeza urbana. Porém, não haverá remoção de árvores. A licitação para contratação desses serviços está em andamento.

Todo esse conjunto de ações faz parte do escopo do programa Centro Aberto, que busca transformar e ampliar o uso de espaços públicos subutilizados através de intervenções de pequena escala, favorecendo a apropriação pelos moradores locais e melhorando a qualidade de vida nesses espaços.

A operação local se dará com a presença de monitores, que são responsáveis por disponibilizar, zelar e guardar o mobiliário urbano contratado. Serão estabelecidos horários de funcionamento para a operação, a serem definidos pela licitação que está em andamento.

Quando o turno de trabalho da operação se encerrar, o mobiliário será recolhido e guardado na base de apoio que fica fechada até sua reabertura. O espaço será de uso público com livre acesso à população.

Em outros lugares

As unidades do Largo de São Francisco e Praça Ouvidor Pacheco e Silva e do Largo do Paissandu e Avenida São João foram as primeiras unidades implantadas.

Após seis meses de uso e concluída a fase de testes e análises, já haviam sido aprovadas e incorporadas pela população. Após um ano das duas primeiras unidades, mais três foram desenvolvidas no centro da cidade, sendo Largo São BentoRua Galvão Bueno Largo General Osório.

 

A partir do resultado das análises, consolidou-se a pertinência desta forma de intervenção, que permite o diálogo público, o envolvimento da comunidade e atrai usuários e potenciais usuários para se engajar no processo de mudança da cidade com relação às suas próprias necessidades e demandas.

Nesse sentido, com o objetivo de garantir conforto, segurança e atividades também à população mais afastada do Centro, o Município expandiu os horizontes do Programa ao selecionar doze novos locais para receber unidades até 2020.

Em setembro, os três primeiros Centros Abertos foram abertos à população: Praça Padre Bento (Mooca), Praça Oito de Setembro (Penha) e Largo Cine Clipper (Freguesia – Brasilândia). Em outubro foi a vez de outros três serem implantados: Rua Gregório Ramalho (Itaquera), Praça Ministro Costa Manso (Sé) e Terminal Amaral Gurgel (Sé).

Container para guarda de material, que ficará na praça.

Saiba mais acessando um caderno completo sobre o Projeto Centro Aberto com imagens e orientações  – clique aqui

<<Com apoio de informações/fonte Secretaria Especial de Comunicação – Secom/PMSP>>

 

d