Os números são grandes e mostram que muita gente precisa tomar mais cuidado com seus pertences! O nome do local que acolhe tudo que é perdido deveria ser invertido para “Perdidos & Achados”, porque antes o objeto é perdido e depois é achado.

Mesmo assim somente na Central de Achados e Perdidos (CAP) da Companhia do Metrô de São Paulo, que fica na estação Sé, em 2020 foi registrado um total de 54.078 objetos perdidos nos trens e estações.  Desse total, 12.544 itens, ou seja, 22,92% de tudo que foi deixado para trás pelos passageiros foram devolvidos aos proprietários.

As cinco estações do Metrô que tiveram maior número de registros de objetos e documentos perdidos no ano passado foram Corinthians/Itaquera, Sé, Jabaquara, Palmeiras/Barra Funda e, na Zona Norte, a de Santana (Linha 1-Azul).

No topo da lista dos objetos mais recolhidos nas estações do Metrô em 2020 estão os cartões de plástico, sejam eles os bancários e de bilhete único da SPTrans é o segundo item mais cadastrado como objeto perdido.

Documentos de Registro Geral (RG)  e Carteira Nacional de Habilitação (CNH) também ocupam lugar de destaque, na terceira posição. Na sequência do ranking encontramos carteiras, bilhetes BOM, dinheiro, chaves, bengalas, guarda-chuva, blusas, casacos e jaquetas, celulares e óculos de grau.

Todos os objetos recolhidos nas estações das linhas 1, 2, 3 e 15, operadas pelo Metrô, e da Linha 4-Amarela, que é operada pela ViaQuatro, são encaminhados para a Sé e permanecem no local para devolução por 60 dias. Após esse período, os objetos em bom estado e os valores não devolvidos são encaminhados ao Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo.

Já os documentos são destinados aos respectivos órgãos emissores. Os livros em bom estado de conservação passam a compor o acervo do #achadosnaleitura, programa que permite o acesso dos passageiros aos exemplares recebidos na Central de Achados e Perdidos e que não foram procurados há mais de 60 dias. Após triagem tudo aquilo que é perecível ou não pode ter nenhum encaminhamento é descartado. 

Regras para consulta e devolução

As consultas de objetos identificados e documentos podem ser feitas pessoalmente, na Central de Achados e Perdidos (CAP), na estação Sé, de 2ª a 6ª feira, exceto feriados, das 7 às 20 horas, pela Central de Informações do Metrô, pelo telefone 0800-770 7722, todos os dias, das 5h00 às 00h00, ou ainda pelo site do Metrô (www.metro.sp.gov.br). Já a consulta de objetos não identificados deve ser realizada somente presencialmente na Central de Achados e Perdidos (CAP), na estação Sé.

Objetos identificados só serão devolvidos ao proprietário mediante a apresentação de documento de identificação. Parentes em primeiro grau também podem fazer a retirada após comprovarem o parentesco. Já terceiros poderão resgatar o item para devolução desde que o dono envie carta constando sua identificação e a da pessoa autorizada a fazer a retirada.

Quando se tratar de resgate de objeto não identificado, a identificação é feita por meio das características físicas do objeto fornecidas pelo passageiro, além do local da estação, dia e horário, etc da perda. Em caso de telefones celulares, tablet’s e notebooks é exigido o desbloqueio do aparelho ou identificação do conteúdo como fotos, agenda de contatos ou ainda a nota fiscal do aparelho.

Para evitar a perda de objetos e documentos, o Metrô recomenda aos passageiros que fiquem atentos aos itens que estão sendo transportados e observem seus pertences antes do desembarque. É importante também que os objetos tenham sempre algum tipo de identificação, o que facilitará a localização do proprietário e sua devolução pela Central de Achados e Perdidos.

Objetos inusitados

A cada mês, milhares de itens são encaminhados às centrais de achados das empresas ligadas à Secretaria dos Transportes Metropolitanos (STM), mas só parte dos objetos consegue encontrar seu dono novamente. A maior parte acaba esquecida.

Documentos extraviados são o maior clássico nos “achados e perdidos” e entre eles, os cartões bancários figuram como os campeões de presença, acompanhados de Bilhete Único, BOM, carteiras, documentos, chaves, e óculos.

Além deles, muitos passageiros também perdem celulares e a maioria dos que são encaminhados ao setor de “Achados e Perdidos” acaba sendo recuperada pelo dono, porque quem perde costuma ligar para o número.

Não é difícil imaginar que itens pequenos possam escapar do bolso ou da bolsa. Difícil é entender como objetos tão singulares acabam se separando de quem deveria estar de olho neles. Tem passageiro que já esqueceu de drone a vestido de noiva. Até mesmo cadeira de rodas já apareceu sem o proprietário.

Itens inusitados já encontrados
  • Metrô – Vestidos de noiva, dentaduras, cadeira de rodas, muletas, próteses de membros inferiores, bicicletas e instrumentos musicais.
  • CPTM – Cadeira de rodas, carrinho de bebê, drone, gaiola, bengala, pia de lavabo e brinquedos eróticos.
  • ViaMobilidade – Dentadura, garrafas de uísque e carrinho de bebê.
  • Concessionária Metra/EMTU – Dentaduras e uma boneca inflável vazia dentro de uma bolsa
O serviço na CPTM
A central de Achados e Perdidos da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) contabiliza atualmente 11.160 itens na central de achados e perdidos. Historicamente, o setor recebe, em média 7600 itens por mês. Em 2020, por conta da pandemia, a média mensal está em 5 mil itens.

Documentos e objetos encontrados em trens, plataformas e estações podem ser encontrados ou entregues no Posto de Achados e Perdidos, que está localizada na estação Barra Funda. O atendimento é de 2ª a 6ª feira, das 07 às 19 horas, exceto feriados. Informações também podem ser obtidas pelo telefone 0800 055 0121 ou pelo atendimento on-line  atendimento on-line, mediante login e senha. Por este canal é possível informar a data e hora da ocorrência com breve descrição e até enviar fotos para o e-mail usuario@cptm.sp.gov.br.

O serviço na Metra/EMTU

Todo os objeto ou documento encontrado pela Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU)  no Corredor ABD (São Mateus – Jabaquara) é encaminhado ao terminal mais próximo, onde permanece por três dias. Após este período, o item é enviado à Central de Achados e Perdidos, localizada no Terminal Ferrazópolis (Rua Pedro Henry, n.º 250 – Vila Olga, São Bernardo do Campo- SP), onde permanece por 90 dias. Informações podem ser obtidas pelo telefone (11) 4335-3232. A EMTU informa que objetos e documentos na região de Guarulhos/Zona Norte são encaminhados para a Central de Achados e Perdidos no Terminal Ferrazópolis.

O serviço da SP TRANS/Ônibus municipais

A SPTrans informa que o passageiro que esquecer ou encontrar algum objeto ou documento no interior dos ônibus deve procurar a empresa responsável pela linha utilizada.

Na Zona Norte, a empresa Sambaíba pode ser procurada pelo telefone 2990.4445 – ramal 4484, das 8 às 17 horas, de 2ª a 6ª feira. Outra empresas concessionárias e os telefones de contato estão disponíveis no site – clique aqui.

Caso o objeto seja achado ou perdido no interior de algum terminal de ônibus municipal, o passageiro deve procurar qualquer funcionário devidamente identificado ou a administração dos próprios terminais em até cinco dias.

Passado esse período, o objeto achado ou perdido no interior de algum terminal de ônibus municipal é encaminhado para a central de

, onde permanece por mais 45 dias à disposição para retirada.

Após os prazos, documentos são encaminhados para a central dos Correios e objetos são doados para entidades cadastradas que prestam apoio a pessoas carentes ou em situação de vulnerabilidade. Comidas e produtos perecíveis são descartados.

O serviço no Terminal Rodoviário do Tietê

O serviço no Terminal Rodoviário do Tietê, a conhecida Rodoviária do Tietê, que é administrado pela Socicam,  fica localizado no Balcão de Informações piso superior. O funcionamento de 2ª a 6ª feira, no horário das 8 às 17 horas. O contato pode ser feito pelo telefone 11- 2223.7199 (ramal 7109). Os objetos encontrados ficam disponíveis por 60 dias. Após este prazo, os objetos não reclamados são encaminhados para doação e os documentos aos Correios. OBS: Somente para pertences encontrados no Terminal Rodoviário Tietê, caso tenha perdido algo nos ônibus procure a empresa rodoviária que eles possuem um serviço de achados e perdidos da empresa.

O serviço na Infraero

A Infraero administra 66 aeroportos nacionais. Em São Paulo, o setor de Achados e Perdidos do Aeroporto de Congonhas recebe diariamente cerca de 40 objetos que são deixados no terminal. São pertences dos mais variados tipos, incluindo até cadeiras de rodas e muletas. Ele está localizado no piso do primeiro andar do terminal de passageiros e funciona diariamente das 6 até 23 horas. Para recuperar o pertence basta comparecer ao local, ou fazer contato via telefone (11) 5090-9013, ou pelo e-mail achadoseperdidoscgh@infraero.gov.br.  Em outros aeropostos para quem viaja muito: Cumbica/Internacional de Guarulhos (11-2445.3786), Aeroporto de Pampulha/Belo Horizonte (31-3490.2121), Aeroporto do Galeão/Rio de Janeiro (21-3398.4526/2288), Santos Dumont/Rio de Janeiro (21- 3814.7070) e Aeroporto de Brasilia/DF (61-3214.6585). 

O serviço nos Correios

O serviço nos Correios foi criado há mais de 30 anos, tem como objetivo encurtar o tempo e reduzir o custo da busca por documentos perdidos. Em função da pandemia, em 2020 os Correios receberam em suas agências mais de 90 mil documentos perdidos – em anos anteriores, quando não havia isolamento social, a média era superior a 170 mil.

Os documentos encontrados podem ser entregues em qualquer unidade dos Correios ou em caixas de coleta de correspondências. Uma vez recebidos, eles são acondicionados em envelopes e guardados, ficando disponíveis para retirada durante o prazo de 60 dias corridos, contados a partir a da data de recebimento do documento na unidade.

Após o término do prazo, os documentos são devolvidos aos órgãos emissores. No site dos Correios (www.correios.com.br), é possível verificar se o documento perdido foi encontrado e em qual agência está disponível para retirada.

Para recuperar o documento perdido, o cidadão deve apresentar outro que comprove sua titularidade e pagar a tarifa de R$ 5,95. Pertences sob a guarda dos Correios só poderão ser entregues aos proprietários ou seus representantes legais, devidamente reconhecidos.

Caso seja constatado que o documento perdido esteja em uma cidade diferente da qual o proprietário se encontra, é possível fazer uma solicitação para que ele seja enviado à agência mais próxima.


<< Com apoio de informações/fontes: Assessorias de Imprensa do Metrô-SP, Correios-SP, CPTM, SP Trans e EMTU >>

d