da Redação DiárioZonaNorte ==

Aplaudido de pé por cerca de 100 pessoas, o Secretário Municipal de Relações Sociais (SMRS), Milton Flávio M. Lautenschläger, anunciou oficialmente, na 4ª feira (28/11/2018),  que a Prefeitura de São Paulo desistiu em definitivo  de transferir  o Projeto Atende (a Cracolândia do centro da cidade) para um terreno na Avenida Cruzeiro do Sul. “Fora de cogitação”,  sintetizou o assunto e, mais adiante, ele ainda acrescentou que “vamos considerar que foi uma falsa notícia, uma FakeNews!”.

Este foi o resultado da última reunião do ano da Associação dos Amigos do Mirante do Jardim São Paulo e Região, que aconteceu no Salão de Festas do Santuário Nossa Senhora Salette, no Jardim São Paulo/Santana.  Em clima amistoso e de felicidade, diferente da reunião anterior que aconteceu no mesmo espaço, no mês passado, quando o assunto foi debatido com mais de 400 pessoas na plateia.

Os representantes ===  Na mesa, a Comissão de Representantes do Movimento contra a Cracolândia na Ponte Pequena/Armênia e Zona Norte composta de Alba Medardoni (presidente da Amigos do Mirante), Joana D´Arc Figueira  Cruz (advogada e líder comunitária da região Ponte Pequena/Armênia), Engº Luis Cláudio de Matos Lima Júnior (diretor-geral do Instituto Federal de São Paulo), Nelsinho Ferreira (líder da Comissão de Saúde na Zona Norte) e Beto Freire (diretor do CONSEG Vila Maria – líder comunitário) – este  no comando como mestre de cerimônia. O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil-Subseção Santana, Cláudio Moreira do Nascimento, não pode comparecer, pois no mesmo dia houve eleições na sua entidade. Como representante da Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Assistência Social (SMADS), Francine Yamane Eugênio Lopes, que é a chefe de Gabinete – na plateia, o Secretário-Adjunto da SMADS, Marcelo Del Bosco.  E o Capitão James Carlos, Comandante da 3ª Companhia do 9º Batalhão da Policia Militar, foi representado pelo Sargento Guedes.

O povo tem que reagir === A presidente da Associação Amigos do Mirante, Alba Medardoni, abriu a reunião e disse que “a vitória pela decisão de não trazer a Cracolândia para a Avenida Cruzeiro do Sul  não é da Comissão de Representantes, não é de nenhuma pessoa em particular, mas de todos moradores da Ponte Pequena/Armênia e da Zona Norte. De todos que acreditaram e se esforçaram para que isto acontecesse”. E fez referências às manifestações de rua, dos abaixos-assinados, dos cartazes, das faixas, do megafone… Ela lembrou que a Zona Norte está carente de tudo, nada de bom é lembrado para a região.

“Nada temos com os dependentes químicos e sim que sejam bem tratados e tenham um atendimento humanizado. Mas não queremos mais  pessoas l perambulando pelas ruas da Zona Norte, na Zaki Narchi, no metrô de Santana e outros locais”, acrescentou. E agradeceu a Prefeitura de São Paulo e do Secretário Milton Flávio, que estão entendendo o problema e ajudando a Zona Norte. A presidente da Associação Amigos do Mirante lembrou que a luta dos moradores não para por aqui e que buscará mais melhorias e qualidade de vida para todos da  Zona Norte e, se for necessário, “vamos trazer outras demandas para a reunião e vamos criar novos movimentos, do mesmo jeito. O povo não pode ficar mais parado”, acrescentou.

A força da cidadania === Em seguida, a advogada e líder comunitária da Ponte Pequena/Armênia, Joana D´Arc Figueira Cruz, lembrou que o movimento trouxe a força da cidadania em busca da união de todos contra a transferência da Cracolândia. E falou também da importância do abaixo-assinado – que está chegando a 10 mil assinaturas – e precisa ter continuidade.  Ela citou também os serviços de saúde e assistência social que existem no local e que precisam ser melhorados. E que as reuniões com a Prefeitura são muito importantes e levarão a sugerir, junto com a comunidade, o que poderá surgir no terreno da Av. Cruzeiro do Sul. Segundo ela, ali deverá surgir um ou mais equipamentos  que possa contemplar serviços de excelência para todos na região, onde há uma carência muito grande. Joana D´Arc acredita na necessidade de serviços que possam dar apoio às atividades de crianças aos idosos, inclusive com o apoio de empresas locais. “E nós seremos os fiscais, pois como cidadãos devemos fiscalizar tudo que o poder público faz”, disse.  E lembrou que há outros problemas no local, como ruas abandonadas, calçadas e falta de iluminação, que devem ser levadas ao conhecimento das autoridades. ”Não é só criticar, mas atuar nas questões”, completou.

De acordo com Nelsinho Ferreira  “Essa abertura e participação popular em conjunto com a Prefeitura de São Paulo é de grande importância. E demos um grande passo no relacionamento com o poder público. Desde que bem organizado, esta aí um caminho para outras demandas nos bairros da Zona Norte. Deu para perceber a boa vontade do prefeito e das secretarias”, comentou o lider comunitário Nelson Ferreira, dirigindo o olhar e agradecendo o Secretário Milton Flávio.

 

O apoio da Prefeitura === Já o Engenheiro Luis Cláudio de Matos Lima, diretor-geral do Instituto Federal de São Paulo – que concentra mais de 8 mil alunos –, agradeceu ao Secretário Milton Flávio que ouviu o Movimento e buscou uma solução para o problema. “Não podemos olhar o problema dos dependentes só de um lado; há outros pontos a serem observados nos cuidados a essas pessoas  e também na ajuda de todos, de uma maneira ou de outra. E no Instituto Federal podemos ter um olhar e buscar uma ajuda a eles”, declarou o diretor-geral do Instituto Federal de São Paulo, na unidade que fica próximo do terreno da Av. Cruzeiro do Sul, na Ponte Pequena.

Depois, a chefe de Gabinete da SMADS, Francine Yamane Eugênio Lopes, disse que “a Prefeitura está de portas abertas para receber o povo, escutar o povo, e já estamos em negociações com agenda aberta para buscar soluções com a ajuda de todos” e finalizou dizendo da importância deste diálogo para uma melhor política pública. Nelsinho Ferreira, líder do setor de Saúde da Zona Norte, falou da importância do Movimento que foi criado para trazer melhorias para a região. E que abrirá outras oportunidades para construir ações com o poder público, e dando exemplos a outras regiões. “O poder público está nos ouvindo e estamos aqui para colaborar”, concluiu.

A palavra oficial === O Secretário Municipal de Relações Sociais, Milton Flávio – que é médico — veio acompanhado de seu Coordenador Geral Orlando Corrêa da Paixão, direto de uma palestra  que foi realizada na Câmara Municipal sobre a saúde do homem, o que atrasou um pouco sua chegada.  E com o microfone já em mãos, o Secretário alertou para a reunião ter menos pessoas na plateia – na primeira chegou a mais de 400 e agora cerca de 100 pessoas. Foi observado que “não foi um mal sinal” porque as pessoas acreditaram na Prefeitura em não trazer a Cracolândia.

Mas Milton Flávio lembrou que antes “nada estava definido” e que se buscava alternativas para a transferência do serviço tentando soluções adequadas. E que a Prefeitura precisa olhar com cuidado suas ações para “começar a aprender e responder conjuntamente entre a população e o poder público, com as demandas de cada bairro” e, segundo ele, isto deve ter gerado algumas dúvidas para a plateia. O secretário lembrou que agora tem a certeza que está caminhando para a direção certa. E afirmou que essa é o modo que o prefeito Bruno Covas quer em compartilhar com a população.  “Hoje ninguém mais diz aqui que a Cracolândia está sendo transferida para essa região.  E digo de maneira muito tranquila que isto está fora de cogitação”, sustentou Milton Flávio, sendo aplaudido e ovacionado com todos da mesa e a plateia em pé. E acrescentou: “Estou reafirmando porque havia uma descrença de que a Prefeitura não iria ouvir”.  E disse que o povo é o quarto poder, com a representação popular, que precisa ser ouvido.

União com o povo === Segundo o Secretário Milton Flávio, a Prefeitura tem que recriar e o povo efetivamente possa contribuir de maneira adequada e responsável para solução dos problemas. Milton Flávio disse que foi uma felicidade o acontecimento e espera que o fato se repita em outros bairros, com os cidadãos assumindo essa responsabilidade.  Ele deixou claro a importância das escolhas certas nas eleições, depende de quem o povo eleger.

E informou que foi construído um pacto para levar adiante um projeto conjunto os moradores e  que continuará sendo feito.  Já há uma nova reunião marcada  e a Associação Comercial de São Paulo demonstrou interesse e ofereceu construir um Centro de Empreendedorismo “e de cuidados com a população”, dividindo aquele terreno, mas tudo isto será discutido conjuntamente. “Ninguém será tratado como o melhor ou como o pior”, garantiu ele.

Foi uma FakeNews === O grupo de representantes da região continuará se reunindo com a Prefeitura e a intenção é voltar aqui e dizer “feliz o dia que a população se rebelou contra uma falsa notícia, uma FakeNews, que possibilitou de nos encontrarmos e eventualmente trabalhando juntos e construirá uma sociedade cada vez melhor”, esclareceu. E ainda acrescentou que “as respostas que esperam e querem serão construídas por nós, eu não tenho a resposta, que será construída conjuntamente. E nós voltaremos aqui quantas vezes forem preciso para que vocês validem e vamos tentar construir. Quando as respostas estiverem mais cristalizadas, voltaremos aqui. E vamos estar preocupados com o bairro de vocês, neste pedaço da cidade que vocês moram e cuidam. Mas levando em conta as nossas responsabilidades aos problemas que a cidade nos apresenta”, fechou a fala e ainda ficou alguns minutos para responder duas perguntas da plateia. Depois, antes de sair, ainda acrescentou que, além das colaborações que estão sendo oferecidas, foi alertado pela população que alguns dos serviços de Assistência Social na região não estavam sendo eficientes e a Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Assistência Social (SMADS) já cuidou do caso e abrirá os dados para conversar com as pessoas e mostrar quais são os objetivos, complementou de vez.

Bruno Covas preocupado === O Secretário-adjunto da SMADS, Marcelo Del Bosco, pediu a palavra e acrescentou a preocupação do prefeito Bruno Covas em atender as demandas da população, determinando um trabalho conjunto de todas as secretarias para a região. Segundo ele, não só a questão principal está em andamento, mas também outros problemas de zeladoria. Del Bosco disse que há problemas de comunicação e a determinação do prefeito é para romper esse problema. “Há uma preocupação muito grande do prefeito Bruno Covas nos encaminhamentos destes problemas sociais. Ele determinou que as Secretarias tenham uma melhor comunicação e entrosamento entre elas, o que está acontecendo agora neste caso. E essa será a política de buscar a ajuda também dos moradores” afirmou Del Bosco.

 

O encerramento === A presidente da Associação Amigos do Mirante fez os agradecimentos finais e demonstrou a felicidade de ver o assunto Cracolândia sendo encaminhado de uma maneira eficiente pelo poder público, com as garantias oferecidas pelo Secretário Milton Flávio. Lembrou que luta continua e que haverá as reuniões na Prefeitura. E que a próxima reunião da Associação Amigos do Mirante ocorrerá somente na última 5ª feira de março de 2019, já que entra o Natal e depois vem o Carnaval. Mas deixou em aberto uma reunião extra, caso haja necessidade de discutir algum assunto de emergência – com aviso pela Imprensa e nos mailings disponíveis. E também abriu que outros temas importantes à Zona Norte poderão entrar em reuniões especiais. E deu o boa noite!

Veja a cobertura fotográfica completa aqui

 

sicredi_institucional

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora