18.5 C
Sao Paulo
domingo, 15 setembro, 2019
Center Norte Youtube
Home Cidade Cidade Prefeitura tenta regularizar comércio nas vias públicas da cidade.

Prefeitura tenta regularizar comércio nas vias públicas da cidade.

Incentivar o empreendedorismo, trabalho e geração de renda. É com estes objetivos que a Prefeitura lança este mês o sistema online que fornece autorização temporária para o comércio nas vias públicas da capital. É o “Tô Legal!”, um sistema totalmente informatizado, que elimina a burocracia e facilita a vida do  trabalhador que deseja vender os seus produtos e atuar dentro da legalidade nas ruas e avenidas de São Paulo. A expectativa é que cerca de 45 mil vendedores sejam legalizados.

O endereço do Tô Legal! será https://tolegal.prefeitura.sp.gov.br/. O mesmo endereço eletrônico também vai abrigar o processo de emissão do Termo de Permissão de Uso (TPU).

As tentativas === Elaborado pela Secretaria Municipal das Subprefeituras, o “Tô Legal!” tem o objetivo de autorizar os equipamentos de comércio nas vias públicas com mais facilidade, melhorar a gestão de dados e garantir a transparência de todo o processo com o solicitante. Será a oportunidade de legalização de diversas atividades em locais de grande movimento, como proximidades de escolas, terminais de ônibus e estações de metrô.

O processo de obtenção do documento no “Tô Legal!” será bastante simples: o interessado acessa o serviço na internet, onde estarão informações como um mapa para verificar a disponibilidade do local de interesse e a documentação necessária para obter o “Tô Legal!”. A partir daí, é só solicitar a autorização para trabalhar no ponto escolhido e pelo período desejado – um dia, uma semana, por exemplo, ou um mês.

O gasto minimo diário e mensal === A autorização é válida para um período máximo de 90 dias no mesmo local e será emitida após o pagamento do Documento de Arrecadação do Município (DAMSP) na rede bancária, que será de, no mínimo, R$ 10,72 por dia (no mínimo: R$321,60 no mês). A mesma pessoa não poderá emitir duas autorizações em locais diferentes que sejam no mesmo dia e horário. A exigência garante democratização no acesso e escolha dos pontos por todos os cidadãos interessados.

Como a autorização expedida pelo “Tô Legal!não é permanente, o vendedor pode montar sua agenda e escolher os locais para comercializar seus produtos conforme o dia da semana, e até dois períodos por dia, por exemplo. Após o vencimento do prazo da permissão, é só entrar no sistema e solicitar novamente, no mesmo local (caso ele não tenha sido solicitado por outra pessoa naquela data) ou em outro ponto desejado pelo interessado.

Mais fiscais nas ruas === É importante destacar que a venda dos produtos está sujeita a todas as leis municipais, estaduais e federais, como controle de higiene para venda de alimentos, legislação de trânsito, por exemplo, e a fiscalização estará a cargo das Subprefeituras. Também não é permitido o comércio de produtos ilegais ou falsificados. A fiscalização da Prefeitura para o cumprimento das normas vigentes será reforçada com a contratação de cem novas equipes de fiscais da Secretaria das Subprefeituras.

O valor da taxa do “Tô Legal!” varia conforme o preço do metro quadrado da região escolhida pela pessoa. A expectativa é que o programa traga para a legalidade o comércio ambulante informal, sem comprometer as normas e o controle estabelecido pelo município. Em regiões como Brás, Rua 25 de Março, Liberdade e arredores do Mercado Municipal da Cantareira (Mercadão), por exemplo, não serão emitidas autorizações do “Tô Legal!”.

“Essa funcionalidade é positiva não só para o empreendedor, que tem a possibilidade de trabalhar em vários locais, mas também para os consumidores que terão a facilidade de encontrar um serviço com um clique”, afirma o secretário das Subprefeituras.

Ele também reforçou a importância do programa em retirar vendedores da ilegalidade e fomentar o empreendedorismo e a geração de renda. “Temos a oportunidade de melhorar as condições de vida para que a rua não seja um fim, mas um novo começo para essas pessoas, que já trabalham na rua de alguma maneira”, completa. Ele nega que a medida facilite a atividade ambulante ilegal e desordenada pela cidade. “Estamos valorizando a pessoa que deseja trabalhar dentro da legalidade, até porque vivemos uma situação grande de desemprego no país”, explicou.

Termo de Permissão de Uso (TPU) === O processo de emissão de Termo de Permissão de Uso (TPU) também será feito pela plataforma do “Tô Legal!. O empreendedor poderá obter informação dos documentos necessários para iniciar o processo, acompanhar as fases do pedido e terá autonomia para emitir o documento sem a necessidade de se dirigir a uma subprefeitura.

O sistema fará a emissão de TPUs para valet; mesas, cadeiras e toldos e bicicletas compartilhadas. No caso de bancas de jornal e revistas, bancas de flores, comida de rua e ambulantes, o empreendedor que já possui o TPU poderá fazer o pagamento do documento pelo sistema e não precisará ir até a subprefeitura.


< Com apoio de informações/fonte: Secretaria Especial de Comunicação-Secom/PMSP>

Investir e Ganhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora