23.8 C
Sao Paulo
quarta-feira, 23 outubro, 2019
Investir e Ganhar
Home Estilo de Vida Bem Estar & Saúde Vacinação contra a gripe mostra baixa adesão em crianças

Vacinação contra a gripe mostra baixa adesão em crianças

A campanha de vacinação contra a gripe está prevista para ser encerrada na próxima semana, em 1º de junho, mas a adesão ainda está abaixo do esperado. Entre os grupos prioritários para receber a dose nas unidades de saúde do município, a menor adesão está entre crianças de 6 meses a menores de 5 anos. Até 4ª feira (23/05/2018), foram aplicadas pouco mais de 196 mil doses em crianças desta faixa etária, o que representa cobertura de 29,1%.

A baixa imunização infantil é preocupante, uma vez que as crianças são mais suscetíveis a doenças respiratórias comuns nos meses de baixas temperaturas, especialmente quando associadas à baixa umidade.

“Temos um aumento considerável nos atendimentos infantis nesta época do ano, por isso, é importante que os pais e responsáveis levem as crianças para receber a vacina para maior proteção antes do início do inverno”, aconselhou o secretário municipal da saúde, Wilson Pollara.

A vacina que protege contra três subtipos do vírus da gripe (H1N1, H3N2 e Influenza B) está disponível em todas as unidades de saúde para os grupos prioritários, que são as pessoas mais vulneráveis ao desenvolvimento de quadros mais graves de doenças respiratórias.

Meta é chegar a 90% de imunização ===  Além de crianças entre 6 meses e menores de 5 anos, também integram o público-alvo da campanha os profissionais de saúde, população com 60 anos de idade ou mais, população indígena, gestantes e puérperas (mulheres que estão no período de até 45 dias após o parto), professores, pessoas com doenças crônicas e outras comorbidades.

Desde o início da campanha, em 23 de abril, foram aplicadas 1,6 milhão de doses, totalizando cobertura geral de 51,2% dos grupos elegíveis. A meta é chegar a 90% de cobertura. Além das crianças, a adesão também é baixa entre as grávidas, com 30,7% imunizadas até o momento. População indígena e pessoas com 60 anos ou mais possuem a maior cobertura, com 67,8% e 64,9%, respectivamente.

Para receber a dose, é preciso levar documento de identificação e, se possível, a carteira de vacinação e cartão SUS. Os profissionais de saúde e educação precisam apresentar holerite ou crachá de identificação. Portadores de doenças crônicas e outras comorbidades devem levar a receita da medicação que faz uso com data dos últimos seis meses.

Público-alvo para Influenza e cobertura até o momento:

Grupos

População

Doses  aplicadas

Cob %

Crianças de 6 meses a < 5 anos

688.484

196.410

29,1%

Trabalhadores da  Saúde

465.037

227.821

49%

Gestantes

131.880

38.510

30,7%

Puérperas

21.679

10.448

50,7%

Indígenas

1.509

1.051

67,8%

Adultos com 60 anos e mais

1.352.785

877.869

64,9%

Pessoas com comorbidade

617.155

213.361

34,5%

 <Com apoio de informações/fonte: Secretaria Especial de Comunicação – Secom/PMSP >
ObraFácil

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora