Início Cultura “Ainda há tempo” é um mergulho doloroso na relação afetiva entre pai...

“Ainda há tempo” é um mergulho doloroso na relação afetiva entre pai e filho

Ainda há tempo
Tempo de Leitura: 2 minutos

ainda há tempo

<<Crítica>> por Aguinaldo Gabarrão (*)

Quando o ator Viggo Mortensen (o Aragon da trilogia “O Senhor dos Anéis”), resolveu escrever um roteiro a partir do sentimento de luto pela morte de sua mãe, diversos fragmentos de sua infância e da vida familiar surgiram em cenas aleatórias. E deste impulso inicial, o talentoso ator se desdobrou também na direção, produção e trilha sonora.

Essa versatilidade somada ao rigor profissional faz Mortensen brilhar em sua primeira incursão na direção, ao contar a história do velho fazendeiro Willis (Lance Henriksen), homem conservador e homofóbico, que é acometido de demência.

Seu filho John (Mortensen) é obrigado a trazer o pai para sua casa, onde mora com o marido Eric (Terry Chen), e sua filha adotiva Monica (Gabby Velis). A partir daí, diversos atritos surgem conturbando ainda mais a difícil relação entre pai e filho.

ainda há tempo

O uso constante de flashbacks – recurso que interrompe um acontecimento presente pela utilização de eventos passados – não cansa ou mesmo enfraquece a trama, uma vez que o objetivo é construir a partir da vida pregressa de Willis, a relação tóxica dele com a esposa Gwen e seus filhos e, trazer à tona, a progressiva demência da personagem, mergulhada entre lembranças familiares de afeto e violência psicológica.

E os pontos de maior embate ficam por conta dos diálogos entre Willis e seu filho John. E Viggo Mortensen – que só aceitou atuar para facilitar o financiamento do projeto – soube conduzir em seu papel de diretor, a tensão permanente com o parceiro de cena Lance Henriksen, ambos com interpretações marcantes.

“Ainda há Tempo” é o justo acerto de contas. E as memórias, por mais dolorosas que sejam, servem de ponte para um possível resgate do afeto entre pai e filho.


Assista ao trailer – Clique na imagem abaixo:

 


Serviço

AINDA HÁ TEMPO – Titulo Original: FALLING

  • Gênero: Drama
  • Classificação: 14 anos
  • Duração: 153 minutos.
  • Elenco: Lance Henriksen, Sverrir Gudnason, Grady McKenzie, Hannah Gros, Terry Chen, Viggo Mortensen, Laura Linney, Gabby Velis.
  • Direção e Roteiro: Viggo Mortensen / Produção: Viggo Mortensen, Daniel Bekerman, Chris Curling / Produção Executiva: Danielle Virtue Brian, Hayes Currie, Peter Touche, Stephen Daileye, Peter Hampden, Norman Merry / Produtor Associado: Peder Pedersen, Lance Henriksen, Viggo Mortensen, Chen Sverrir, Gudnason Hannah Grossand, Laura Linney / Direção de Fotografia: Marcel Zyskind / Direção de Arte: Carol Spier / Editor: Ronald Sanders / Figurinos: Anne Dixon; Hair Designer: Vincent Sullivan / Make-Up Designer: Julia Valente / Casting: Deirdre Bowen / Música: Viggo Mortensen / Distribuição: Califórnia Filmes / Assessoria de Imprensa: Sinny

(*) Aguinaldo Gabarrão – ator e consultor de treinamento corporativo. Um eterno colaborador do DiárioZonaNorte.


Álbum/portifólio — clique na imagem para expandi-la:

 


d