Início Cotidiano Córrego Tremembé recebe mais um “piscinão” e obras estão chegando ao fim

Córrego Tremembé recebe mais um “piscinão” e obras estão chegando ao fim

Depois de  praticamente sete anos do início do projeto de canalização, entra em finalização as obras do piscinão R3 do Córrego Tremembé, na Zona Norte. Mas os trabalhos foram iniciados somente em junho de 2018 e estão em fase de conclusão, através da Prefeitura de São Paulo e da Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB).  O novo piscinão já está em operação desde outubro de 2019, auxiliando na contenção das cheias nas áreas baixas do Córrego Tremembé.

Localizado na Avenida Maria Amália Lopes de Azevedo, o novo piscinão tem capacidade para armazenar 17 mil m³ de água, e recebeu um investimento de R$ 8.4 milhões (recursos federais). Após o reservatório entrar em operação, foram executados os serviços de paisagismo, instalação de grades e acabamentos.

Uma visita do prefeito

Nesta 2ª feira (31ago2020), na parte da manhã,  o prefeito Bruno Covas vistoriou o Piscinão R3 do Córrego Tremembé, junto à Rua Comendador Quirino Teixeira.  Na comitiva, o Secretário de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB), Vitor Aly; o subprefeito de Jaçanã-Tremembé,  Rodrigo Arraval; o engenheiro civil e coordenador da Obra do Consórcio DP Barros, Geraldo Siqueira Donizeti; o engenheiro fiscal da Obra de SIURB, Carlos Jarra;  o engenheiro civil  e gerente do Contrato do Consórcio Cidade São Paulo, André Luciano Santos;  e o engenheiro civil responsável pela obra do Consórcio Cidade São Paulo,  Ezequiel Magalhães Flori.

O projeto já vem de longe

O tempo passou e a história registra o início efetivo do projeto de canalização em 2013, no início do governo do ex-prefeito Fernando Haddad (01jan2013 a 31dez2016). E, a partir daí, aconteceram vários encontros, reuniões e Audiências Públicas, sob a coordenação da SIURB e em locais indicados pela Subprefeitura Jaçanã/Tremembé,  que em média levaram 2 horas cada.

Em uma das Audiências Públicas,  em 24 de abril de 2014, aconteceu no CEU Jaçanã/Tremembé, depois de outro encontro no prédio da SIURB, no Centro, em 12 de fevereiro, que definiu o estudo de drenagem do Córrego Tremembé.  Além destas etapas, aconteceu em seguida o processo licitatório, para a construção de 6 reservatórios de detenção, canalização do córrego, implantação de medidas mitigadoras e compensatórias para os impactos ambientais e implementação de trabalho social.

Com isso, a possibilidade de aumentar a capacidade de retenção e amortecimento de cheias; recuperar áreas de amortecimento das águas; expandir e preservar de áreas verdes; implantar reservatório de amortecimento; recuperar áreas de várzeas com potencial de amortecimento de cheias, ao longo das calhas dos rios; e, minimizar as desapropriações.

Na época, o projeto total foi estimado em 220 milhões de reais, com recursos do Governo Federal, no governo de Dilma Rousseff,  através do Plano de Aceleração do Crescimento – PAC e deve acabar definitivamente com os problemas de enchentes no bairro do Tremembé e adjacências. Estavam previstas desapropriações na região.

A partir de 2017, o projeto entrou para a gestão no governo de João Doria, e na sequência no governo de Bruno Covas, a partir de 2018. No momento, os reservatórios estão sendo concluídos  e o projeto finalizado até o final deste ano.


Assista ao vídeo / detalhes do Projeto (5 min. e 18 seg. ):


Obras concluídas na bacia do Córrego Tremembé

Em maio deste ano entrou em operação o piscinão R5 do Córrego Tremembé. O reservatório foi construído na Rua Florinda Barbosa e tem capacidade para armazenar 8 mil m³ de água. Em outubro de 2019 foram finalizadas as obras do piscinão R1, também no Córrego Tremembé. Construído dentro do Horto Florestal, esse reservatório tem capacidade para armazenar até 17 mil m³ de  água.

Entre 2017 e 2019 foram concluídos dois trechos de canalização, que totalizam 700 metros de novas galerias.  A Prefeitura de São Paulo está investindo cerca de R$ 115 milhões com essas obras na região, beneficiando uma população de 300 mil pessoas. Todas as obras serão finalizadas até o fim de 2020.

Outros piscinões na cidade

A cidade de São Paulo contava com 24 piscinões até janeiro de 2017. Oito novos piscinões foram entregues, totalizando 32, e outros seis piscinões ficam prontos até o fim de 2020, num total de 38 piscinões.

A ampliação da quantidade de piscinões na cidade em mais de 50% se faz necessária para amenizar um dos piores problemas da cidade em épocas de chuva que são os alagamentos. << Com apoio de informações/fonte: Secretaria Especial de Comunicação-Secom/PMSP>>


dzn