Início Destaque Em seis meses no cargo, o prefeito de São Paulo não olha...

Em seis meses no cargo, o prefeito de São Paulo não olha para a Zona Norte

Agenda do Prefeito de São Paulo
Visita Cidade Tiradentes
Tempo de Leitura: 5 minutos

.

da Redação DiárioZonaNorte

  • Muitos compromissos externos nas agendas diárias e sem destaque à Zona Norte
  • Aniversários de bairros nem mesmo são lembrados pela Prefeitura e Subprefeituras

Sem contar suas atividades diárias no gabinete instalado no Edifício Matarazzo, no centro da cidade, o prefeito de São Paulo, Ricardo Luis Reis Nunes (MDB), tem sua agenda externa com vários compromissos quase diários pela cidade.

Mas a Zona Norte-Nordeste – que compreende quatro subprefeituras em 11 distritos – não tem prioridade.  Nos seis meses em que ocupa a cadeira de prefeito, Nunes lembrou da região somente em 14 dos 178 compromissos externos, no período.

Em todos as saídas o prefeito carrega uma grande comitiva, de 10 a 20 pessoas, entre secretários, auxiliares, subprefeitos, vereadores, chefes de gabinetes, seguranças, correligionários e outros interessados em aparecer – todos devidamente relacionados nas agendas e com registro fotográfico no perfil do prefeito, no Facebook.  Alguns destes compromissos sem almejar um serviço de grande utilidade aos seus moradores ou aliviar os vários problemas de zeladoria.

A agenda

No primeiro mês já como prefeito efetivo, Nunes  compareceu a  18 compromissos em  9 dias da gestão (período de 17 a 31 de maio).

agenda do prefeito de São Paulo
Esquenta “Marcha para Jesus”, no Anhembi – crédito da foto: Facebook Prefeito Ricardo Nunes

No cinco meses seguintes, o prefeito visitou Zona NorteNordeste em 14 ocasiões: 

  • Projeto de Concessão do Anhembi (08/06 – Santana);
  • Visita/barreira sanitária/Covid-19 Terminal Rod.Tietê (14/06-V.Guilherme)
  • Entrega de cestas saudáveis e máscaras em uma EMEF (18/06 – Vila Maria);
  • Expansão dos leitos no Hospital São Luiz Gonzaga (22/06 – Jaçanã);
  • Acompanhamento da primeira cirurgia intrauterina na rede municipal                          (24/05 – Hospital Vila Nova  Cachoeirinha);.
  • Inauguração da Teia Cachoeirinha no CCJ  (20/07 – Vila Nova Cachoeirinha);
  • Participação do Esquenta Marcha para Jesus no Parque Anhembi – Santana;
  • Vacinação domiciliar/gestante na UBS V. Espanhola – V.Nova Cachoeirinha;
  • Visita às instalações do IOPE da GCM no Clube Thomaz Mazzoni/Vila Maria;
  • Inauguração da Unidade Escola Makiguti na EMEFM Deville Allegretti                    –  em Santana;
  • Virada da vacina c/Covid-19 no Drive-thru no Parque Anhembi – Santana;
  • Solenidade do Dia dos Animais na COSAP/SMS – Zoonoses em Santana;
  • Nova participação/Esquenta Marcha para Jesus/Sambódromo – Santana; e
  • Entrevista ao vivo na Rádio Eldorado – Casa Verde.
A nova gestão no meio do caminho

No ritmo de uma cidade como São Paulo, tudo está acontecendo rapidamente. Muitas vezes, inesperadamente.  Em maio, veio a noticia da fatalidade: morria o prefeito Bruno Covas (PSDB) e assumia o discreto politico e vice-prefeito Ricardo Luis Reis Nunes (MDB).

Com seus 54 anos de idade, católico, Nunes esteve por sete anos em dois mandatos (2013 / 2020) como vereador na Câmara Municipal e  sua base eleitoral sempre foi o extremo sul da capital – como Jardim São Luiz, Capela do Socorro, Parelheiros, Capão Redondo, Campo Limpo e outros – tendo apresentado  projetos para a região.

Neste mês, o prefeito acaba de completar seis meses no cargo da maior cidade da América do Sul – e carregando outros importantes títulos -, com seus mais de 13 milhões de habitantes e ostentando 34% do PIB do estado e classificando-se como a 10º maior do mundo. Uma cidade com suas 32 subprefeituras e 96 distritos que mostram a grande responsabilidade do prefeito, secretários e seus vereadores.

agenda do prefeito de São Paulo
Evento “Dia da Favela” em Heliópolis – Crédito da foto: Facebook Prefeito Ricardo Nunes (05/09/2021)
Sem foco na Zona Norte-Nordeste

O olhar do prefeito não foca a Zona Norte-Nordeste e  suas quatro subprefeituras (Casa Verde – Cachoeirinha – Limão,  Jaçanã -Tremembé, Santana -Tucuruvi – Mandaqui e  Vila Guilherme – Vila Maria – Vila Medeiros), que tem inúmeros problemas de zeladoria. E soma-se a isto as reclamações dos moradores pela não transparência dos subprefeitos, que comprometem a boa administração e as zeladorias de cada distrito e bairro.

Ao mesmo tempo, o atual prefeito não visita (até de surpresa) as subprefeituras para ver como estão o andamento dos serviços no geral e no Governo Local – que tem a coordenação dos setores importantes  e que não aparecem no dia-a-dia, como Habitação, Esportes e Cultura.

Nas redes sociais, muitos moradores criticam essas máquinas administrativas locais e a falta de eficiência de seus subprefeitos,  que por trás tem os comandos de vereadores que não pertencem aos distritos e bairros  da região. Na verdade, a Zona Norte-Nordeste não tem representantes ativos e presentes.

Já a região Noroeste (Freguesia do Ó-Brasilândia, Pirituba-Jaraguá-São Domingos e Perus-Anhanguera) – que não pertencem à Zona Norte (apesar da insistência dos telejornais da Rede Globo) –  elegeu ou reelegeu seus representantes, que atuam na região.

Agenda do Prefeito de São Paulo
Allianz Parque – 08/09/2021 – Crédito da foto: Facebook Prefeito Ricardo Nunes
Os números dos compromissos

Houve um longo levantamento das agendas do prefeito Ricardo Nunes, realizado pelo  DiárioZonaNorte entre o período de 17 de maio até 16 de novembro, onde completou os seis meses no cargo.  Foram 123 dias com 178 compromissos externos ao seu gabinete no prédio da Prefeitura – não classificados reuniões internas, despachos, teleconferências, coletivas, etc.

Na distribuição por regiões, a Sul teve 82 compromissos, seguindo: Central (40), Leste (27), Norte (14), Oeste (10) e Noroeste (05), o que faz o total dos 178 compromissos.

Leva-se em conta as saídas para eventos com foco na Covid-19: maio (05 compromissos), junho (09), julho (03), agosto (06), setembro (nada), outubro (01) e novembro (01). Já a presença no Palácio dos Bandeirantes, com o governador, participando de coletivas ou eventos como a Fórmula 1, com almoços ou jantares, que foram agrupados na Zona Sul (Morumbi): maio (02), junho (04), julho (04), agosto (03), setembro (02), outubro (03) e novembro (02).

Agenda do Prefeito de São Paulo
Evento da CUFA – Central Unica das Favelas (05/11)2021 -crédito da foto: Facebook prefeito Ricardo Nunes
Outros compromissos

No meio das mais de 200 agendas, o prefeito teve diversos outros encontros, entre eles:

  • Reunião com o Secretário das Subprefeituras no Hotel Grande Mercure (21/05)
  • Visita a obra social Dom Bosco e almoço com Padre Rosalvino (05/06)
  • Reunião na Igreja Evangélica Assembleia de Deus
  • Café da manhã com empresários do Brás no Edificio Paramaz
  • Inicio das obras do Estádio do Pacaembu
  • Visita ao Sampa Sky no Edificio Mirante do Vale – Anhangabau
  • Almoço na Rede Tv! (Osasco)
  • Visita à S.E.Palmeiras no Allianz Park
  • Almoço na Tv Record
  • Cultos de Ação de Graça na Igreja Assembleia de Deus
  • Visita à fábrica Lorenzetti
  • Convenção na Assembleia de Deus – Brás
Onde estão as lembranças de aniversários?

As agendas mostram que o prefeito comemorou o aniversário do Ipiranga, até com uma café da manhã na Subprefeitura. O mesmo aconteceu com os 131 anos da Vila Prudente, onde até hasteou a bandeira. Por outro lado, os bairros da Zona Norte-Nordeste fizeram aniversários e ficaram esquecidos pela PrefeituraSubprefeituras.

“Não vimos nada, nem mesmo um anúncio nos jornais”, lamenta um morador da Av. Ataliba Leonel, na Parada Inglesa. Já outro morador, na Praça Nossa Senhora dos Prazeres, lembra “que antigamente eram festas nas praças, com desfiles e tudo o mais”, e acrescenta que “quando tem alguma coisa, algum vereador está por trás se promovendo e gastando nosso dinheiro”.

Os moradores reclamam ainda,  nas midias sociais e WhatsApp pelos serviços de zeladoria, já que não se fala mais em asfalto novo ou recapeamento, as ruas e avenidas estão esburacadas e ondulações. E as reclamações aumentam em uma região que não recebe benefícios há muito tempo, até a Avenida Nova é conhecida como a Velha Avenida Nova, que foi a última obra há mais de 40 anos.

d


Álbum/portifólio – clique na foto para expandé-la: