Da Redação DiárioZonaNorte ==

Agora é oficial. Ultrapassamos nesta 5a. feira (02/04) a marca mundial de um milhão, quatorze mil, seiscentos e setenta e três  pessoas  infectadas pela Covid-19, confirmando as projeções da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Desde o início da pandemia na China, no fim de dezembro, menos de dois meses foram necessários para o mundo bater a marca de 100 mil casos confirmados – número atingido no dia 6 de março. Esse total dobrou em 12 dias (200 mil casos em 18 de março) e agora está crescendo mais cinco vezes em apenas 15 dias. Nesta semana, o número de novos casos da Covid-19 tem crescido a um ritmo de mais de 60.000 por dia.

Os dados são da Johns Hopkins University, localizada em Baltimore – nos EUA, que construiu e atualiza regularmente um painel on line – para rastrear a disseminação mundial do surto de coronavírus iniciado na cidade chinesa de Wuhan. O site exibe estatísticas sobre mortes e casos confirmados de coronavírus, causador da Covid-19,  em um mapa mundial.  Os visitantes podem baixar os dados gratuitamente.

Os números no mundo ===  Os países com mais casos da Covid-19 são os Estados Unidos (244.678), a Itália (115.242), Espanha (112.065) e Alemanha (84.788). Os dados da Johns Hopkins indicam ainda 52.973  vítimas e 210.355  pessoas curadas.

No Brasil ===  De acordo com o monitoramento da Johns Hopkins, o Brasil apresenta 8.044 casos confirmados, com 324 mortes e 127 pacientes curados e 7.593 pessoas em tratamento. Um pouco diferente do informado no boletim do Ministério da Saúde, desta 5a. feira (02/04) – 18h06. O relatório apresentava 7.910 casos confirmados de coronavírus, com 299 mortes. Desde que começou a emitir os boletins, o Ministério da Saúde, por falta de exames que confirmem a doença optou por não informar o número de pessoas curadas ou em tratamento. 

São Paulo, o epicentro da doença == Ainda, de acordo com o boletim do Ministério da Saúde, a  maior parte dos casos está em São Paulo, que concentra 188 mortes e lidera a lista nacional com 3.506 casos confirmados da doença e 188 mortes. Os números estão consolidados com as informações que são repassadas diariamente pelas Secretarias Estaduais de Saúde ao Ministério da Saúde até às 14h.

O Painel da Johns Hopkins  ===  As estatísticas por trás da visualização de dados são  coletadas da Organização Mundial da Saúde, dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças, da Comissão Nacional de Saúde da República Popular da China e do Dingxiangyuan, um site de rede social para profissionais de saúde que fornece em tempo real informações sobre casos.

“Criamos esse painel porque achamos importante que o público entenda a situação do surto à medida que ela se desenvolve com fontes de dados transparentes”, afirmou Lauren Gardner, co-diretor do Johns Hopkins Center for Systems Science and Engineering.

“Para a comunidade de pesquisa, esses dados se tornarão mais valiosos à medida que continuarmos a coletá-los ao longo do tempo”,  continua  o co-diretor. ” Dados de casos em nível local  de Dingxiangyuan, relatórios da mídia e CDC locais podem fornecer avaliações mais oportunas do surto, em comparação com as organizações de relatórios em nível nacional, que demoram mais para filtrar”, conclui Lauren Gardner.

 

credito_sicredi

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora