A Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) comemora a marca de 530 estabelecimentos atendidos pelo programa Opção Vegana (OPV), nos últimos dois anos. O trabalho foi criado em parceria com a Humane Society International (HSI) com o objetivo de promover uma alimentação vegana de qualidade e oferecer consultoria gastronômica gratuita aos estabelecimentos interessados em incluir opções livres de produtos de origem animal nos cardápios.

O OPV ainda conta com um público superior a 130 mil assinantes de sua newsletter e mais de 1,5 milhão de seguidores nas redes sociais da SVB e de Organizações Não Governamentais (ONGs) parceiras. “O crescimento do mercado brasileiro reflete tendências mundiais bem consolidadas. Algumas grandes redes já lançaram boas opções veganas e estão tirando proveito desse mercado”, analisa Elton Bastos, campaigner da SVB. A estimativa é que o mercado receba dois mil novos vegetarianos semanalmente, no Brasil. Atualmente, cerca de sete milhões de veganos estão inseridos em uma população de 30 milhões de vegetarianos.

Bastos lembra que o mercado de produtos veganos tem crescido cerca de 40% ao ano, segundo estimativas de empresários do setor. “Nós temos notado uma mudança de hábito dos consumidores, especialmente jovens, que vêm buscando uma alimentação mais consciente, saudável e sustentável”, observa.

GRANDES CONQUISTAS ===  O ano de 2018 ficou marcado por grandes conquistas do Opção Vegana no mercado de alimentação fora do lar, sobretudo entre grandes redes. Em junho, a rede de temakerias Makis anunciou um completo menu vegano (Makis Vegan) com variadas opções de temakis, sushis e outros pratos da culinária oriental. Em julho foi a vez da rede de sorveterias Bacio di Latte lançar o Cioccolato D’Acqua. O processo de desenvolvimento da fórmula para atingir o ponto de cremosidade adequado, sem o uso de leite, levou cerca de um ano. A cremosidade foi alcançada por meio da substituição do creme de leite da receita original por manteiga de cacau.

A Starbucks Brasil anunciou, por sua vez, em agosto, a adesão ao selo vegano da SVB nas bebidas com produtos de origem vegetal. A rede de cafeterias colocou à disposição do público opções com leites vegetais a base de amêndoas, caju e coco. Desde então, é possível consumir cappuccinos, macchiattos, frappuccinos entre outros, sem qualquer adição de produtos de origem animal.

Ricardo Cuba, responsável pela área de marketing e inteligência de mercado da rede de fast food Baked Potato, ressaltou a importância deste tipo de mercado para as empresas. “A entrada no mercado vegano, foi muito interessante, pois conseguimos buscar uma parcela de consumidores com pouca oferta de alimentação específica e alinhado à qualidade do produto, ficamos muito satisfeitos com os resultados. Já há outras duas receitas em desenvolvimento que deverão aumentar a busca pelas opções da Baked Potato”, analisou.

SOBRE A SOCIEDADE VEGETARIANA BRASILEIRA   ===  Fundada em 2003, a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) é uma organização sem fins lucrativos que promove a alimentação vegetariana como uma escolha ética, saudável, sustentável e socialmente justa. Por meio de campanhas, programas, convênios, eventos, pesquisa e ativismo, a SVB realiza conscientização sobre os benefícios do vegetarianismo e trabalha para aumentar o acesso da população a produtos e serviços vegetarianos. Para mais informações, acesse www.svb.org.br ou os  perfis da SBV  no Instagram, Facebook e Youtube.

< Com apoio de informações/fonte: Valle da Mídia >

Institucional Trevo

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora