São Paulo acaba de ganhar 42 esculturas e monumentos históricos recuperados, depois de um minucioso processo de limpeza e restauração. São obras de artistas consagrados, nomes icônicos da arte brasileira, instaladas em regiões emblemáticas da cidade, como a Praça da Sé, a Avenida Paulista e o Parque Ibirapuera. A iniciativa foi patrocinada pela Bombril, com realização da Sequóia Produções, em parceria com o Ateliê Julio Moraes e apoio do Governo do Estado de São Paulo e da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. “Queremos preservar o patrimônio cultural de São Paulo e chamar atenção às obras importantes, feitas por artistas que ajudaram a construir a história da arte no Brasil”, diz Eduardo Lara Campos, diretor da Sequóia Produções.

Registro de tudo === O longo processo de recuperação foi documentado com registro fotográfico e em vídeo. O material foi compilado em um catálogo impresso e digital que será lançado e distribuído gratuitamente no feriado de 9 de julho, no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM São Paulo). Na ocasião, também serão exibidas duas sessões do documentário Conservação de Esculturas em Espaços Públicos, que mostra todos os detalhes da ação. O trabalho de recuperação foi dividido em três fases e cada uma das obras recebeu cuidados específicos, feitos de acordo com seu estado de preservação. Foram retiradas manchas de pichações e desgastes ocasionados por intempéries diversas, realizadas pinturas e polimentos, além da instalação de coberturas para protegê-las e facilitar futuras limpezas.

Primeira fase === A primeira fase, que aconteceu de novembro a dezembro de 2018, recuperou as nove esculturas da Praça da Sé. Entre os destaques, Abertura (1970), escultura em aço de Amilcar de Castro; Voo (1967), de Caciporé Torres; Nuvem Sobre a Cidade (1979), de Nicolas Vlavianos; Emblema de São Paulo (1979), de Rubem Valentim; e as esculturas sem título de Mario Cravo Júnior, em aço inoxidável, e de Sergio Camargo, em mármore carrara. Para além das esculturas, uma obra de extrema importância para a capital: o marco zero da cidade, prisma hexagonal revestido de mármore e bronze, idealizado por Jean Gabriel Villin e Américo Neto e instalado no centro geográfico de São Paulo.

Segunda fase ===A segunda etapa, realizada entre janeiro e fevereiro deste ano, contemplou as três emblemáticas esculturas do Parque Trianon, na Avenida Paulista:  Fauno (1944), de Victor Brecheret; Anhanguera (1935), de Luís Brizzolara; e Busto de Joaquim Eugenio de Lima (1952), de Roque de Mingo.

Terceira fase === Concluída em junho, recuperou as 30 obras do Jardim de Esculturas do MAM São Paulo, no Parque Ibirapuera, um dos principais acervos brasileiros expostos a céu aberto. São monumentos projetados por importantes nomes da cena contemporânea do País, com obras como Aranha (1981), de Emanoel Araújo; Carranca (1978), de Amilcar de Castro; Laminescate (1991), de Luiz Hermano; Sem título (1997), de José Resende; Sete ondas – uma escultura planetária (1995), de Amelia Toledo; Cantoneiras (1975), de Franz Weissmann; e Corrimão (1996), de Franz Weissmann.

“O acesso à cultura é transformador, abre precedentes de novos horizontes e perspectivas para a sociedade. Concluímos esse ambicioso projeto com o orgulho de ajudar a preservar a memória do nosso País”, afirma Guilherme Auger, diretor de marketing da Bombril.


Sobre a Bombril === A marca conquistou milhares de lares no Brasil inteiro com um produto revolucionário: a lã de aço. Com o tempo, a marca foi crescendo e se desenvolvendo até se tornar o que é hoje: grande aliada dos consumidores na limpeza e cuidado com a família. Detentora de marcas consagradas como Limpol, Mon Bijou, Sapólio Radium, Kalipto e Pinho Bril, tornou o seu principal produto – a lã de aço – sinônimo de categoria e líder absoluta no mercado brasileiro. Há 71 anos, a Bombril faz parte do dia a dia dos consumidores. O público confia na Bombril e essa credibilidade tornou a empresa líder absoluta em vários segmentos. É uma marca sólida e confiável, que visa o crescimento focado no futuro de maneira sustentável, trabalhando em conjunto com parceiros e colaboradores.


Serviço:

Lançamento/distribuição:

Catálogo Conservação de Esculturas em Espaços Públicos:

  • Data: 09/07/2019  (3ª feira)
  • Horário: das 11  às 17 horas
  • Local: Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM São Paulo)
  • Endereço: Parque Ibirapuera – Av. Pedro Álvares Cabral, s/n° – Vila Mariana

Exibição do documentário Conservação de Esculturas em Espaços Públicos:

  • Data: 09/07/2019 (3ª feira)
  • Horário: às 15 e às 17 horas
  • A entrada: ordem de chegada e ingressos distribuídos uma hora antes de cada sessão
  • Local: Auditório Lina Bo Bardi | MAM São Paulo
  • Endereço: Parque Ibirapuera – Av. Pedro Álvares Cabral, s/n° – Vila Mariana

Assista ao vídeo de apresentação:


<< Com apoio de informações/fonte:  A4&Holofote Assessoria de Imprensa >>

IBCC Institucional

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora