da Redação DiárioZonaNorte ===

O Prêmio Caio,   considerado o “Oscar da Indústria de  Eventos”, está com suas inscrições abertas.  Criado em 1999, e tem como objetivo reconhecer e valorizar o trabalho de empresas e profissionais que atuam na área de Eventos e Turismo e é a única premiação do setor.  A curadoria é de Sérgio Junqueira Arantes.

Podem ser inscritos trabalhos realizados entre 1º de julho de 2017 e 30 de junho de 2018. “São 23 categorias no segmento de Eventos, 17 categorias no segmento de serviços, mais 4 categorias no Prêmio Caio Sustentabilidade”, afirmou Sergio Junqueira Arantes.

Na 18ª edição, em 2017, foram inscritos 461 trabalhos e, depois da análise da curadoria, 338 se credenciaram para a competição.   Para a 19ª Edição espera-se uma  ampliação sensível das inscrições,  seja no número de empresas participantes, seja na quantidade de cases.

Também estão abertas s inscrições para a 8ª Edição do Prêmio Caio Sustentabilidade, que reconhece as iniciativas de práticas sustentáveis em toda a Indústria Brasileira de Eventos e Turismo de Negócios.  Podem se inscrever trabalhos em qualquer das vertentes da sustentabilidade: ambiental, social ou econômica. Curadoria é de Lívio Giosa. Além do Jacaré de Ouro, Prata e Bronze para os três melhores cases de cada categoria, o Prêmio Caio Sustentabilidade certificara todos os trabalhos com nota superior a 8.

A Cerimônia de Premiação já está programada para acontecer no dia 11 de dezembro, e pelo sexto ano consecutivo será realizada no Centro de Convenções do Expo Center Norte, Patrocinador Master Prêmio Caio 2018.

As inscrições estão disponíveis pelo site www.premiocaio.com.br.

Quem foi Caio de Alcântara Machado ===  O nome do prêmio homenageia  Caio de Alcântara Machado, profissional pioneiro na área de feiras de negócios e eventos no Brasil.    Caio era um visionário. Seu primeiro evento foi a Feira Nacional da Indústria Têxtil – FENIT. A primeira edição aconteceu em 1958 e foi aberta pelo então presidente Juscelino Kubistchek, ao lado do governador Jânio Quadros e do marechal Henrique Teixeira Lott, e mesmo com o estouro de público e expositores, deu prejuízo até a sétima edição. Em 1960,  criou o Salão do Automóvel  quando as primeiras montadoras mal tinham chegado ao país.

O Jacaré ===  O troféu do Prêmio Caio tem o formato de um Jacaré e foi inspirado em uma frase constantemente dita por Caio, depois de escutar de um apostador contumaz do jogo do bicho a expressão “Um dia vai dar jacaré”,  adotou para si a frase e sempre a repetia, quando questionado sobre a lucratividade de algum empreendimento, ele prontamente repetia:   “Um dia vai dar jacaré!”   Através dos tempos, dezenas, centenas de quadros e alegorias de jacarés foram se espalhando pelo  escritório de Caio de Alcântara Machado, presenteadas por seus amigos e admiradores.

Foto: José Cordeiro/SPTuris.

Caio e o desenvolvimento da Zona Norte  ====   A iniciativa de levantar o Anhembi foi de Caio de Alcântara Machado.  Em 1966, após uma audiência particular com o então prefeito Prestes Maia, Caio falou da intenção de construir um gigantesco  Pavilhão de Exposições no terreno de 510.000 m², de propriedade da Prefeitura de São Paulo, nas margens do Rio Tietê.    A Prefeitura cederia o terreno em comodato e Caio faria a construção.

No mesmo terreno,   Julio Mesquita (do jornal O Estado de São Paulo) queria a área para uma  nova Santa Casa de Misericórdia e  Mario Amato  (da Springer  S.A) queria  construir um “Maracanã”.

O empreendimento foi autorizado em  1967, e por meio de  lei municipal cedeu a área às margens do Tietê em comodato por 40 anos à CIESP – Centro das Indústrias do Estado de São Paulo, que por sua vez delegou a construção à Alcântara Machado S/A Comércio e Empreendimentos.  Nascia assim o Centro Interamericano de Feiras, cuja pedra fundamental foi lançada em julho de 1968, num espaço de aproximadamente 400.336 m².

O projeto === A construção começou em fevereiro/março e foi até outubro de 1970, com uma duração de aproximadamente 270 dias, com um projeto inicial orçado em  US$ 100.000.000,  de autoria do arquiteto urbanista  Jorge Wilheim.  O Pavilhão é a  maior cobertura do mundo com vão livre.

Comodato cancelado === Em 20 de novembro de 1970, o Pavilhão de Exposições do Anhembi foi inaugurado com a realização do “VII Salão Automóvel”, se consagrando como evento inaugural do Parque Anhembi.  Em 1975, a Prefeitura cancelou o comodato com o CIESP  e passou a administrar o local.    Nas  mãos da administração municipal, o Anhembi  praticamente parou no tempo e não se modernizou.

Oportunidade de mercado ===  O  Expo Center Norte, local que sediará pela sexta vez o Prêmio Caio,  foi inaugurado em novembro de 1993, ocupando uma área de 35 mil m² e consolidou a Zona Norte da cidade de São Paulo como o polo de feiras e congressos.  Com a crescente demanda de eventos, a área do complexo foi aumentada gradativamente e hoje ocupa  98 mil m2,  distribuídos em cinco pavilhões e 21 auditórios.

O Centro de Convenções, de característica modular, foi projetado para receber até 4.500 pessoas simultaneamente, tornando-se o maior de São Paulo. A ampliação da área de pavilhões e com a construção do novo Centro de Convenções, em 2009, passou a ser  um dos mais versáteis e completos locais de eventos do Brasil.

Quem faz o Prêmio Caio ===  O  Prêmio Caio é promovido pela  Revista Eventos,  da  Eventos Expo Editora.  O Prêmio é gerido por um Conselho diretor , que em 2017, foi formado pela  ABEOC Brasil – Associação das Empresas de Eventos; ABIH – Associação Brasileira da Indústria de Hotéis; ABRACCEF – Associação Brasileira dos Centros de Convenções e Feiras; ACADEMIA Brasileira de Eventos e Turismo;  AMPRO – Associação de Marketing Promocional; UBRAFE – União Brasileira de Promotores de Feiras; e UneDESTINOS – União Nacional das Entidades de Destinos e EXPO Editora.

ObraFácil

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora