Início Bem Estar Prefeitura investiga mais suspeitas de casos de dengue na região da Parada...

Prefeitura investiga mais suspeitas de casos de dengue na região da Parada Inglesa

da Redação DiárioZonaNorte

Durante essa semana, equipes da Unidade da Vigilância Ambiental de Santana, sob a coordenação da Secretaria Municipal da Saúde/Coordenadoria Regional da Saúde/CRS-Norte,  estiveram percorrendo ruas da região do Vila Dom Pedro II, na Parada Inglesa (Zona Norte/Nordeste de SP). Não adentravam nas residências, mas somente alertavam os moradores sobre os cuidados com focos do perigoso mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue e da febre amarela urbana, além do chikungunya e da zika.

Moradores da região ficaram sabendo que há suspeitas de casos de dengue em uma das ruas desta região. O DiárioZonaNorte levou, na 6a.feira (23abr2021) o assunto à Secretaria Municipal da Saúde (SMS), com o questionamento sobre as equipes no local e as providências do governo municipal.

Segundo o e-mail com esse  retorno oficial, a SMS confirma a reportagem anterior  do DiárioZonaNorte (leia clicando no link:https://is.gd/felqG7)  admitindo que ” teve conhecimento dos dois primeiros casos de dengue da região em 10 de fevereiro” e que realizou “ o bloqueio de criadouros entre os dias 10 e 16/02, com a realização da nebulização nos dias 16, 17 e 18/02”.

Ao mesmo tempo, na mesma nota enviada à nossa Redação diz que “as equipes retornaram à região para ampliação das atividades no dia 15/04 e a nebulização nessa nova área está prevista para os dias 25, 26 e 27/04,  entre as ruas: Júlio Rodrigues Mendes, Malie Brenner, Luísa Scarpini e Padre Agostinho de Matos”.

Mapa da região investigada/Parada Inglesa

Desta forma, a Secretaria Municipal da Saúde confirma a suspeita de novo foco do mosquito Aedes Aegipty  e que continua em investigação, e que “essa nova nebulização ocorrerá após notificação recebida de um local  bastante próximo, com data de início de sintomas em abril, mas que ainda não foi confirmado”. 

E concluiu que “há ainda mais dois casos confirmados, também com data de abril, mas que não estavam dentro da abrangência do primeiro bloqueio de transmissão, que foi de 150 metros de raio, conforme diretriz do plano de controle. Ressaltamos ainda que preventivamente algumas quadras da primeira área estão sendo trabalhadas novamente”.


Importante – Assista ao vídeo abaixo com muitas orientações:


Os cuidados com a Dengue

Aedes Aegypti poderia até parecer um palavrão, mas é o nome cientifico, misturando o grego e o latim,  e que ficou conhecido como dengue. Junto com os primos principais — Chikungunya e a Zika —  formam um trio de doenças transmitidas pela picada de um terrível mosquitinho da família das arboviroses.

Esses infernizam muitos bairros da Zona Norte da cidade de São Paulo e do município vizinho de Guarulhos – e com focos no Estado de São Paulo e outros estados brasileiros. E eles sobrevivem com ajuda dos próprios moradores, que sofrem diretamente as consequências e que colocam em risco os moradores vizinhos.

Junto com os vasos de plantas e em outros pontos com o acúmulo de água limpa e parada – e até esgotos — , esses mosquitos proliferam rapidamente. Nas ruas, em pontos de descarte irregular de lixo, onde jogam latas, garrafas, móveis, sofás, eletrodomésticos e até pneus possibilitando a desova dos mosquitos.

No período de chuvas, as autoridades da saúde chamam a atenção para os locais que possam represar água, principalmente nos jardins e quintal, com a intenção de evitar fotos de mosquitos e o surgimento de novos casos. Como prevenção, verificar sempre esses locais. Até uma tampinha de refrigerante pode ser um local apropriado para dengue. E lembrre-se: pessoas infectadas com o vírus pela segunda vez têm um risco significativamente maior de desenvolver doença grave.

Além da vigilância em residências,  há também uma preocupação com estabelecimentos  que apresentam grande quantidade de recipientes em condições favoráveis à proliferação de larvas de Aedes aegypti: depósitos de pneus usados e de ferro velho, oficinas de desmanche de veículos, borracharias, oficinas de funilaria, cemitérios e outros locais. Com isto, busca-se evitar a proliferação do vetor na região.

Busca de mais informações

A Secretaria Municipal da Saúde informa abaixo os endereços e contatos das Unidades de Vigilância em Saúde (Uvis), que podem ser úteis em informações e orientações. Há também o Canal de Atendimento para munícipes para solicitações diversas através do telefone 156 ou no Portal de Atendimento – clique aqui.


Saiba mais – clique em cima do título: