da Redação DiárioZonaNorte ==

A Prefeitura de São Paulo voltou atrás e revogou,  nesta  4ª feira (01/08) a suspensão da execução de 24 contratos para a prestação de serviços de vigilância, zeladoria e conservação dos 106 parques municipais, que somam R$ 94 milhões.

A administração municipal voltou atrás, após a grande repercussão da medida na imprensa. O DiárioZonaNorte  procurou  o secretário Fábio Santos, da Secretaria Especial de Comunicação (SECOM), que até agora  não se manifestou.  Também procuramos a Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente, que não retornou nossos questionamentos.

As empresas detentoras dos contratos de segurança privada foram notificadas nesta 2ª feira (30/07/2018), pela Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente,  a encerrar as atividades nos parques no dia seguinte (31/07/2018), data da publicação do ato no Diário Oficial do Município.

A correspondência recebida pelas empresas foi emitida pelo Departamento de Parques e Áreas Verdes (Depave) e assinada pela diretora Carolina Nogueira, não explica os motivos da suspensão, apenas diz que ela poderá se estender por até 30 dias.  O texto cita que o artigo 78, inciso XIV da lei 8.666/93 – Lei de Licitações – permite esse procedimento.

Na Zona Norte, os parques atingidos foram Parque da Vila Guilherme/Trote, Parque Tenente Brigadeiro Faria Lima (Parque Novo Mundo), Parque Lions Tucuruvi e o Parque Senna (Tremembé).

Em 2017, aconteceu fato semelhante, envolvendo os parques da cidade de São Paulo e a renegociação de contratos. De acordo com Beto Freire, presidente da Associação dos Amigos do Parque da Vila Guilherme/Trote, na época da interrupção da vigilância ocorreu uma tentativa de estupro no parque.  Beto Freire  lembra que é uma irresponsabilidade deixar uma área de 180mil metros² sem vigilância e lembra que, quase metade desta área se encontra fechada por falta de dinheiro para o restauro, corte de mato e conservação.

Nesta 4ª feira, a Prefeitura  de São Paulo informou por meio de nota que a  medida foi uma “obrigação burocrática necessária para que houvesse um ajuste orçamentário”.

 

Center Norte Youtube

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora