Início Destaque Tudo certo, nada resolvido: Vila Maria Baixa não receberá um albergue. ...

Tudo certo, nada resolvido: Vila Maria Baixa não receberá um albergue. Serão três

três
Tempo de Leitura: 4 minutos
três
da Redação DiárioZonaNorte
  • Vila Maria terá até setembro, três  Centros de Acolhida Para Adultos em Situação de Rua
  • Os três equipamentos substituirão o albergue da Zaki Narchi
  • Serão 500 vagas e funcionarão  24 horas por dia e atenderão homens maiores de 18 anos, em situação de rua
  • Os chamamentos públicos foram  lançados em maio de 2022
  • Em setembro os equipamentos já devem estar funcionando.
  • Em nota, a SMADS não confirma a desistência do imóvel da Rua Margarinos Torres.

Em primeira mão  ==  Como o DiárioZonaNorte antecipou com exclusividade, no domingo (24/07/2022), a Prefeitura de São Paulo, por meio da Supervisão de Assistência Social – SAS Vila Maria/Vila Guilherme, abriu chamamento público para transferência do Centro de Acolhida Zaki Narchi – POP II, que funciona na Avenida Zaki Narchi nº 900  na  região da Vila Guilherme.

O equipamento da avenida Zaki Narchi – que atende 500 pessoas e será desativado em breve -,  foi  desmembrado em três novos contratos, conforme determinado no Plano de Metas para a gestão 2021-2024, notadamente a Meta nº 14, que prevê a implementação de “12 Centros de Acolhida e Centros de Acolhida Especiais, reordenando serviços com mais de 200 vagas e respeitando o perfil dos usuários” .

Os três chamamentos foram publicados no Diário Oficial da Cidade de São Paulo,  em  maio de 2022 e darão seguimento ao trabalho que a Organização da Sociedade Civil – OSC CROPH – Coordenação Regional das Obras de Promoção Humana, já realizava na Zaki Narchi.

A localização dos imóveis foi escolhida pela Supervisão de Assistência Social – SAS de Vila Maria/Vila Guilherme, seguindo critérios próprios e sem interferência da Organização Social que fará a gestão de cada um dos equipamentos.

Avenida Morvan Dias de Figueiredo

O primeiro local, de acordo com os documentos aos quais o DiárioZonaNorte teve acesso, é um prédio de dois andares localizado na Avenida Morvan Dias de Figueiredo nº 4001 – na lateral da Ponte da Vila Maria.  

O contrato de locação foi assinado em junho de 2022 e terá o valor mensal de R$ 59 mil reais (incluso IPTU)  com validade de cinco anos e, atualmente passa por obras de readequação.

três

Rua Margarinos Torres 

O segundo local escolhido pela SAS Vila Maria/Vila Guilherme, na Rua Magarinos Torres nº 558  na Vila Maria Baixa, está localizado há duas quadras da Rua Curuçá e da Avenida Guilherme Cotching.

Assim que souberam da futura instalação do albergue na área, os moradores reagiram com abaixo-assinados e manifestações em redes sociais.

Tudo certo, como dois e dois são cinco

O secretário Carlos Bezerra Jr, recebeu dois grupos distintos de moradores e comerciantes na última 4ª feira (27 de julho), em horários diferentes,  e se prontificou  a implantar o serviço em um novo local, desde que fossem apresentadas alternativas ao imóvel da Rua Margarinos Torres. E de acordo com o secretário, a implantação dos equipamentos na região da Vila Maria,  é uma determinação do prefeito Ricardo Nunes (MDB).

No entanto, no dia seguinte,  nota encaminhada a redação do DiárioZonaNorte pela Assessoria de Imprensa da Secretaria Municipal de Desenvolvimento e  Assistência Social – SMADS respondendo uma série de  questionamentos feitos por este jornal, não confirma o cancelamento do local. Leia o trecho abaixo:

A Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) informa que serão implementados três novos centros de acolhida na região da Vila Maria, dos quais dois com capacidade para até 150 pessoas e um até 200. Essa medida está sendo adotada para aprimorar e aumentar a qualidade dos serviços prestados para a população em situação de rua.

As unidades substituirão o atual Centro de Acolhida Zachi Narchi, que atualmente atende 500 pessoas diariamente e será desativado em breve. Ainda não há uma data para esse processo acontecer, visto que os novos equipamentos se encontram em processo de locação e adaptação para atendimento ao público”.

Sobre o imóvel objeto da manifestação contrária dos moradores do entorno, continua a nota: “Com relação ao imóvel da Rua Magarinos Torres, o cancelamento da locação não está confirmado e a SMADS ainda analisa a possibilidade de outro imóvel para a substituição“.

Rua Zulmira

Foi indicado ainda pela SAS Vila Maria/Vila Guilherme, um terceiro prédio, localizado na Rua Zulmira – esquina com a Avenida Conceição. De acordo com a nota emitida pela Assessoria de Imprensa da SMADS, a locação ainda está na fase de tratativas.

Reação da Comunidade 

Beto Freire, ativista social, comenta a mobilização dos moradores e comerciantes da região e lembra que para a implantação de qualquer equipamento, seja público ou privado, existe a necessidade de um documento intitulado “Estudo de Impacto de Vizinhança“, que não foi feito pela Prefeitura.

A grande mobilização popular espontânea é a grande responsável na mudança de curso dessa história, autoridades e políticos ficaram assustados com tamanha rigidez que os moradores e comerciantes levaram para o debate nas redes sociais.

A questão jurídica também vai entrar na história, empreendimentos que trazem grandes mudanças no entorno tem que apresentar um estudo de impacto de vizinhança. Além de apresentar medida compensatória em investimentos para amenizar os impactos na qualidade de vida da população, que aparentemente não foi apresentado para a população de Maria/Guilherme/Medeiros.

Espero que agora nossos governantes lembrem das Vilas para trazer mais equipamentos de saúde, lazer e principalmente de segurança pública!”

Conseg Vila Maria

A reunião do Conselho Comunitário de Segurança –  Conseg Vila Maria, discutirá o assunto com a comunidade e representantes do poder público, nesta 5ª feira (28/07/2022) – 19h – no salão da Paróquia Nossa Senhora da Candelária (Praça Nossa Senhora da Candelária nº 01 – Vila Maria).

d

três três três três três três