Patrícia Lemos, 48 anos, carioca, publicitária, tornou-se influenciadora digital depois que se mudou do Brasil para Portugal. O perfil que criou no Instagram, voltado, principalmente, para brasileiros de todo mundo que deseja morar em cidades lusitanas — @voumudarpara portugal –  em poucos meses atingiu a marca de 121 mil seguidores. É se tornou o Instagram-referência nesse tema.

Segundo Pati Lemos, o brasileiro redescobriu Portugal. Seja pela sua beleza histórica e monumental, ou pela situação difícil que nosso próprio país enfrenta. Em 2018, uma alta de 23,4% em relação ao ano anterior, segundo ao Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), órgão responsável pela imigração no país. Mas muitos se iludem com o sonho de uma vida mais fácil e acabam ficando presos por lá por um simples motivo: falta de dinheiro. Por isso, é bom se preparar e pensar muito antes de tomar essa decisão. Então, o que você precisa para morar em Portugal?

A influenciadora digital  conta que existem basicamente duas formas de se mudar legalmente para Portugal: ou por meio de um visto de residência ou se a pessoa possui a nacionalidade portuguesa ou europeia.

Na primeira opção, existem basicamente:

  1. Visto de trabalho
  2. Visto para empreendedores
  3. Visto de estudante
  4. Visto de aposentado ou detentor de rendimentos
  5. Visto Gold (ou Golden Visa)

Nos  quatro primeiros casos, o processo necessariamente tem que ser feito no Brasil. O Golden Visa é um pouco diferente, pois para obtê-lo é necessário que o candidato invista no mínimo 500 mil euros na compra de imóveis em Portugal.

Na segunda opção, filhos de cidadãos portugueses têm direito à nacionalidade portuguesa e poderão transmiti-la a seus filhos. Netos também podem obtê-la, mas precisam comprovar vínculo com a comunidade portuguesa.

Obviamente só isto não basta. É preciso PLANEJAMENTO. Uma mudança desse porte precisa ser feita com muito cuidado, pois envolve fatores econômicos, psicológicos e sociais.

Como é morar em Portugal? ===  Portugal oferece bons serviços públicos, é um país seguro (em um ranking mundial, é considerado o 3º país mais pacífico do mundo) e tranquilo. “Você passa a conviver com um nível de civilidade e respeito ao ser humano, que parece ter se perdido há muito tempo no Brasil. Não é a Finlândia, mas está muito acima do que estamos acostumados. E o melhor: nada como morar em um país onde se fala a sua língua e as pessoas te entendem, muitas vezes, apenas com um olhar”, declara Patrícia.

Como é morar em Portugal como aposentado? ===  Pati Lemos conta que muitos europeus do norte da Europa escolhem Portugal para viver em sua aposentadoria. “É um país muito mais barato que os seus países de origem e porque tem um clima muito mais ameno”.

Esses não são argumentos que valham para os brasileiros, mas em Portugal vão encontrar um país que valorizam e respeitam profundamente as pessoas que chegam à chamada “melhor idade”. É claro que é preciso considerar que a aposentadoria recebida no Brasil tenha que gerar uma boa renda, para compensar a desvalorização perante o euro e as oscilações do câmbio.

Quanto custa morar em Portugal? ===  Esta é uma pergunta difícil de responder, pois vai depender de uma série de fatores como tamanho da família e o tamanho dos gastos e dos “luxos” cotidianos. Quem tem um nível de vida mais elevado no Brasil pode se frustrar ao tentar reproduzir em Portugal o mesmo status que tem no Brasil. Quem mora em uma casa de um milhão de reais no Brasil não conseguirá comprar uma casa do mesmo nível em Portugal com o mesmo valor (um pouco mais de 200 mil euros). Ou seja, é preciso administrar expectativas. Vai morar longe dos grandes centros, usar a saúde pública, os transportes públicos e os filhos vão estudar em uma escola pública? Considere que 2 mil euros é um valor razoável para uma família de 4 pessoas.

Quer morar em Lisboa, ter carro e seguro saúde e filhos estudando em escola particular? As despesas vão girar em torno de 5 mil euros.

Como é o mercado de trabalho em Portugal? ===  Acostumada com o mercado de trabalho do Brasil, Patrícia Lemos confessa: “É um mercado de trabalho difícil, que não oferece grandes oportunidades, grandes salários e grandes perspectivas de crescimento profissional. Sobra para os brasileiros trabalhos menos qualificados e é comum ver dentistas dirigindo Uber ou pedagogas trabalhando como manicures”, esclarece.  Um  alerta ainda sobre uma boa perspectiva de trabalho para quem trabalha com novas tecnologias, web e inovação, pois há carência desses profissionais no mercado em Portugal.

Qual é o clima em Portugal? ===  É um clima bem mais ameno que no Brasil. Verões por vezes têm dias bem quentes, com a temperatura rondando os 40 graus, mas raramente se verá temperaturas negativas no inverno. No litoral sul, na região do Algarve, é um pouco mais quente e menos frio no inverno. Em Lisboa, no verão as temperaturas oscilam entre 18 e 30 graus; na primavera e no outono, entre 14 e 21 graus, no inverno entre 6 e 14 graus. De qualquer, forma são 300 dias de sol por ano, o que já é um alívio. Mais para o Norte, o clima é um pouco mais frio que Lisboa. Lembrando que até neva em Portugal, no inverno, na famosa região da Serra da Estrela. Isto sem contar as ilhas (o Arquipélago dos Açores e a Ilha da Madeira), que também são Portugal e tem um clima bem agradável, super ameno, sem grandes oscilações. Nem tão quente no verão, nem tão frio no inverno.

Quais os documentos necessários para morar em Portugal? ===  E para viver legalmente em Portugal, é preciso tirar no Brasil um VISTO de residência, que depois será convertido em um TÍTULO ou AUTORIZAÇÃO de residência, já morando em Portugal. Essa autorização será extensiva à família (cônjuge e filhos) por meio do reagrupamento familiar. Quem tem a nacionalidade recebe o passaporte português e o cartão do cidadão. Em ambos os casos, existe um documento chamado NIF (Número de Identificação Fiscal), que seria semelhante ao nosso CPF, que todo mundo precisa ter, e mesmo os estrangeiros que não residam em Portugal podem tirar este documento.

Vale a pena morar em Portugal? ===  Sim, vale a pena, mas ressalta que é preciso ter esse espírito um pouco aventureiro, aquele comichão de quem não fincou raízes tão profundas. “O país é incrível, pelas razões que eu já enumerei, mas as pessoas não podem esperar que Portugal se adapte às suas expectativas. As pessoas é que têm que se adaptar ao novo país. Tentar reproduzir em Portugal um mini Brasil pode gerar muita frustração”, garante Pati.

E atenção, quem e é muito enraizado, não vive sem o pagode e o futebol com os amigos no fim de semana ou não consegue cortar o cordão umbilical com pais, tios e irmãos deve pensar muito bem antes de tomar uma decisão.

Primeiro ponto é refletir profundamente sobre o que o motiva a efetuar essa mudança. Não é o “do que você está fugindo” e sim “o que você está buscando”. Tomada a decisão é preciso avaliar em quais possibilidades, dentre as que eu enumerei, a pessoa se encaixa para poder mudar legalmente para Portugal.

Quais são os 10 passos fundamentais na mudança?

  1. A mudança em si === Decidir se vai vender tudo o que tem no Brasil e comprar de novo em Portugal, desembarcando no país com duas malas de 23 kg. Ou se vai despachar a mudança num contêiner, lembrando que essa opção é infinitamente mais cara que mudar de casa no Brasil. Ou seja, de alguma coisa você terá que desapegar mesmo.
  2. Você vai deixar o Brasil mas o Brasil não vai largar você tão cedo === Certamente vão ficar pendências a resolver, tanto do ponto de vista fiscal, como pequenas coisas cotidianas que talvez exijam a nomeação de um procurador no Brasil para resolvê-las. É o aluguel do seu imóvel no Brasil ou um pagamento de conta que ficou pendente…
  3. Alugar ou comprar um imóvel ===  Fica muito caro alugar um imóvel pelo Airbnb, enquanto procura sua morada definitiva em Portugal. O ideal é chegar já tendo resolvido esses problemas, resolvendo remotamente essas questões.
  4. Contratação de serviços básicos === Água, luz, gás, telefone e internet. Definido o imóvel, muitos desses itens você já consegue resolver antes mesma da mudança.
  5. Ir atrás dos principais documentos === O primeiro, básico e fundamental, é o NIF (Número de Identificação Fiscal). Mas será preciso se inscrever na segurança social e no sistema de saúde, para poder ser atendimento na saúde pública.
  6. Escola para os filhos === O ideal é que eles iniciem o ano letivo em Portugal. Ou seja, que estejam lá no começo de setembro. Isso exige planejamento e busca de escolas, sejam públicas ou privadas com uma certa antecedência.
  7. Abrir conta em banco português === Hoje é possível abrir conta nos chamados bancos digitais, estando ainda no Brasil. E alguns permitem abrir a conta fisicamente, mesmo não estando em Portugal. E ter conta em um banco português é pré-requisito para a maioria dos vistos de residência.
  8. Remessa de dinheiro === Planejar como serão as transferências de dinheiro da conta do Brasil para Portugal. Isso vale especialmente para quem continuará tendo seus ganhos no Brasil.
  9. Transporte === Vai comprar um carro ou usar os transportes públicos? Na grande Lisboa hoje já existem passes mensais bem acessíveis que permitem usar todos os transportes sem limites.
  10. Pets === Se você tem um bichinho de estimação, saiba que é preciso planejamento para levá-lo para Portugal, pois há várias etapas a serem cumpridas e com prazos determinados que não podem ser atropelados.

=== <<<Com apoio de informações/fonte: Thiago Freitas Ass.Imprensa – RJ >> == DiárioZonaNorte é o único veículo jornalístico que reconhece e dá crédito aos profissionais de Assessoria de Imprensa / Relações Públicas / Agências —que muito trabalham nos bastidores da notícia >>>

LimpaSP – estréia

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora