da Redação DiárioZonaNorte (*)

“Una situación muy mala”. É o que se ouve nos últimos anos com respeito à situação da Venezuela, nosso país vizinho lá em cima de nosso mapa. Por problemas políticos vieram as consequências econômicas e criou-se o grande êxodo de venezuelanos para vários países latinoamericanos. No Brasil são mais de 30 mil nos últimos anos – somente neste ano, cerca de 10 mil. Até julho, 278 venezuelanos desembarcaram em São Paulo. Na Venezuela ficaram os tristes sinais de desabastecimento, fome e más condições de vida – até subumanas — no meio de manifestações e mortes.

O acolhimento === A Prefeitura de São Paulo abriu as portas e buscou soluções para “los hermanos venezuelanos” em ajuda humanitária, atendendo pedido do governo federal e do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR). Esses refugiados venezuelanos foram levados para os Centros Temporários de Acolhimento (CTAs) e todos passaram por mutirões médico e odontológico.

Trevo Ambiental acolhe === De início, os corações das empresas brasileiras foram se abrindo para acolher essa mão de obra, na emergência. O Consórcio Trevo Ambiental – que presta serviços para a Autoridade Municipal de Limpeza Urbana – Amlurb — oficializou com a Prefeitura Municipal de São Paulo  (PMSP)– por meio das Secretarias de Desenvolvimento e Assistência Social (SMADS) e de Desenvolvimento Econômico e de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC) –, a contratação de mais 28 imigrantes venezuelanos para atuar na área de limpeza urbana da capital paulista por meio do programa Trabalho Novo, que prevê a inserção de pessoas em situação de vulnerabilidade social no mercado de trabalho.

Todos os direitos === Os novos contratados já começarão a trabalhar em novembro, assim que o processo de admissão for concluído. A contratação seguirá as normas da CLT com benefícios como vale transporte, vale refeição, seguro de vida, convênio médico e odontológico. O processo seletivo está em andamento e a parceria com o Consórcio Trevo Ambiental prevê a realização de novas contratações. Com estas contratações chega a 81 o número de venezuelanos inseridos no mercado de trabalho.

A solenidade === Logo cedo na 5ª feira (25/10/2018), às 09h15, a sede do Consórcio Trevo Ambiental, na Av. Educador Paulo Freire no Parque Novo Mundo —  com seus 1.200 metros quadrados, onde comporta a diretoria administrativa e a garagem com a infraestrutura  de máquinas e equipamentos – parou para  receber o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, que oficializaria o acordo.  Junto às faixas de “Bienvenidos – Sejam Bem Vindos”, com as bandeiras do Brasil e da Venezuela,  as autoridades foram recepcionadas pelo gerente geral do Consórcio Trevo Ambiental, João Carlos David, junto a outros diretores e vários funcionários da empresa.

As autoridades === Na comitiva do prefeito, estiveram presentes o Secretário Municipal de Desenvolvimento e Assistência Social (SMADS), Filipe Tomazelli Sabará; o Secretário Municipal das Subprefeituras, Marcos Penido; da SMDHC, Aline Cardoso; e o presidente Autoridade Municipal de Limpeza Urbana-AMLURB, Edson Tomaz. Ainda participaram da solenidade: Vicente de Paula Leite (representante do Sindicato   dos Trabalhadores em Empresas de Prestação de Serviços de Asseio e Conservação e Limpeza Urbana de São Paulo – SIEMACO) e Viviane da Silva (Equipe pós-contratação, representante da ONG Rede Cidadã).  E também os seis subprefeitos da região, que serão beneficiadas com a nova mão de obra nos serviços: Dário José Barreto (Vila Maria/Vila Guilherme/Vila Medeiros), Alexandre Baptista Pires (Jaçanã/Tremembé), Rosmary Corrêa ( Santana / Tucuruvi/ Mandaqui), Roberto Godoy (Freguesia do Ó/Brasilândia), Mauro José Lourenço (Casa Verde/Cachoeirinha/Limão) e  Thiago Della Volpi (Penha).

Alegria junto com ansiedade === Em um espaço reservado para a solenidade, os 28 venezuelanos já estavam com o uniforme verde-amarelo, com os logos da Prefeitura de São Paulo, Amlurb e do Consórcio Trevo Ambiental. Todos sentados,na plateia —  um ao lado do outro–, em cadeiras marfinite brancas. Eles o tempo todo demonstravam muita felicidade e, ao mesmo tempo, ansiedade pela oficialização de um futuro melhor. bem antes da chegada das autoridades. No palco, as bandeiras do Brasil e de São Paulo comportavam-se ao lado da bandeira Venezuela.

Esperança de vida === Com a chegada do prefeito, no palco,  o gerente geral do Consórcio Trevo Ambiental, João Carlos David, abriu os discursos na solenidade. Na primeira parte até “gastando o castelhano”, ele fez um breve retrospecto da situação do país vizinho, o compromisso com responsabilidade da Trevo Ambiental em receber os novos empregados; depois, já em português, pode fazer os demais agradecimentos: “Este projeto de Trabalho Novo é para ajudar os venezuelanos a encontrar uma nova esperança de vida. Este programa está em total consonância com os nosso princípios de responsabilidade sócio-ambiental e de integração cultural”.

Os secretários discursam === Seguiram ainda ao microfone o Secretário Municipal da Subprefeituras, Marcos Penido, disse que “a  contratação dessas pessoas representa uma nova oportunidade de vida para pessoas que sofreram muito em seu país, que tiveram as portas fechadas para o emprego, para o atendimento básico das suas famílias”.

O titular da SMADS, Filipe Tomazelli Sabará,  lembrou: “Quando o alto comissariado da Organização das Nações Unidas (ONU) nos desafiou a acolher refugiados da Venezuela aqui em São Paulo o nosso foco sempre foi gerar autonomia e renda. Nós sabemos quão complicada é essa situação para vocês e suas famílias, que continuam na Venezuela ou em Boa Vista, e eu fico muito feliz quando pessoas são contratadas”.

O contrato em mãos ===  Simbolicamente foi entregue o contrato de trabalho à representante de todos os empregados venezuelanos foi a única mulher do grupo,  Angela Regalado, que recebeu das mãos do prefeito Bruno Covas. Muitos aplausos e fotos do momento e, em seguida, ela fez os agradecimentos diretos e objetivos: “ Cheguei no Brasil há dois meses e fico muito agradecida por esta oportunidade. Todo esse carinho que recebo aqui me dá forças para trabalhar”.

O prefeito fala === De bate pronto, o prefeito Bruno Covas foi convidado para o discurso, onde fez os agradecimentos e uma breve explanação sobre o acordo com o Consórcio Trevo Ambiental e as contratações dos venezuelanos. “Este é um programa que começou específico para a população em situação de rua e que foi ampliado para outras categorias, como o caso dos refugiados. É a cidade contribuindo, fazendo a sua parte com as pessoas que escolheram o Brasil como casa, por conta da situação que a Venezuela se encontra”, afirmou o prefeito de São Paulo.

Todo apoio === Os participantes do projeto são atendidos nos centros de acolhimento da Prefeitura, que são encaminhados pela rede socioassistencial do município de acordo com seu perfil. Todos passam por uma capacitação socioemocional na metodologia “Autoconhecimento e gestão emocional na formação de jovens para a vida e trabalho”, da Rede Cidadã. Em seguida, assumem os postos de trabalho.  Os participantes do projeto são atendidos nos centros de acolhimento da Prefeitura e passam por uma capacitação socioemocional na metodologia “Autoconhecimento e gestão emocional na formação de jovens para a vida e trabalho”, da Rede Cidadã, antes de serem encaminhados. Em seguida, assumem os postos de trabalho. Outro parceiro no projeto é o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Prestação de Serviços de Asseio e Conservação e Limpeza Urbana de São Paulo (Siemaco), que vai oferecer aulas de português aos novos funcionários.

Quem é o Consórcio Trevo Ambiental ===  Tem o contrato com a Prefeitura Municipal de São Paulo, através da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana – Amlurb.  É a empresa  responsável pelos serviços de varrição de vias públicas, capinação, limpeza de bueiros, limpeza e lavagem após feiras-livres, lavagens de viadutos, tuneis, escadarias, vielas, entre outros serviços em mais de 300 quilômetros quadrados pertencentes às Subprefeituras da Zona Norte: Freguesia/Brasilândia, Casa Verde/ Cachoeirinha/ Limão, Santana/Tucuruvi/Mandaqui, Jaçanã/Tremembé e  Vila Maria/ Vila Guilherme/ Vila Medeiros – e mais a Penha, na Zona Leste. Com isto, atingindo diretamente mais de  2 milhões de pessoas.

O Consórcio Trevo Ambiental também é a empresa gestora de 21 ecopontos, que são os locais de entrega voluntária de pequenos volumes de entulho (até 1 m³), grandes objetos (móveis, poda de árvores, retalhos de madeira), tacos, pó de serra e resíduos recicláveis. Todos os Ecopontos funcionam de segunda a sábado, das 6h às 22h, e aos domingos e feriados, das 6h às 18h. Para consultar os endereços, você pode ligar no telefone 156.

Colabore com o meio ambiente, descartando o lixo corretamente!

Consórcio Trevo Ambiental nas mídias sociais:

Veja a cobertura fotográfica completa aqui

(*) Com apoio de informações/fonte: Secretaria Especial de Comunicação-Secom e C2RI – Soluções em Comunicação (Evandro Spinelli)


Assista a reportagem da Tv Gazeta  — clicando aqui.

 

sicredi_institucional

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora