Depois de mais de um ano com contratos emergenciais, a Prefeitura de São Paulo, por meio da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb) anunciou neste sábado (09/03/2019) as seis empresas e consórcios vencedores do processo licitatório dos contratos de varrição do Município. Ao todo, os contratos geram uma economia mensal de 14,5 milhões de reais e, com os três anos de contrato, uma economia global de mais de 524,8 milhões aos cofres públicos, propondo ainda melhorias nos serviços prestados.

“Com a estratégia de dividir a cidade em seis lotes e somente uma empresa ou consórcio trabalhar em cada um, abre-se um aumento de competitividade. Logo, conseguimos ampliar a concorrência para mais empresas e, assim, garantir o melhor preço, junto com qualidade de serviço. A Amlurb recebeu 18 propostas e hoje estamos anunciando as seis vencedoras. É um resultado extremamente significativo para a cidade de São Paulo” comenta Edson Tomaz de Lima Filho, presidente da autarquia.

Ao todo, foram 35 dias de análise das documentações recebidas no processo licitatório, no qual a Comissão Especial de Licitação (CEL) iniciou na 6ª feira (08/03) o julgamento dos documentos de habilitação dos envelopes abertos na sessão pública realizada entre 18 de janeiro e 25 de fevereiro. Na análise em questão, foram levadas em consideração todas as exigências propostas no edital como habilitação jurídica, regularidade fiscal e trabalhista, qualificação econômica e financeira, qualificação técnica, Recursos materiais – equipamentos, equipamentos e pessoal.

Empresas vencedoras por lote:

  • Lote I –   Corpus Saneamento e Obras LTDA
  • Lote II –  Sustentare Saneamento S/A
  • Lote III – Consórcio Locat SP
  • Lote IV – Consórcio Limpa SP
  • Lote V –  Consórcio SP Mais Limpa
  • Lote VI – Consórcio Ecoss Ambiental

Nota da Redação: Com o objetivo de prestar mais informações  de interesse aos moradores/munícipes de nossa região, o DiárioZonaNorte solicitou à Secretaria Especial de Comunicação (Secom),  nesta 2ª feira, às 11h45, as regiões/subprefeituras que estarão sob as responsabilidades de cada empresa/consórcio nos lotes acima. Uma informação de utilidade (que já deveria ter sido providenciada) sem muita pesquisa, de bate-pronto, rápida – já que consta no processo do edital. Foi dado o prazo (deadline) até 12h15 para fechamento desta matéria. Tivemos que cobrar da Secom, que não tinha a resposta por volta das 13h40; mais tarde retornamos a cobrança, por volta das 16h40, e não havia resposta. E tentaram transferir o assunto para a Secretaria Municipal das Subprefeituras e a nossa Redação deveria ligar para lá. O que não foi feito.  Ficamos aguardando por mais de uma hora, até a publicação da matéria. Mais uma vez, foi demostrada toda a ineficiência e a burocracia que se encontra, já algum tempo, a área de Comunicação da Prefeitura de São Paulo. Ninguém resolve ou responde por nada.


Os recursos === Depois deste anúncio, está previsto um prazo de cinco dias úteis (de 11 a 15 de março) para as demais empresas que participaram do processo licitatório entrarem com recurso. Caso haja recursos, as que forem nomeadas têm mais cinco dias para se manifestarem.  Com isso, a Comissão Especial de Licitação (CEL) da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb) analisa os documentos e julga a procedência para homologação.

Melhorias no edital ===  Após o encerramento do contrato via licitação de 2011 a Amlurb, em conjunto com a Prefeitura de São Paulo,fez adequações e ajustes no novo edital de 2018, juntamente aos estudos citados, a fim de propor melhorias na execução dos serviços de limpeza urbana. O atual edital proposto é resultado do acompanhamento da execução do contrato anterior pelo Tribunal de Contas do Município (TCM), combinado com a implantação de novas tecnologias e modelos de gestão de resíduos sólidos urbanos alinhados à Prefeitura de São Paulo.

Desta forma, o edital prevê a inclusão da destinação final dos resíduos, triagem e tratamento adequado, como, por exemplo, enviar os recicláveis às cooperativas e às centrais mecanizadas. Assim como a operação de pátios de compostagem, aumento de varrição mecanizada, fiscalização/monitoramento com utilização de ferramentas de tecnologia e a utilização desses dados para melhoria da gestão de resíduos. << Com apoio de informações/fonte: Secretaria Especial de Comunicação – Secom / Amlurb >>

lanamaria_institucional

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora