Início Cultura “O tempo das pessoas vai ser roubado” no Teatro Alfredo Mesquita. Uma...

“O tempo das pessoas vai ser roubado” no Teatro Alfredo Mesquita. Uma peça “grátis”

tempo
Tempo de Leitura: 4 minutos

tempo

  • Recomendado para crianças a partir de 7 anos.
  • Um espetáculo para toda a família
  • Ingresso gratuito com retirada uma hora antes na bilheteria do teatro

Tem nome e sobrenome a criatividade nas montagens e a qualidade nas produções no teatro infanto-juvenil: Carla Candiotto. E a boa nova é que tem espetáculo saindo do forno. Quem conhece a atriz e diretora ou já se divertiu em família, assistindo suas criações, sabe que pode esperar por coisa boa vindo por aí.

Em 25 anos de trajetória artística, a diretora do espetáculo construiu uma reputação que lhe garante um lugar de prestígio nesse cenário e também lhe cobra a responsabilidade de estar sempre se superando. Ela sabe que, quando uma criança percebe seu pai ou mãe se divertindo numa atividade junto com ela, isso cria uma cumplicidade importante na relação familiar. E os aproxima.

Momo e o Senhor do Tempo

Adaptação teatral do livro O Senhor do Tempo, de Michael Ende,Momo e o Senhor do Tempo” segue a ideia de dialogar com crianças e adultos, predominantemente por meio do humor, com tiradas inteligentes e montagens exigentes em termos de cenários, figurino, luz e música.

A estreia acontece no Teatro Alfredo Mesquita, que acontece neste final de semana, sábado (15) e domingo (16), com entrada gratuita. Depois, o espetáculo segue para outros palcos da cidade, até fevereiro: Teatro João Caetano, teatro Cacilda Becker, Teatro Arthur Azevedo e Teatro Paulo Eiró.

tempo

A missão de roubar o tempo das pessoas

Escrita a seis mãos, por Carla Candiotto, Victor Mendes e Aline Moreno, a adaptação retrata a importância do tempo na vida das pessoas e a melhor forma de aproveitá-lo.

A menina Momo (Camila Cohen) aparece misteriosamente em uma cidade e vai morar nas ruínas de um antigo teatro abandonado. Lá, onde as crianças desaprenderam de brincar, pouco a pouco ela as ensina a redescobrir esse prazer. Com empatia e atenção, ouve as pessoas, valoriza a relação entre os amigos, os encontros e as ideias diferentes.

Tudo parece fazer sentido até que um acontecimento inesperado tira o sossego de todos. Os Homens de Cinzas surgem com a finalidade clara de comprar o tempo das pessoas. O tempo para a brincadeira, o tempo para conversar com os amigos, o tempo de olhar as formigas, ou passear, é roubado e trocado por uma moeda que deixará todos tristes.

A missão dos Homens de Cinza é convencer as pessoas de que elas devem “economizar” seu tempo, entregando-o a eles. Na real, eles sugam e estocam o tempo do povo com a desculpa de ajudar a poupar mais. Momo e seus amigos precisam agir rapidamente. Precisam de um plano para enfrentar o inimigo e recuperar o “tempo perdido” de todos.


Momo e o Senhor do Tempo foi contemplado na 10ª Edição do Prêmio Zé Renato de Apoio à Produção e Desenvolvimento da Atividade Teatral para a Cidade de São Paulo – 2019 e realizará, no início de 2022, uma temporada de apresentações gratuitas na cidade de São Paulo, de modo presencial ou à distância, dependendo do controle da pandemia no momento.  Este projeto, já aprovado na Lei de Incentivo à Cultura do Governo Federal, contempla a realização de uma segunda temporada da peça em cinco cidades.


Serviço

Momo e o Senhor do Tempo – A Extraordinária História dos Ladrões de Tempo e da Criança que Trouxe de Volta às Pessoas o Tempo Roubado.

  • Local: Teatro Alfredo Mesquita
  • Endereço: Avenida Santos Dumont, 1770 – Santana
  • Referências: em frente ao Campo de Marte
  • Data do espetáculo: 15/01(sábado)/16/01 (dom)
  • Horário: 16 horas
  • Capacidade: 198 pessoas
  • Telefone/Informações: (11) 2221.3657
  • Estacionamento: ao lado do teatro, gratuíto
  • Ingresso: GRATUITO – Retirada uma hora antes na bilheteria do teatro

Ficha Técnica

Texto – Carla Candiotto, Victor Mendes. A partir do romance original de Michael Ende. Direção – Carla Candiotto. Assistente de Direção – Camila Brandão. Elenco – Camila Cohen, Eric Oliveira, Ernani Sanchez, Fabrício Licursi, Victor Mendes.  Cenografia e adereços – André Cortez. Figurinos – Chris Aizner. Iluminação – Wagner Freire. Trilha Sonora Original – Marcelo Pellegrini. Vídeo Cenografia- André Grynwask. Programação Visual – Camila Brandão. Coreografia – Gisele Calazans e Roberto Alencar. Colaboração Dramatúrgica: Aline Moreno. Preparação de ator: Thiago Amaral. Assistente de direção: Camila Brandão. Assistente de cenografia: Stephanie Fretin de Freitas. Cenotécnico: Marcelo de Andrade e Isaac Tiburcio. Confecção de Figurinos: Ateliê Judite de Lima.  Programação Visual: Aldeia Hum – Juliana Mesquita. Gestão de Mídias Sociais: Príscila Galvão. Consultora em Acessibilidade: Paula Souza Lopes. Consultoria Jurídica: Martha Macruz. Equipe de produção: Cadu Cardoso, Michele Barreto, Vanessa Campanari e Thais Patez. Produção Executiva: Périplo Produções – Pedro de Freitas. Coordenação de Produção: Rodrigo Matheus. Realização: Candiotto Produções.

<<Com apoio de informações/fonte: Arte Plural Assessoria de Imprensa/ Fernanda Teixeira  e Fotos: João Caldas >>


Portifólio/Álbum – clique na foto para expandí-la:

 

d