por Aguinaldo Gabarrão (*)

Se você não gosta de comédias românticas, então recomendo que você assista Um Amor Inesperado, porque embora esteja nesta classificação, vai além do que este subgênero pode oferecer.

Marcos (Ricardo Darín) e Ana (Mercedes Morán) são casados há 25 anos. Com a ida do único filho do casal para o exterior, os dois começam a se questionar sobre o que o futuro lhes aguarda e decidem se separar para viver novas experiências. Em meio a aventuras bem-humoradas e descobertas sobre o amor e a rotina, os dois terminam, cada um, por encontrar um romance inesperado.

O oceano e suas possibilidades === Logo no início a câmera passeia por uma biblioteca enquanto é lido por Marcos um trecho do livro Moby Dick, de Herman Melville, no qual a personagem do livro revela a necessidade de navegar para conhecer o ambiente líquido, quando não se tem mais nada de interessante em terra firme.

Esse recurso dramatúrgico simples e, ao mesmo tempo eficaz de intertexto estabelece logo no início do filme a questão central na relação do casal: a busca por um sentido para que duas pessoas permaneçam unidas.

E, quando a resposta não vem com a rapidez da pergunta – o que é mais do que natural – então, o casal em comum acordo, resolve dar um ponto final na relação e, a partir daí, o oceano citado no trecho do livro, torna-se a metáfora que se identifica aos novos relacionamentos e suas possibilidades que surgirão na vida do ex-casal.

A vida de solteiros === O roteiro de Daniel Cúparo e do diretor Juan Vera explora o humor em diálogos ágeis, porém, sem deixar de lado o aspecto do conflito pessoal que acompanha tanto Marcos (Darín) quanto Ana (Morán). Assim, fica claro que o desgaste do relacionamento já estava encaminhado e que a viagem do filho apenas precipita os fatos.
Ao encontrarem novas e vulcânicas paixões, Marcos e Ana se deparam com diferentes estilos de vida e comportamentos que irão cutucar suas crenças e valores. Assim, na convivência do dia-a-dia com os parceiros que se sucedem ao longo dos anos, as pequenas manias dele e as tiradas ferinas dela, ganham maior importância e revelam mais de um e de outro. Para ambos será um mergulho no autoconhecimento.

Humor e crítica === O diretor Juan Vera dá à trama a necessária cadência, sem atropelos ou correrias. O tempo interior das personagens é respeitado e, dessa forma, Vera convida o público ao exercício de identificar-se em algum momento com aquelas histórias.
O roteiro equilibra com grande competência o humor em situações engraçadas e, dá algumas alfinetadas à hipocrisia existente nos casamentos, mantidos à custa das escapadas de um e de outro lado. São hilárias as sequencias em que Marcos tem seu primeiro encontro amoroso com uma ortodontista e Ana, que se envolve com um perfumista de comportamento estranho.

A dupla certa === O elenco afinadíssimo conta com Mercedes Morán (Sueño Florianópolis), precisa nos subtextos (o que está por traz da fala, o duplo sentido) e forma um par equilibrado com Ricardo Darín, que compõe sua personagem numa aparente fortaleza racional e, aos poucos, revela outras particularidades do professor Marcos.
Um Amor Inesperado é um bom filme que conta com a produção do ator Chino Darín (Uma Noite de 12 anos), sendo o quadragésimo filme de Ricardo Darín que comemora seus 47 anos de profissão dedicados à sétima arte.

Assista ao trailer do filme:

FICHA TÉCNICA
UM AMOR INESPERADO

(Título original: El Amor Menos Pensado) == Distribuição: Pandora Filmes

Direção: Juan Vera / Roteiro: Daniel Cúparo e Juan Vera / Direção de Fotografia: Rodrigo Pulpeiro / Montagem: Pablo Barbieri Carrera / Produção: Chino Darín, Christian Faillace, Federico Posternak, Juan Pablo Galli, Juan Vera, Ricardo Darín / Estúdio: Boneco Films, Instituto Nacional de Cine y Artes Audiovisuales (INCAA), Kenya Films, Patagonik Film Group /// Elenco: Ricardo Darín, Mercedes Morán, Claudia Fontán, Luis Rubio, Andrea Pietra, Jean Pierre Noher, Claudia Lapacó, Chico Novarro, Gabriel Corrado, Andrea Polliti
Gênero: comédia romântica / Duração: 2 horas e 16 minutos / Idioma: espanhol / Cor: colorido / Classificação indicativa: 12 anos / País: Argentina / Ano de Produção: 2018
Lançamento: 14 de março de 2019 (previsão)


(*) Aguinaldo Gabarrão, ator. Trabalhou com diretores de diferentes estilos e gerações. Adora cinema. Atua também no segmento corporativo por meio de cursos, treinamentos e palestras com as técnicas do teatro.

Nota da Redação: As críticas publicadas neste espaço são de inteira responsabilidade de seus autores. As opiniões nelas emitidas não exprimem, necessariamente, o ponto de vista do “DiárioZonaNorte” e nem de sua direção.

 


 

Institucional Trevo

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora