Início Destaque CET muda a mão de direção no trânsito na Rua Dona Gabriela,...

CET muda a mão de direção no trânsito na Rua Dona Gabriela, na Vila D.Pedro II

da Redação DiárioZonaNorte

O tempo passa e os problemas continuam com a cidade crescendo assustadoramente – com vários prédios sendo construídos nos terrenos das antigas e simples “casinhas” que serviram nossos antepassados. Onde antes ficava uma casa para quatro pessoas, de repente o local é transformado para moradias de 1.040 novos moradores no mesmo espaço. Tudo se multiplica, inclusive o tráfego de veículos com as enormes garagens.

Depois de reclamações e questionamentos de leitores, a função do jornal é ser uma voz da população, levando esses problemas ao conhecimento das autoridades. Já desde de janeiro de 2015, chamamos a atenção da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) do congestionamento questão da Rua Dona Gabriela, na Vila Dom Pedro II (Zona Norte-Nordeste).

Em janeiro de 2015, o DiárioZonaNorte já chamava atenção da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) para estudos no sentido de melhorar o tráfego da estreita Rua Dona Gabriela — que tem como referência o número 3.500 da Avenida General Ataliba Leonel —, já que estava inviável em duas mãos (sobe e desce).

A rua é uma importante ligação entre os bairros, com muito tráfego. Com veículos estacionados dos dois lados, a situação piora. Na subida, formam-se filas paradas de veículos à espera de outros que vêm na descida. Sem contar a circulação de caminhões e outros veículos pesados.

De manhã e no final da tarde, quando aumenta o fluxo de veículos, a rua fica insuportável.  Houve momentos dos veículos ficarem frente a frente e os motoristas irredutíveis para um ceder a vez ao outro. Xingamentos e nervosismo chegaram a fazer parte do cenário.

A boa noticia da CET

Depois de vários pedidos e o mais recente em 23abr2021, a Redação recebeu a boa noticia da CET: “Solicitação 00.25.02975/21-27 (R DONA GABRIELA): Em atenção à solicitação em referência, informamos que foi elaborado projeto de implantação de sinalização vertical, prevendo a inversão de mão de direção para sentido único, melhorando a fluidez e segurança do local“.

A CET observa que “ainda não temos data de previsão de implantação da sinalização, porém quando for ocorrer a mudança será amplamente divulgado nos órgãos de imprensa e na própria via“. Lembra ainda da questão de estacionamentos irregulares serão controlados no “programa de fiscalização periódica que tem como finalidade coibir o desrespeito às regras prescritas no Código de Trânsito Brasileiro e sugerimos que sempre que for verificada qualquer irregularidade, para que haja fiscalização no dia da infração seja solicitada pelo telefone 156“.

Como ficarão os trajetos

Em antigo estudo da própria CET, na gestão Fernando Haddad (PT),  junto à Subprefeitura Santana/Tucuruvi/Mandaqui mostrava um croquis com os desenhos das ruas e o tráfego na região.

A rua Dona Gabriela ficaria com mão única da Rua Luiza Scarpini em direção da Av. General Ataliba Leonel. Já a rua Capitão Sérvio Rodrigues Caldas, que é paralela, conservará sua mão de direção da Av. General Ataliba Leonel até a Rua Luiza Scarpini.

Como opções de trânsito, da Rua Capitão Sérvio Rodrigues Caldas pode entrar a esquerda na Rua Plinio Pasqui para atingir a parte debaixo da Rua Dona Gabriela. Já o destino para chegar na parte de cima da Rua Dona Gabriela é ir até o fim da Rua Capitão Sérvio Rodrigues Caldas entrando à esquerda na Rua Luiza Scarpini.

O que acontece na região

A Prefeitura de São Paulo concede alvarás para os  novos empreendimentos como quem estoura pipocas. Ainda mais depois que mudaram a Lei de Zoneamento. É fácil perceber as demolições de casas e o uso dos terrenos para subir prédios de mais de 20 andares, com residências em espaços menores (35 a 70 m2) para comportar  mais apartamentos por andares. Quanto mais, melhor para a construtora.

Ao mesmo tempo, não é exigido estudos de local — ou se sim, sem grandes transtornos — e consequentemente o “impacto ambiental” não  é seguido à risca. Nestes casos, até sem preocupações nem mesmo com encanamentos de esgoto, de fornecimento de água, de consumo de gás, de fiação na parte elétrica e outros serviços.

Rua Dona Gabriela terá 2.152 moradores

E nem se verifica também o impacto que os novos moradores vão gerar nas ruas dos bairros. No caso da Rua Dona Gabriela, os moradores convivem com um prédio menor de 9 pisos com 4 apartamentos por andar, chegando a 36 apartamentos; outro mais antigo com 20 andares e 4 apartamentos em cada piso, total de 80 apartamentos.

Um outro prédio que está em fase de acabamento apresenta 28 pisos com 10 apartamentos por andar, total de 280 apartamentos. Já com local definitivo, há planejamento de dois prédios (lado a lado) com 28 andares cada e 10 apartamentos por piso, sendo o total de 560 aptos.

Somente na rua, dos 956 apartamentos calcula-se duas pessoas por família em cada apartamento, sendo o total de 1.912 pessoas morando nos prédios. E 956 veículos, sendo um para cada família.

Na rua, há aproximadamente 60 residências em casas e sobrados, atingindo mais 240 pessoas (média de 4 por família) e 60 veículos por garagem (um por família). Sem contar as influências de prédios e pessoas em outras ruas, no entorno, que se utilizam da Rua Dona Gabriela.

Portanto, no cálculo final e encerrando as contas, teremos 2.152 pessoas morando e usando os serviços diariamente. E no cálculo de um veículos por família – o que pode ser alterado — chegamos a 1.016 veículos. E com os estudos da CET e a inversão da mão da Rua Dona Gabriela, poderá haver um fluxo de veículos bem melhor, evitando congestionamentos e situações de clima exaltados.


d