Início Destaque Mais bikes invadem ruas da ZN e começam pelos bairros de Santana...

Mais bikes invadem ruas da ZN e começam pelos bairros de Santana e Casa Verde

Tempo de Leitura: 5 minutos
  •  Mais comodidade no transporte da cidade e em benefício dos moradores
  •  Seis endereços iniciais na Zona Norte, que podem ser estender a outros bairros

Na próxima semana, a partir do dia 8 de setembro (4ª feira), os moradores da Zona Norte ganharão mais uma possibilidade de locomoção, com importantes integrações com o transporte público.

As “laranjinhas” (como ficaram conhecidas) do Bike Sampa estarão rodando pelas ruas e avenidas de dois importantes bairros:  Santana e Casa Verde. Depois dos bairros de Perdizes e Barra Funda, as bikes compartilhadas atravessam também o Rio Tietê e chegam a Zona Norte

Desde a semana passada, os projetos foram encerrados e dada a largada para a montagem dos postos. O sistema da Tembici funciona através de estações fixas. No aplicativo (app) é possível saber onde as estações estão localizadas, quantas bicicletas disponíveis e depois onde pode ser deixada. As bicicletas podem ser destravadas por Code, permitindo que o usuário não tenha contato direto com as docas, ou seja, além de prático ainda contribui com os cuidados pessoais exigidos na pandemia.

As dois primeiros bairros da Zona Norte estarão recebendo o novo meio de forma gradual, com término de instalações previsto para até o fim de setembro. O inicio das instalações começa por Santana, no dia 8,  mas não há uma data certa para cada uma das instalações, pois podem mudar dependendo de condições climáticas e eventos das subprefeituras.

Onde estarão os postos?

De início, serão quatro postos em Santana e dois outros na Casa Verde — ver endereços abaixo. A empresa tem projetos para futuramente ampliar o raio de ação até outros postos no restante de outros distritos da Zona Norte — como Tucuruvi, Mandaqui, Vila Maria, Vila Guilherme, Jaçanã e outros. A intenção é expandir para muitos mais endereços e bairros, mas há muitos fatores que precisam acontecer antes. Mas a empresa fica na dependência da questão burocrática e principalmente o aumento da estrutura cicloviária.


Os novos postos na Zona Norte — ainda em fase de implantação:


Atravessando Rio Tietê

“Nos estudos que fizemos, concluímos que as novas localidades são importantes para complementar a mobilidade urbana na região, além disso atravessar o Rio Tietê com o projeto também traz um enorme ganho para os deslocamentos, porque existem poucas pontes cicláveis na cidade e estamos quebrando essa barreira por meio da Ponte Casa Verde, abastecida com a ciclofaixa que conecta a Barra Funda e Santana”, explica Renata Rabello, gerente de Planejamento Urbano da Tembici.

Ainda, segundo a gerente da Tembici, “a população, de modo geral, sempre pediu muito pelo projeto na Zona Norte, estamos felizes com a realização”. De início, cada posto terá 10 bikes e, dependendo da demanda, poderá ser acrescentado mais veículos. O projeto de bicicletas compartilhadas é patrocinado pelo Itaú Unibanco e operado pela Tembici, líder em tecnologia para micromobilidade na América Latina.

Outro locais e curiosidades

As bicicletas com tecnologia PBSC (do inglês: Public Bike System Company-PBSC Urban Solutions — da fornecedora canadense de equipamentos de sistema de compartilhamento de bicicletas ) contribuem desde 2018 com o trânsito da cidade e melhores condições de deslocamento das pessoas, levando São Paulo para o caminho das cidades inteligentes. “O Bike Sampa, além de contribuir com o afastamento social durante a pandemia, é um modal sustentável, econômico e prático. No comparativo de janeiro a julho deste ano, houve um aumento de mais de 23% de viagens”, complementa Renata.

As bikes compartilhadas também ganham um novo endereço próximo à estação Praça da Árvore do metrô, permitindo uma nova opção de integração modal que vai facilitar não só a vida de quem pedala, mas de todo o trânsito da região. Segundo levantamento da Tembici, uma a cada cinco viagens do Bike Sampa, são originadas de integração de transportes públicos.

Hoje, São Paulo conta com cerca de 684 quilômetros de extensão de infraestrutura ciclável, maior malha cicloviária do país e o plano de metas entre este ano e 2024 é aumentar mais 300  quilômetros.  Os paulistanos contam com 2.700 bikes e aproximadamente 260 estações distribuídas pela cidade e que funcionam 24 horas. 

A maior adesão de bikes impacta significativamente no planeta. Somente em 2020, em São Paulo, mais de 800 toneladas de CO²  (gás carbônico) foram economizadas, sendo que a cada tonelada emitida, é necessário o plantio de 7,14 árvores para que o planeta não sofra os danos causados por esta emissão..

Higienização e cuidados com os usuários e cidade

Alinhado às recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), que recomenda a bicicleta como principal modal de transporte neste período de pandemia, a Tembici reforçou a higienização de todas as bikes e estações. Além da limpeza diária com álcool 70%, ainda no centro de operações da empresa, todas as bikes são lavadas com cloro diluído em água. Mesmo com a limpeza recorrente, a Tembici recomenda que os usuários também apliquem álcool em gel 70% nas mãos antes e depois de utilizar as bicicletas, além de fazer uso de máscara.


Como usar o Bike Sampa
  • Cadastro:  mais pagamento podem ser feitos baixando o aplicativo “Bike Itaú”
  • Planos e valores/quilometragem: clique aqui
  • Pagamento:  cartão de crédito
  • Novos usuários: 7 (sete) dias grátis de experiência
  • Plano Vacina – Especial: quem for se vacinar utilizando a bike para ir aos postos, o usuáriio terá as viagens das duas doses gratuitamente.

Sobre a Tembici

É a empresa líder de micromobilidade na América Latina, responsável por mais de 50 milhões de deslocamentos com bicicletas nas principais capitais brasileiras, como Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Recife e Porto Alegre, além de Santiago, no Chile, e Buenos Aires, na Argentina. Considerada uma das startups mais promissoras e inovadoras do país, pela  lista das 100 Startups to Watch (2020 e 2021), ao longo dos últimos anos a empresa acompanhou o aquecimento do setor de micromobilidade no mundo e, devido ao seu modelo de negócio e qualidade do produto, registra crescimento sólido e contribui diretamente para consolidar a bicicleta como um modal de transporte nas cidades em que atua. Este ano, os fundadores da Tembici passaram a fazer parte da rede de empreendedores Endeavor, recebendo apoio da organização para continuar crescendo de forma acelerada. <<Com apoio de informações/fonte: VCR Press Brasil / Ariane Hipólito>>


R