Início Destaque Nestlé será investigada por causa do produto “Nesfit de mel que não...

Nestlé será investigada por causa do produto “Nesfit de mel que não tem mel”

Tempo de Leitura: 2 minutos

O Instituto de Defesa do Consumidor ( Idec ) encaminhou ao Procon-SP uma denúncia contra a Nestlé por fazer publicidade enganosa de alguns de seus produtos. No portfólio da empresa, foram identificados quatro produtos da linha Nesfit que têm mel no nome e dão destaque para o alimento na embalagem, mas nenhum deles tem mel em sua composição.

Os produtos que apresentam essa irregularidade são o Biscoito Nesfit Aveia e Mel; o Nesfit Cookie Cacau, Aveia e Mel; o Biscoito Nesfit Leite e Mel e o Cereal Matinal Nesfit Mel com Amêndoas sem adição de açúcares. Na parte da frente da embalagem dos produtos há imagens de favo de mel e outros elementos e signos diretamente relacionados ao ingrediente.

De acordo com Mariana Gondo, advogada do Idec, trata-se de uma grave violação ao Código de Defesa do Consumidor (CDC), que considera enganosa a publicidade que pode induzir o consumidor a erro em relação às características de um produto.

“Toda a construção da promoção comercial dos produtos leva a crer que o mel seja um ingrediente principal ou, no mínimo, um ingrediente presente em sua composição, induzindo o consumidor a erro”, afirma.

Além da ausência de mel e dos elementos da embalagem que vendem a ideia de um produto mais natural e saudável, também foram identificados aditivos alimentares do tipo aromatizante nos produtos e uma alta concentração de açúcares presentes em sua composição.

“Os aromatizantes são utilizados com o objetivo de tornar os produtos mais atrativos e hiperpalatáveis por meio do aumento de características sensoriais como sabor e aroma. Contudo, todos os quatro produtos analisados são ultraprocessados e contêm ingredientes que, na verdade, são prejudiciais à saúde”, explica a nutricionista do Idec, Laís Amaral. 

Os produtos denunciados compõem o portfólio da Nestlé, empresa que, recentemente, reconheceu em apresentação realizada entre seus altos executivos que a maior parte de seus alimentos não são, de fato, saudáveis.

Conforme matéria original publicada em 31 de maio pelo jornal Financial Times, e veiculada pela imprensa brasileira, a maior companhia mundial de alimentos e bebidas admitiu que mais de 60% de seus produtos não atenderiam aos padrões de qualidade necessários.
Observatório de Publicidade de Alimentos

A denúncia encaminhada ao Procon é resultante da atuação do Observatório de Publicidade de Alimentos (OPA) , plataforma do Idec em que os consumidores podem denunciar publicidades de alimentos que contrariem as normas vigentes. O observatório tem como objetivo fortalecer o direito dos consumidores à informação adequada, apoiando a identificação de publicidades ilegais de alimentos e facilitando a sua denúncia aos órgãos competentes. <<Com apoio de informações/colaboração – fonte: Instituto de Defesa do Consumidor-Idec >>


d