Início Destaque Finalmente…. Linha 6 Laranja do Metrô retoma as obras

Finalmente…. Linha 6 Laranja do Metrô retoma as obras

da Redação DiárioZonaNorte

Após uma paralisação de quatro anos, as obras da Linha 6-Laranja do Metrô, que ligará os bairros de  Brasilândia e Freguesia do Ó ao bairro da Liberdade – região central de São Paulo, serão reiniciadas nesta 3a. feira (06out2020).

O  Grupo Espanhol Acciona assumiu  a execução do Contrato de Concessão Patrocinada, celebrado em 18/12/2013 entre o Governo do Estado de São Paulo e o consórcio Move São Paulo. 

O anúncio da retomada foi feito nesta 2a. feira (05out2020), pelo governo do estado de São Paulo. A Linha 6-Laranja é o maior projeto de infraestrutura público-privado em desenvolvimento na América Latina.

Investimentos e conclusão em cinco anos

Serão investidos R$ 15 bilhões na retomada do projeto, que tem previsão de gerar 9 mil empregos diretos e indiretos no período da obra. Já no período de operação, serão aproximadamente mil empregos.

Além disso, é a primeira linha metroviária de concessão patrocinada para transporte de passageiros que contempla, com características pioneiras, implantação das obras civis e sistemas,  conservação e expansão da linha. A concessão inclui ainda a aquisição de toda a frota, que deverá ter 22 trens, e prevê 19 anos para manutenção e operação.

A previsão é que a obra seja totalmente concluída em 5 anos.

Da Brasilândia a Liberdade em 23 minutos

Linha 6-Laranja do Metrô terá 15,3 km e ligará a Brasilândia e Freguesia do Ó à região central de São Paulo, atendendo mais de 630 mil passageiros por dia.  O trajeto será feito em até 23 minutos – atualmente, o tempo médio é de 1h30 por meio de ônibus.

Estações 

O traçado completo é composto pelas seguintes estações: Brasilândia, Vila Cardoso, Itaberaba-Hospital Vila Penteado, João Paulo I, Freguesia do Ó, Santa Marina, Água Branca, Pompeia, Perdizes, Cardoso de Almeida, Angélica, Pacaembu, Higienópolis-Mackenzie, 14 Bis, Bela Vista São Joaquim. 

O trecho ainda facilitará a integração com a Linha 1-Azul, do Metrô, 4-Amarela operada pela concessionária ViaQuatro 7-Rubi e 8-Diamante, ambas da CPTM.

Desde o início da implantação do trecho, houve aporte R$ 694 milhões para pagamento de obras civis e R$ 984 milhões para pagamento das desapropriações de 371 ações.

A novela

A construção da Linha 6-Laranja teve início em janeiro de 2015 e, em 2 de setembro de 2016, por decisão unilateral, a Move São Paulo informou a paralisação integral das obras civis.

A concessionária alegou dificuldades na obtenção de financiamento no BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), especialmente pelo envolvimento das empreiteiras brasileiras na Operação Lava Jato.

Em novembro de 2019, a conclusão da caducidade foi estendida para 9 de fevereiro deste ano e posteriormente para o dia 07 de julho de 2020.  O  prazo permitiu que as negociações fossem concluídas sem a abertura de uma nova licitação.

Move São Paulo permaneceu responsável pela conservação e preservação da segurança dos canteiros de obras e dos imóveis vinculados à concessão.

Sobre o Grupo Acciona

Há 22 anos no Brasil, a Acciona  conta com mais de 1500 profissionais e possui unidades em São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará e Pernambuco.

Acciona já realizou projetos emblemáticos no País como dois lotes do trecho norte do Rodoanel Mario Covas, em São Paulo e Guarulhos (SP) e o Terminal 2 do Porto do Açu, em São João da Barra (RJ), no qual aplicou a tecnologia inovadora do equipamento Kugira, maior dique flutuante do mundo para fabricação de caixões de concreto pré-moldado.

Outros projetos realizadas pela Acciona  nas duas últimas décadas foram a construção do CPD do Banco Santander em Campinas (SP) e da fábrica da Volkswagen em Resende (RJ).

Também foi responsável pelas reformas, em São Paulo, do complexo Estúdio Vera Cruz Filmes, das estações da Luz Júlio Prestes (convertida na Sala São Paulo de concertos) e do edifício Martiniano de Carvalho, atual sede da Telefônica. A empresa também venceu licitações para a construção de linhas e estações de metrô em São Paulo (SP) e Fortaleza (CE).

Na área de saneamento, por meio da Acciona Água, realizou a assistência técnica na operação e manutenção da ETE Arrudas (MG) e atualmente responde por obras de sistemas de esgoto em São Gonçalo (RJ) e Santa Cruz do Capibaribe (PE).

Na área de Concessões, a Acciona Rodovia do Aço realizou durante 10 anos a operação da Rodovia Lúcio Meira (BR-393), em um trecho de 200 quilômetros de extensão, passando por 7 municípios da região sul do Estado do Rio de Janeiro.

d