Prédios e espaços públicos contam história de quatro séculos da capital paulista. Na próxima 2ª feira (25jan2021), a cidade de São Paulo completa 467 anos.

Quem passeia pelas movimentadas ruas da capital paulista dificilmente imagina o quanto a paisagem urbana mudou ao longo desses quase cinco séculos. No meio da Mata Atlântica, povoada de índios, jesuítas subiram a Serra do Mar e encontraram nas várzeas entre os rios Piratininga (atual Tamanduateí) e Anhangabaú o local ideal para a construção de uma capela de pau-a-pique, que serviria como habitação, escola e igreja.

Com a presença de jesuítas e índios da região foi rezada a primeira missa, no dia 25 de janeiro de 1554. Havia apenas a cabana de pau a pique e uma cruz. Na data, era comemorado o dia da conversão do apóstolo São Paulo. Então, o colégio ganhou o nome de Colégio de São Paulo de Piratininga.

O local era estratégico. Por ser no alto de uma colina, conseguia-se enxergar possíveis tentativas de invasão. Os rios permitiam a pesca, o plantio e a navegação. Mas a região ficava distante – física e politicamente – da metrópole.

No início do século XIX, a cidade era apenas pouso das tropas que levavam produtos do interior para Santos. O desenvolvimento da economia cafeeira, o fim da escravatura e a presença do imigrante europeu foram o início da transformação da acanhada cidade na metrópole de hoje.

Uma das primeiras grandes transformações na paisagem urbana foi a chegada do trem. Em 1867, a primeira ferrovia paulista foi inaugurada, para transportar o café do estado até o porto de Santos. Nessa mesma época chegou a iluminação – ainda a gás. Na cidade, circulavam bondes puxados a burro. Grande símbolo paulistano, a avenida Paulista foi inaugurada no fim do século XIX, em 1891. A iluminação elétrica, que permitiu bondes de tração elétrica, chegou a São Paulo em 1900.

USP, Parque do Ibirapuera e Catedral da Sé – presentes para a cidade

O dia 25 de janeiro foi a data escolhida para a fundação da Universidade de São Paulo-USP , em 1934. São Paulo ganhou de presente também o Parque do Ibirapuera, o Monumento às Bandeiras e a Catedral da Sé, nas comemorações do IV Centenário da cidade, em 1954. Interessante observar que as comemorações do IV Centenário não ocorreram no dia 25 de janeiro, e sim entre os dias 9 e 11 de julho, como homenagem ao Dia da Revolução Constitucionalista.

Já em 1968, outro presente que a cidade ganhou em seu aniversário foi a inauguração da sede atual da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo – Alesp, o Palácio 9 de Julho.

Bolo do Bixiga

Todos os anos, moradores do bairro da Bela Vista – apelidado de Bixiga – organizam e preparam um grande bolo para comemorar o aniversário de São Paulo. A cada ano, o bolo ganha um metro a mais, totalizando o número de anos da capital paulista. Este ano, porém, a festa vai ser diferente. Para evitar a aglomeração típica da festa, o evento será virtual. Em vez de 467 metros de bolo, 467 vídeos de pessoas parabenizando a cidade com um bolo e uma vela acesa estão sendo editados e serão publicados na internet no dia 25 de janeiro.

Clique aqui e (re)leia a reportagem sobre a história do Bolo do Bixiga e a festa agora dos 467 anos.


<< Com apoio de informações/fonte: Comunicação da Alesp – Texto: Maurícia Figueira – D.O.Legislativo >>

d