A Prefeitura de São Paulo divulgou no dia 22/03/2019 (6ª feira) o “Balanção do Carnaval de Rua 2019”. Essa divulgação aconteceu 12 dias após o término do “Pós Carnaval” (09 e 10/03/2019)  — a Assessoria de Imprensa da Secretaria Municipal das Subprefeituras alegou que o atraso foi devido à mobilização dos funcionários às causas das enchentes na cidade e “o balanço completo do evento seria publicado nos próximos dias”, enquanto o Secretário Alexandre Modonezi de Andrade , em seguida, saiu de férias até 27 de março. << O DiárioZonaNorte cobrou no dia 19/03/2019 o balanço: “O Carnaval ainda não terminou. Prefeitura está devendo o ´balanço final´ “ ver aqui. >>

Certamente com mais detalhes, esse balanço deverá ser debatido em audiência pública convocada pelo Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP) para acontecer em 16 de abril (3ª feira), às 14 horas, no auditório do MP-SP, no centro da cidade.

Lembrando que a Prefeitura de São Paulo divulgou a tabela (ver abaixo) constando o balanço do “Pré”-Carnaval e do “Carnaval” (dias oficiais) – e que deveria ser completado agora com o “Pós”-Carnaval. Há itens da tabela que não estão no balanço final.

Eis a divulgação do “Balanço da Prefeitura”, até o momento,  pela Secretaria Especial de Comunicação – SECOM:

Carnaval de Rua de São Paulo movimentou R$ 2,1 bilhões na economia da cidade, de acordo com a Secretaria Municipal de Turismo. A festa foi a maior da história, com público de 14 milhões de pessoas, em 464 desfiles que aconteceram por toda a capital entre os dias 23 de fevereiro e 10 de março, segundo a Secretaria Municipal de Subprefeituras.

De acordo com a Secretaria Municipal de Turismo, a folia de 2019 teve mais participação de pessoas de fora da capital, grupo que passou de 6,8% em 2018 para 30,2% neste ano. A permanência do turista na cidade também aumentou na média, passando de quatro para seis dias. O gasto diário médio teve aumento de 10,7%, passando de R$ 663 para R$ 734.

Os dados foram coletados por pesquisa de avaliação realizada durante a festa pelo Observatório do Turismo. Entre os perguntados, 96,5% afirmaram “sim, a Prefeitura deve continuar investindo no carnaval de São Paulo.” A organização dos blocos também teve aumento na aprovação do público, passando de 68,9% em 2018 para 74,3% neste ano.

Reciclagem recorde === Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (AMLURB) recolheu 916 toneladas de resíduos recicláveis durante o período. Todos os materiais foram encaminhados às Centrais Mecanizadas de Triagem, para reciclagem. Cerca de 50% do volume recolhido, ou seja, mais de 458 toneladas foram recicladas. Foram utilizados 9.179 m³ de água reutilizável para lavar as vias.

Os fiscais das Subprefeituras, com o apoio da Guarda Civil Metropolitana (GCM), emitiram 340 notificações de multa com base no Decreto 57.983, criado para conscientizar a população a não urinar nas ruas. Foram apreendidos 8.705 produtos irregulares.

Ao longo do carnaval, as equipes de saúde contratadas realizaram 3.940 atendimentos. Desse total, 764 foram feitos no Anhembi.

A festa em São Paulo também contou com operações especiais da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Os agentes atuaram em todas as regiões envolvidas na folia, garantindo a desobstrução das vias, a segurança dos pedestres e a fluência dos veículos de resgate.

Trabalho Infantil === Durante o carnaval, no período de 23 de fevereiro até 10 de março, as equipes de abordagem da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) identificaram 1.289 situações de trabalho infantil e receberam seis denúncias. Foram 34 grupos atuando diariamente com mais de 600 orientadores socioeducativos na campanha “Escolha Ver: Trabalho Infantil é Proibido”. A Prefeitura disponibiliza a Central 156 para denúncias dos munícipes em relação ao trabalho infantil, violência, abuso e exploração sexual.

Ônibus Lilás ===  As equipes da Coordenação de Políticas para Mulheres da Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania da Prefeitura de São Paulo, do Catraca Livre, Rua Livre e Sindicato dos Comerciários distribuíram cerca de 16 mil adesivos decalque do  #NãoÉNão, mais de 20 mil adesivos do #SambandoNaCaradoMachismo, #NaoÉNao e #MeuCorpoMinhasRegras

A campanha #CarnavalSemAssédio foi divulgada amplamente. Muitos foliões se aproximaram para saber mais da iniciativa, colar adesivos e ajudar na divulgação. Vale lembrar que 25 voluntários foram treinados pelo CatracaLivre/Rua Livre/MP-SP e Prefeitura, os Anjos do Carnaval, e que ficaram circulando no meio da multidão para identificar situações de assédio e violência.

A equipe multidisciplinar que estava durante toda a ação dentro do Ônibus Lilás (uma psicóloga, uma assistente social e uma advogada) realizou algumas intervenções durante o carnaval, mas somente na 3ª feira (05/03/2019) uma mulher procurou o ônibus, para denunciar  tentativa de abuso sexual próximo aos banheiros químicos. Infelizmente o agressor não pôde ser identificado, mas a vítima foi orientada e, mais calma, liberada.

Números da Ação
25 voluntários do Catraca Livre/Rua Livre
10 funcionários da Coordenação de Políticas para Mulheres
5 voluntários do Sindicato dos Comerciários
16 mil adesivos decalque NaoÉNao aplicados
20 mil adesivos do #SambandoNaCaraDoMachismo, #NaoÉNao e #MeuCorpoMinhasRegras

<<Com apoio de informações/fonte: Secretaria Especial de Comunicação – SECOM>>


 

sicredi_institucional

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora