Início Destaque Vila Guilherme, um passado agora nos 108 anos. Esperança para melhorias na...

Vila Guilherme, um passado agora nos 108 anos. Esperança para melhorias na região.

da Redação DiárioZonaNorte

Recordar é viver! Repassar o passado da Vila Guilherme, nestes 108  anos que se comemoram neste sábado (12set2020), com as histórias de nossos antepassados. Os verdadeiros desbravadores desta região.

Essa Vila Guilherme nunca teve um olhar mais aprofundado de governos em investimentos para as  necessidades da população, principalmente em saúde e transportes.

Neste ano, há necessidade de olhar para trás e ver o que se fez, ou melhor, o que não se fez, e mudar os rumos com gente da região e representante da Zona Norte.

Vamos homenagear a nossa Vila Guilherme,  fazendo nossas,  as palavras de Beto Freire,  um ativista social nascido há 40 anos no bairro e vivendo com sua prole na mesma região. Ele é um apaixonado pela Vila Guilherme e um incansável lutador pelas causas da nossa Zona Norte:

“Em um longínquo 12 de Setembro começava a história pujante de Vila Guilherme

Com características típicas de quem nasceu para ter protagonismo, Vila Guilherme tem em seus seios um dos maiores polos de empregos da cidade, a Rodoviária Tietê e Cidade Center Norte, com os Shopping Center Norte , Shopping Lar Center e o Expo Center Norte.

A Vila Guilherme ganhou fama internacional quando passou a sediar o ‘Revelando São Paulo’, o maior festival de cultura tradicional da América Latina. Na outra margem do Rio Tietê, vemos o espaço e o estádio da Portuguesa de Desportos, através do clube muitos patrícios vieram habitar  a Vila Guilherme e as vilas circunvizinhas.

Fato curioso do lugar é o cotidiano de Vila que convive com o agitado comércio, ao caminhar um pouco, o visitante encontra o Parque Vila Guilherme-Trote e a Praça Oscar da Silva com o “Casarão”, que contrasta com o agito da outra parte do bairro, a badalada Avenida Luíz Dumont Villares, com vida noturna bastante agitada.

A Vila Guilherme dos portugueses, italianos, espanhóis, bolivianos e brasileiros de toda parte ainda quer crescer muito. Seus habitantes vem pleiteando um Hospital Público, investimentos no Parque Vila Guilherme-Trote, estações do Metrô e obras em baixo da terra para eliminar costumeiras enchentes no período de chuvas, entre outras providencias de zeladoria para melhor qualidade de vida de seus moradores.  Parabéns Vila Guilherme, 108 anos

Os fatos nos tempos

Um pouco do passado misturado com o presente, as fotos registram momentos históricos da Vila Guilherme. E tudo começou no período colonial, há  mais de um séculos, nos mandos do Rei de Portugal.

Das sesmarias que foram agregadas às capitais hereditárias, depois passada para o Barão de Ramalho. E por herança ficou nas mãos da filha Joaquina Ramalho, que vendeu os terrenos  exatamente no dia 12 de setembro de 1912.

O comprador por 80 contos de réis foi o comerciante carioca Guilherme Praun da Silva, que loteou e vendeu sítios e chácaras a imigrantes portugueses. O nome de Vila Guilherme vem deste detalhe.

Era uma área de 115 alqueires – das margens do Rio Tietê até a Estrada da Bela Vista. A partir daí começou a mexer no desenvolvimento da região – aparecendo olarias e carvoarias. Além disto, belos pastos em chácaras.

E a cidade estava se desenvolvendo mais ainda com novos prédios no centro e precisava de material de construção. A região da Vila Guilherme tinha locais de muita areia e pedras para ajudar neste desenvolvimento.

Mas o comprador buscou melhorias e construiu a Capela de São Sebastião – que ele era devoto, uma delegacia de Policia, um grupo escolar, a primeira ponte de madeira sobre o Rio Tietê e um clube hípico.

Tudo para atrair mais gente para a região. Do local do clube hípico, ele morreu antes de ser construído, foi vendido e tornou-se a Sociedade Paulista de Trote.

Em 20 de maio de 1992 tornou-se distrito. Há várias homenagens em ruas, avenidas, praças e outros locais do bairro: Joaquina Ramalho (antiga proprietária), Maria Cândida (2ª esposa do Sr. Guilherme), Chico Pontes (um dos primeiros moradores do bairro), Oscar da Silva (filho do Sr. Guilherme, morto num comício acontecido no bairro), Amazonas da Silva (filho do Sr. Guilherme), Alfredo da Silva (filho do Sr. Guilherme), Ida da Silva (filha do Sr. Guilherme), Coronel Jordão (sogro do Sr. Guilherme), doze de setembro (data da fundação do bairro) e mais recentemente a Ponte da Vila Guilherme ­ Eng. Curt  Walter Otto Baumgart,   entre outros.

O desenvolvimento

A partir dos anos 70, o bairro se desenvolveu mais ainda e atraiu atenção de novos comerciantes e homens de negócios.

E foi a chegada de shoppings, hipermercados e centros universitários. Hoje nota-se os Shoppings Center Norte e Lar Center, Universidade Paulista-Unip, Universidade Bandeirantes de São Paulo-Uniban, Uninove, Vedacit, Carrefour, Agroceres, Makro e muitos outros até em função da proximidade das Marginais.

No mesma região concentram-se grandes transportadoras.  E um grande desenvolvimento no setor imobiliário. Além de locais de grandes eventos no Expo Center Norte e no Mart Center – que passa ainda um período de projetos que não se desenvolveram na área.

E teve também o polo de emissoras de televisão com as instalações da Tv Excelsior e depois o SBT, que ficavam na Rua Dona Veloso. Um pouco da Vila Guilherme, que trouxe desenvolvimento para a Zona Norte e contribuiu com o mesmo destino a muitos bairros próximos. Muitas estórias em uma história que ainda tem muito futuro.

Em 2006 ganhou o Parque da Vila Guilherme, que incorporou a área do Trote e conta com 200 mil metros quadrados de área verde — que durante quatro anos  recebeu o Festival de Cultura Popular “Revelando São Paulo”.

E ficou somente a saudade, já que interesses políticos não deram sequência ao evento que movimentava a região com um público de quase 2 milhões de pessoas.

Hoje, a Vila Guilherme – junto com a Vila Maria, Vila Medeiros e toda a Zona Norte –, ficou no estágio de “abandono” pelos governos e nas mãos de aproveitadores. Mudar é preciso!


 

DiárioZonaNorte