da Redação DiárioZonaNorte ===

<< Em primeira mão >> === “É muito triste!, em 15 minutos a água sobe rapidamente e invade nossas casas”, reclamava no ano passado uma das moradoras da região do Tremembé, na Zona Norte. “Perdi tudo que conseguimos com muito sacrífício e comprado a prazo”, era outro comentário. E centenas de famílias passaram pela  mesma situação no passado em consequência  das cheias e da sujeira no Córrego da Paciência.  O noticiário de televisão mostra cenas chocantes e tristes com ruas e casas invadidas. Quanto se falou no passado, em reuniões e em audiências públicas, e nada foi feito. Um problema histórico de mais de 50 anos.

Com menos expectativas === Sem criar alardes e falsas promessas, o governo municipal vem trabalhando nas obras do Córrego do Paciência. E na 5ª feira passada (11/04/2019), o subprefeito Alexandre Baptista Pires, de Jaçanã/Tremembé, reuniu os moradores da região na área de convivência da Escola Municipal de Ensino Fundamental – EMEF Lourenço Filho, na Vila Constança – local de ensino por nove anos do próprio subprefeito, morador da região, que lá frequentou do pré até a 8ª série –, para dar boas notícias e esclarecimentos sobre as obras de canalização do córrego.

As boas notícias da noite === Ali nos bancos de madeira e cadeiras improvisadas no salão de entrada da escola, o subprefeito lançou, diante de cerca de 60 pessoas e moradores,  que em 40 dias começam as obras, à cargo da Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana-SIURB,  do Trecho 4 do projeto de canalização do Córrego da Paciência, que corresponde ao trecho entre a Praça Santa Constança até o terreno onde encontra-se a  Sociedade Amigos da Vila Constança-SAVIC – que está na jurisdição da Subprefeitura Santana/Tucuruvi/Mandaqui, localizada na Av.Jardim Japão quase esquina da Av. Júlio Buono. Neste local será construído um reservatório  (conhecido como “Piscinão”), que vai ser “tamponado” e ficará no subsolo da SAVIC para a reservação de 129 mil metros cúbicos das águas das cheias – no projeto inicial eram 150 mil m3.

A SAVIC reconstruída === Depois de terminada a obra do “piscinão”, o local será reconstruído com melhorias e devolvido à SAVIC, com o terreno de superfície para uso da entidade e da comunidade – com áreas de lazer, campo de futebol e quadras poliesportivas. “Não vamos perder a Associação!”, declarou o subprefeito – que foi aplaudido pela plateia. E acrescentou que a SAVIC tem um trabalho social importante e “a intenção é não prejudicar ninguém”. E para diminuir o impacto no local para a SAVIC, a capacidade do “piscinão” foi diminuída para 129 mil metros cúbicos de água. < Ver aqui vídeo mostrando a íntegra do projeto >  E para a execução da obra, o governo do estado, em acordo,  está cedendo o terreno da SAVIC à Prefeitura de São Paulo.

Sem desapropriações === Outra novidade aos moradores, que rendeu muitas palmas dos presentes, foi o anúncio do subprefeito: “Neste trecho, não haverá desapropriações!”.  E Alexandre Pires lembrou que “é necessário ter responsabilidade quando se fala de moradias, tratando o assunto com dignidade”, pois segundo ele “anos atrás houve diversas reuniões para discutir a questão das desapropriações”, o que nada aconteceu e gerou preocupação para os moradores. “Se houver qualquer tratativa de uma possibilidade de desapropriações, em outras etapas do Córrego da Paciência, o tratamento será caso a caso pela Secretaria Municipal da Habitação – Sehab, com seriedade”. E alertou para os moradores “não darem ouvidos às especulações. qualquer informação por parte da Sehab acontece oficialmente”. O subprefeito deixou claro que as residências mexem diretamente com as pessoas e com as famílias, que precisam ter seriedade nas informações. E, segundo ele, a responsabilidade do poder público é muito grande, com muito cuidado para não criar falsas expectativas – junto às falsas notícias que correm pela região.

Sem enchentes === Em um momento, o subprefeito perguntou se as últimas chuvas afetaram algumas ruas que eram constantes nas enchentes, e moradores informaram que não aconteceram como anteriormente. Neste processo, entram também os serviços de zeladoria da Subprefeitura, com limpeza de bueiros — nos dois anos de gestão foram mais de 20 mil bueiros– e tratamento de galerias.   O subprefeito ainda respondeu dúvidas da plateia, depois de quase uma hora de reunião e  importância das obras para a região. Depois, ao terminar,  o subprefeito foi cercado  pelos moradores, com carinhos e elogios ao seu trabalho na região do Jaçanã/Tremembé. Deu novas orientações às dúvidas.  E posou para algumas fotos e selfies. Uma reunião tranquila que deixou o assunto às claras.

Outras etapas do Paciência === O córrego Paciência tem uma extensão de cerca de 4 quilômetros e nasce junto a rua Cruz de Malta, segue paralelo a avenida Júlio Buono por 3 quilômetros, atravessa a avenida Mendes da Rocha e segue paralelo a avenida Sanatório por mais 900 metros, até passar sob a rodovia Fernão Dias por mais 260 metros, até desaguar na margem direita do Rio Cabuçu de Cima. No último dia do ano de 2018, foi assinado a autorização para execução da segunda etapa do Termo de compromisso entre a Prefeitura de São Paulo e o Ministério das Cidades para melhorias no Córrego da Paciência. O acordo prevê a execução da canalização associada a implantação de um reservatório para o amortecimento de cheias, parque linear ribeirinho e sistema viário no córrego e afluente, com repasses do Governo Federal de mais  R$ 143 milhões. << Veja aqui mais sobre a canalização do Córrego da Paciência >>

Mais controle de córregos === Uma das novidades é que já está concluído o Trecho 1, do Rio Cabuçu até a Fernão Dias, com 260 metros. Agora será implantado o novo trecho e, segundo previsões da SIURB, a a conclusão total da obra deverá acontecer em 2021. Essas obras de canalização do Córrego Paciência vêm solucionar um problema histórico de muitos anos de alagamentos. No começo da gestão, as fortes chuvas provocaram perdas na região da Vila Constança e Edu Chaves. Com o desassoreamento do Rio Cabuçu e também do Córrego da Paciência não houve mais registro de perdas, a situação se manteve em equilíbrio, ou seja, ninguém perdeu nada na região. Há ainda o Córrego Piqueri, que é menor e perto do CEU Jaçanã. Ele é afluente do Rio Cabuçú,e  também será tratado.

Por outro lado, a Subprefeitura acompanha também outro projeto de canalização do Córrego Tremembé. No Córrego Tremembé (ZN), tiveram início em junho de 2018 as obras do reservatório R3, e sendo agora finalizado.  Ainda no Córrego Tremembé, em outubro de 2017 foram concluídas as obras de canalização entre as ruas Imbiras e Casuarinas, em julho de 2018 foram concluídas as obras de canalização entre a Av. Coronel Sezefredo Fagundes e Rua Rodolfo Cavinato. Também estão em andamento obras de microdrenagem na Rua Bernardino Antunes Silva.    (ver aqui o link do vídeo)

Mais informações: Leia mais sobre os Córregos da Paciência e do Tremembé, com um balanço do ano de 2018 e os serviços de zeladoria com a entrevista coletiva do subprefeito Alexandre Pires. Clique aqui para  ser redirecionado à reportagem.

TRANSMISSÃO AO VIVO === Assista a primeira parte da apresentação do subprefeito Alexandre Pires. Clique aqui.

 


 

 

 

 

Inauguração loja

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora