16.5 C
Sao Paulo
sábado, 21 setembro, 2019
Center Norte Youtube
Home Notícias Cidadania Tem alguém desaparecido? Veja os caminhos de ajuda para localização.

Tem alguém desaparecido? Veja os caminhos de ajuda para localização.

Você sabia que a Prefeitura de São Paulo tem uma Divisão de Desaparecidos? O trabalho é desenvolvido na Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC) e consiste no cruzamento de dados dos serviços da rede pública, da Delegacia de Pessoas Desaparecidas e do Ministério Público, por meio do Programa de Localização e Identificação de Desaparecidos (PLID), para efetuar as buscas.

“A primeira orientação é efetuar o Boletim de Ocorrência. Não é necessário aguardar 24h, 48h ou 72h. A pessoa saiu da rotina normal dela eu já recomendo que seja feito o registro do desaparecimento”, destaca o coordenador da Divisão de Desaparecidos, Darko Hunter.

Caso não seja possível fazer o Boletim de Ocorrência (B. O.) em um Distrito Policial (DP), o boletim pode ser feito via internet por meio do site www.ssp.sp.gov.br/nbo. Para efetuar o registro é necessário o fornecimento dos telefones de contato e um email para o recebimento do boletim eletrônico.  Após efetuar o boletim de ocorrência as pessoas interessadas no serviço ofertado pela Divisão de Desaparecidos devem contatar a divisão via WhatsApp (11 97549-9770)Facebook, ou preencher o formulário disponível no site da SMDHC.

Com o formulário em mãos, o departamento faz a checagem das informações e entra em contato com o solicitante e, em seguida, faz o cadastro de um alerta de desaparecimento nos serviços de acolhimento da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS), além de verificar junto à Secretaria Municipal da Saúde (SMS) e ao Instituto Médico Legal (IML) se há algum registro sobre essa pessoa. Após esse processo é feito um cartaz para divulgação no Facebook.

Segundo Darko, o reencontro é opcional. “Quando recebemos a informação que uma pessoa desaparecida está em um dos nossos serviços, a primeira orientação é que o serviço social entre em contato com essa pessoa, faça uma entrevista verificando se as informações estão corretas e se ela deseja um contato com o familiar. Caso ela opte por não encontrar o familiar, ela é encaminhada até a delegacia de pessoas desaparecidas onde ela informa que tem ciência do desaparecimento, porém não deseja esse contato com o familiar”, explica.

O departamento também possui uma articulação junto aos IMLs central e norte que faz uma relação com os corpos não reclamados. Com o cruzamento de dados como filiação e outras informações, a Divisão de Desaparecidos também faz a busca por familiares que possam ajudar o instituto no reconhecimento do corpo.

“Os casos que chegam até nós, em sua maioria, são relacionados a problemas de saúde mental, idosos que acabam se perdendo, dependentes químicos e conflitos familiares. A maior parte são homens com idade entre 25 e 69 anos e não há uma classe social. Qualquer um, rico ou pobre, pode desaparecer”, finaliza Hunter.

Atendimento na região da Luz ===  Devido à grande demanda de pessoas que percorrem as ruas na região da Luz em busca de informações sobre seus parentes desaparecidos, a Divisão de Desaparecidos conta com um posto avançado de atendimento dentro do Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop), na rua Mauá, nº 36 – próximo à Estação Júlio Prestes.  O serviço funciona de 2ª a 6ª feira, das 9 às 17 horas. << Com apoio de informações/fonte: Secretaria Especial de Comunicação-Secom/PMSP >>

Leia também:

Darko Hunter e os caminhos que ajudam a encontrar pessoas desaparecidas
ProntVet

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora