da Redação DiárioZonaNorte ===

Nesta 3ª feira (18/06/2019) enquanto o prefeito da cidade viajava à noite para Washington (*), depois de ter exonerado o quinto Secretário de Administração e Assistência Social (SMADS) – desta vez foi Cláudio Tucci Jr, que ficou menos de dois meses no cargo, e tinha sob sua responsabilidade o Projeto Atende/Cracolândia  –, cerca de 120 pessoas estavam, mais uma vez, reunidas para não deixar os reflexos da  Cracolândia invadirem a Zona Norte e a região da Ponte Pequena. O Salão de Eventos do Santuário de Nossa Senhora da Salette abriu os braços para receber empresários, comerciantes, entidades, líderes regionais e moradores da Ponte Pequena, Armênia, Carandiru, Santana, Jardim São Paulo e outros bairros da Zona Norte.    (*) << Nota da Redação ==  Segundo a Comunicação da Prefeitura, o prefeito da cidade assinou em Washington, nos EUA, a contratação de financiamento de US$ 100 milhões de dólares com o Banco Mundial para projetos na área de saúde >>

Uma reunião extra e importante === Ali aconteceu uma reunião extraordinária da Associação dos Amigos do Mirante do Jardim São Paulo, presidida há 19 anos pela ativista social Alba Stella de Mattos Medardoni, contrária à instalação de um equipamento do Programa Atende do governo municipal, que nada mais é do que a Cracolândia na Rua Porto Seguro com a Av. Cruzeiro do Sul. Várias cadeiras brancas de marfinite fizeram as várias fileiras para comportar o público. Foram encaminhados mais de 90 convites especiais aos empresários, comerciantes, entidades e mais as oito representações dos Conselhos Comunitários de Segurança-CONSEGs de  Vila Gustavo / Tucuruvi/ Parada Inglesa, Jardim São Paulo / Vila Guilherme, Jaçanã / Tremembé, Vila Amália / Cachoeirinha / Imirim, Parque Novo Mundo/Vila Sabrina,  Casa Verde/Santana, Vila Maria e Água Fria / Mandaqui / Tremembé – somente os dois últimos compareceram.

Os representantes === Na mesa, os membros da Comissão de Representantes composta pela presidente da Associação Amigos do Mirante, Alba Stella de Mattos Medardoni; a ativista social e advogada Dra. Joana D´Arc Figueira; o engenheiro e diretor do Instituto Federal São Paulo (IFSP),  Luis Claúdio Matos de Lima Jr.; o ativista social da Vila Maria/Vila Guilherme, Roberto “Beto” Freire; e o Conselheiro de Saúde na Zona Norte, Nélson “Nelsinho” Ferreira. O Dr. Claudio Moreira do Nascimento, ex-presidente da OAB Subseção Santana, teve um compromisso de última hora e, como membro da Comissão, não pode comparecer.

A Prefeitura foi convidada === E para não ficar unilateral com o assunto, a Prefeitura de São Paulo foi convidada para enviar representantes, principalmente a Secretaria Municipal de Administração e Assistência Social (SMADS), com o Secretário Claudio Tucci Jr. – que foi exonerado no mesmo dia da reunião –, além do Secretário-adjunto Marcelo Costa Del Bosco Amaral – que assumiu temporariamente a SMADS; e o Chefe de Gabinete, Luiz Antonio Monteiro Arcuri – além do aviso à Assessoria de Comunicação da SMADS.  E nada adiantou, sem a presença de representante e nem mesmo um e-mail de retorno.

A corda foi roída === A presidente da mesa e da Associação dos Amigos do Mirante, Alba Stella de Mattos Medardoni, abriu a reunião com um breve resumo dos últimos acontecimentos no terreno com as obras em andamento e sem nenhuma explicação da Prefeitura de São Paulo. Ela agradeceu a presença de todos e lembrou que a cidadania é isto, “ao lutar por um ideal que faz parte da comunidade e que todos estão neste perigo que é a implantação da Cracolândia na Zona Norte”. Lembrou que em duas reuniões o ex-Secretário de Relações Sociais, Milton Flávio Lautenschläger, falou em nome do prefeito da cidade e garantiu que não haveria a transferência da Cracolândia para o terreno da Rua Porto Seguro com a Av. Cruzeiro do Sul. “O prefeito roeu a corda”, e em seguida Alba bateu forte: “Vieram aqui e prometeram e não cumpriram. Mentira em cima de mentira. Isto não é justo. Não merecemos isto!”.  E lembrou que, às escondidas, começaram a obra, sem aviso e sem placas. E disse que as reuniões da Associação dos Amigos do Mirante é “a casa do povo e aberta a todos partidos”, pois é uma entidade apartidária. Mas, segundo ela, alguns políticos vem pedir votos quando está chegando as eleições e depois somem. Alba aproveitou para informar a presença do vereador José Police Neto (PSD) na plateia, com seus assessores. E convidou o vereador para compor a mesa das autoridades.

Decisões de cima para baixo === E a primeira a falar foi a advogada e ativista social Dr. Joana D´Arc Figueira, que fez uma retrospectiva do que aconteceu com a intenção da Prefeitura e da SMADS em transferir “o grande problema para o meio da comunidade da Ponte Pequena/Armênia e na porta de entrada da Zona Norte”. E lembrou a importância da região para o desenvolvimento da cidade, com moradores e trabalhadores, que não foram consultados e nem comunicados sobre a decisão do governo municipal. Passou também por pequena análise dos projetos sociais da Prefeitura na região da Cracolândia, no centro, e o que aconteceu no local. Segundo ela, foram projetos mal encaminhados e que se perderam muito dinheiro nestas tentativas do governo. E aí veio a ideia de levar o problema do centro para o terreno na Av. Cruzeiro do Sul, mas o Secretário Milton Flávio veio nas reuniões e disse “transferência não haverá, não tem Cracolândia, foi uma fake-news”. E ficou acertado que sem “anuência dos moradores nada seria feito naquele terreno”.

Outro destino ao terreno === E o governo cria mais um serviço, agora com nova sigla SIAT, que significa Serviço de Internamento e Acolhimento Terapêutico. E na região tem vários serviços de assistência social e até para dependentes químicos – onde tem terrenos que podem ser ampliados e não abrir mais um local. Comenta-se que o prefeito quer cumprir o que foi colocado em seu plano de metas e “vai inaugurar o terreno da Cruzeiro do Sul”. E, com isto, a Dra. Joana foi bem enfática: “ Mas nós não vamos permitir. É inadmissível que nosso dinheiro a cada gestão, a cada ano, vá para o ralo e sem responsabilidade” – o que foi muito aplaudida. E lembrou que no projeto encaminhado à Prefeitura, o terreno da Rua Porto Seguro poderia ser usado para a saúde, aos idosos e várias outras possibilidades. E conclamou ajuda da OAB-Santana e das entidades com CNPJ para entrar com ação cível pública e com representação no Ministério Público. “A tragédia está pronta. Eles vão destruir a nossa região. E sem a participação efetiva de todos, eles conseguirão. Precisamos nos mobilizar. Sem gente do bem, trabalhadores, não dará certo!”, finalizou.

O dinheiro indo pro ralo ===Em sua participação, o ativista social e na área de saúde da Zona Norte, Nélson Ferreira Filho – o Nelsinho do Parque Edu Chaves, deixou claro que no Movimento contra a Cracolândia ninguém tem nada contra a gestão atual, contra o prefeito, e sim buscando alertar para os erros e colaborando para os acertos. Segundo ele, tem uma Comissão que fez as reuniões e até apresentou um plano de ações para o terreno. E a SMADS demonstrou que não conseguiu nem mesmo ajustar um projeto. Ao mesmo tempo, Nelsinho lembrou que nada há contra o dependente químico, mas que todos se preocupam “ onde estão jogando o dinheiro pelo ralo, sem utilidade”. E citou o Tribunal de Contas do Município (TCM) para verificar o que está acontecendo. E, segundo ele, serão vários pontos iguais aos acolhimentos de dependentes químicos em vários bairros para esvaziar o problema do centro da cidade. “Vamos nos unir cada vez mais”, lembrando que a obra está sendo construída e poderá ser usada para outro serviço, sem ser a Cracolândia. E fechando, Nelsinho estranhou que um  forte Movimento com representações de importantes empresas da região (Shopping D, Shopping Center Norte, Terminal Rodoviário, Metrô…), colégios com o Instituto Federal (8 mil alunos) e do Colégio da Policia Militar (Cruz Azul), com Associação Comercial, ETEC do Parque da Juventude… não teve nenhum dos 55 vereadores para ir até a mesa do prefeito mostrar a enorme representatividade da população e a gravidade do assunto. Ele disse estar perplexo pela falta de sensibilidade e controle dos vereadores.

“Nós somos a  cidade” ===Seguindo quase a mesma linha, o diretor do Instituto Federal de São Paulo, o engenheiro Luis Cláudio Matos Lima Jr., fez referências aos seus 8 mil alunos que estão no local, em frente ao terreno da Av. Cruzeiro do Sul. Lembrou que a comunidade já tem muitos problemas, dando uma retrospectiva do que aconteceu com as reuniões na Prefeitura e as conversas com o ex-Secretário Milton Flávio – que entendeu que a Comissão estava querendo ajudar, ser ouvidos e colaborar. “Eles não são nossos inimigos. Eles estão aqui para ajudar”, disse o secretário em uma reunião diante de técnicos e da chefe de gabinete da SMADS. Luis Cláudio também lembrou que na primeira reunião o salão da Salette estava superlotado e na reunião seguinte foi esvaziado, com pouco comparecimento. Isto mostrou fragilidade no Movimento e o governo tomou outro rumo, não acreditando nas pessoas. Segundo ele, temos que nos mobilizar pois “somos a cidade e o governo está lá para nos representar, tem que nos atender, não importa o partido”. Ele acredita que precisamos participar da administração pública e convoca todos para irem nas reuniões e movimentos.

O Caso está na Câmara Municipal === A presidente do Associação dos Amigos do Mirante, Alba Stella de Medardoni,  voltou ao microfone para um novo preâmbulo sobre as funções de um politico, que representa a população da cidade. “O politico vem aqui, fala, promete e a gente vota. E nada acontece. Vamos ver agora o que ele tem a nos dizer”. E convocou a fala do convidado especial, o vereador José Police Neto – o Netinho (PSD), que lembrou que esteve na primeira reunião do dia 25 de outubro do ano passado. Ele considera que há dois fatores para esclarecimentos do caso, ou sejam, a questão da obra e os objetivos do programa. O vereador se propôs buscar informações sobre o licenciamento da obra, até 4ª feira que vem (26/06/2019) quando a Comissão de Politica Urbana estará reunida. Dali pode também sair a convocação de uma audiência pública, onde a Prefeitura terá que explicar a finalidade da obra em espaço público,  como foi contratada, qual o custo e a legalidade do processo.

Deve parar a obra === Police Neto espera que até lá  haja definição do novo Secretário Municipal de Administração e Assistência Social (SMADS) — lembrando que é  o quinto secretário a ocupar o mesmo cargo um pouco mais de dois anos de governo, o que demonstra instabilidade – e possa dar informações claras e objetivas à população da obra – até o momento somente o chefe dos operários informou o que está acontecendo. “A questão agora é parar a obra, ver a legalidade, e dar tempo para conversar sobre o que vai acontecer no local”, pontuou o vereador. Ele lembrou que no dia 26 haverá a transmissão da sessão da Comissão de Politica Urbana, que todos podem acompanhar das 13 às 14 horas no Canal da Câmara ou no celular.

Sem representante da Prefeitura === Police Neto estranhou que a Prefeitura não mandou nenhum representante à reunião, “não tem nenhum sentido essa atitude, já que vieram representantes da Policia Militar, do Metrô, da ETEC e outros, sem ninguém do governo municipal”. E afirmou: “Aqui não tem quem está contra ninguém, tem todos a favor da cidade”. E fechou: “quando a gente pensa a cidade, em conjunto, não tem conflitos”.  <<Nota da Redação: O DiárioZonaNorte junto com a Folha de S.Paulo anunciaram em primeira mão, no dia 03/10/2019, a intenção da Cracolândia na Zona Norte. Neste dia, o vereador Police Neto encaminhou documento pedindo esclarecimentos sobre o caso. Até o momento, nove meses após, a Prefeitura de São Paulo não deu retorno à Câmara Municipal e ao vereador.  <<clique aqui para ler os documentos do vereador>>

Críticas da Associação Comercial === Na abertura da fala para a plateia, o primeiro a se apresentar foi o vice-presidente e ex-diretor presidente da Distrital Norte da Associação Comercial (ACSP), o empresário João Bico de Souza, que foi logo se posicionando como morador da região e empresário que paga mais impostos como acontece na região com dois Shopping (D e Center Norte) e todo um comércio da região. Ele lembrou que o terreno está exatamente na divisa de quatro Distritais da ACSP: Centro, Norte (Santana), Nordeste (Vila Maria/Vila Guilherme) e Móoca (que agrega o Brás). E informou que estava entrando em contato com o novo  presidente da ACSP, Alfredo Cotait Neto, para que os superintendentes dessas quatros distritais unam-se junto com o Conselho de Politica Urbana da ACSP para solicitar esclarecimentos e buscar soluções sobre o Caso da Cracolândia na Zona Norte. Bico lembrou ainda que ele tem uma empresa no final da Rua Porto Seguro e investiu pesado no local. E, no ano passado, reuniu-se com o ex-Secretário Milton Flávio para um projeto da Casa do Empreendedor no terreno, que haveria a participação da ACSP, Sebrae, Junta Comercial e Sesi para dar capacitação para pessoas e recolocação no mercado de trabalho, com o apoio da Prefeitura. Disse que o ex-secretário gostou da ideia, mas nada foi respondido. E fez críticas que os políticos abandonaram a Zona Norte. Afirmando que é apartidário, mas que precisamos de pessoas sérias e comprometidas com a Zona Norte. “Temos um senador de  milhões de votos que não está aqui defendendo a gente e nem mandou representante. Ele pode ser meu amigo e companheiro, mas tenho que justificar. “Senador da Zona Norte!!!… cadê o representante do Major Olimpio? Tá errado, precisamos de alguém ajudando a gente”, argumentou. Em seguida, Bico sugeriu pegar todas as entidades e fazer um grande movimento com a ACSP, OAB, CONSEGs e outros para chamar a atenção. Se não resolver desta forma, ele quer “fechar a Marginal Tietê, ou a Cruzeiro do Sul, e também dar um grande abraço no terreno”. Segundo ele, “parando a cidade” é um jeito de pressionar a prefeitura.  “Chega… nós pagamos impostos e mais o  IPTU…vamos dar as mãos e não podemos deixar acontecer. Vamos convocar todos os vereadores para entrar neste movimento”, encerrou.

A OAB também quer esclarecimentos === E, por último, ainda na plateia desde o início da reunião – até cancelando o prolongamento de outro compromisso –, o presidente recém eleito da Ordem dos Advogados do Brasil-Subseção Santana, Dr. Peter Aparecido de Souza – com sua comitiva de vice-presidente a cinco advogados-membros da diretoria–, usou da palavra.  Dr. Peter lembrou que a OAB da região tem 6 mil advogados e que estará em peso na causa do impedimento da Cracolândia na Zona Norte. Estará pedindo uma audiência imediata com o prefeito da cidade e terá uma Comissão Temporária e Especial internamente, com o pedido de ação cível pública – que inclusive consta nos estatutos da OAB. Irá também oficiar o Tribunal de Contas do Municipio (TCM) para esclarecimentos e justificativas dos gastos e do projeto, além da ilegalidade da obra. “Não vamos fugir desta luta. É uma luta da OAB”, conclamou. E ainda acrescentou que haverá uma medida tutelar de urgência, com medida judicial, para embargar a obra. E também um pedido de audiência pública. “A Zona Norte precisa parar de só perder”, finalizou. 

Mais uma manifestação nas ruas === A Comissão de Representantes já levou faixas, cartazes, apitos e megafone em duas oportunidades pelas ruas do bairro, junto às avenidas Santos Dumont, Av. Cruzeiro do Sul; e mais duas vezes em frente à sede da Prefeitura de São Paulo – sendo que a anterior aconteceu no começo do mês (05/06), e o prefeito ou a SMADS ouviram as reclamações, mas não deram atenção. Enquanto isto, às escondidas, as obras irregulares (sem aviso, sem placas, sem portaria, sem licitação, sem pedido à Câmara Municipal e sem publicação no Diário Oficial) estava em andamento  no terreno da Rua Porto Seguro. Uma guarita foi levantada logo no portão principal para controle de entrada/saída de dependentes químicos – presume-se que haverá colocação de  cerca de proteção nos muros. Outros serviços estão sendo executados, inclusive no dia da nova passeata (19/06/2019), a Sabesp com seus funcionários abriram um rasgo na rua para implantar a rede de esgotos. Tudo surgindo junto às empresas e ao comércio – até próximo do maior Terminal de Ônibus da América Latina – e das escolas. A passeata pode mostrar aos moradores a importância da adesão ao Movimento e nas avenidas o conhecimento do problema para milhares de veículos que ali trafegavam.

Nova reunião no dia 27 === Agora, esperar o desenrolar dos acontecimentos, com as providências na Câmara Municipal, Associação Comercial de São Paulo e na OAB-Subseção Santana, que serão cobrados e as notícias divulgadas. Lembrando que no próximo dia 27/06 — sempre na última 5ª feira do mês — , às 19 horas, no mesmo local do Santuário Nossa Senhora da Salette haverá a última reunião da Associação dos Amigos do Mirante, no primeiro semestre. É certo que o assunto Cracolândia na Zona Norte fará parte da pauta, com novidades.


Artigo especialLeia o artigo de N. Silveira, hoje socióloga, que morou muitos anos na Cracolândia, sofreu muito, e de lá foi desapropriada. Hoje mora em Santana/Mandaqui e também luta para que a Cracolândia não seja instalada no terreno da Av.Cruzeiro do Sul. Clique aqui para ler o artigo.


       VEJA MAIS FOTOS DA REUNIÃO E DOS BASTIDORES — CLICANDO AQUI.


Eis alguns links  (clique em cima) de reportagens do DiárioZonaNorte:

(*) Prefeitura pede urgência nas obras da Cracolândia da Av. Cruzeiro do Sul – 16/06/2019

(*)   Sem Cracolândia: Prefeitura estuda destino para o terreno da Avenida Cruzeiro do Sul – 23/04/2019

(*)   Secretário Milton Flávio e Prefeitura confirmam “Cracolândia fora da Zona Norte” – 03/12/2018 

(*)  “Prefeitura desiste da Cracolândia na Av. Cruzeiro do Sul”. Vitória dos moradores da Ponte Pequena/Armênia-Zona Norte. – 14/11/2018 –

 (*)   “O povo fala mais alto! Prefeitura de São Paulo recua na transferência da Cracolândia para a Zona Norte – 20/10/2018


IBCC Institucional

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora