Depois de uma longa e intensa jornada para a construção de um modelo de concessão para área de uso público do Parque Estadual da Cantareira, na Zona Norte/Nordeste da capital paulista, a proposta foi aprovada na 367ª Reunião Ordinária do Plenário do Conselho Estadual de Meio Ambiente (Consema), realizada na 4ª feira (20/06/2018), na sede da Secretaria do Meio Ambiente. O assunto foi aprovado por unanimidade com os 36 membros do Consema.

A concessão de áreas de uso público traz ganhos para a conservação, fortalece a educação ambiental e pesquisa, melhora a experiência de visitação, como acessibilidade, por exemplo, e amplia os benefícios para comunidades do entorno, com mais possibilidades de emprego e renda. Dois pontos principais favoreceram a decisão: a economia na manutenção do parque que gira em torno de 2,5 milhões de reais por ano e o favorecimento ao ecoturismo com mais áreas de lazer — até restaurante.

Ou seja, haverá concessão de serviços na área de uso público, que no caso do Parque Estadual da Cantareira, é de 1,18% de uma área total de 8 mil hectares.  O processo de concessão assegura ainda que os recursos obtidos sejam integralmente aplicados na gestão e conservação das unidades integrantes do Sistema Estadual de Florestas (Sieflor). Este modelo de gestão permite ao Estado contar com mais recursos para investir na proteção e conservação das áreas protegidas ao mesmo tempo em que garante melhor prestação de serviços para o público.

“A concessão é somente de áreas de uso público. As demais áreas permanecem sob a gestão da Fundação Florestal. Queremos assim trazer mais pessoas para dentro das unidades, propiciar que tenham contato com a natureza e fortalecer a proteção da biodiversidade, colocando a sociedade civil a favor das unidades de conservação”, esclarece Rodrigo Levkovicz, diretor da Fundação Florestal (FF).

A mudança será no custo de 14 para 19 reais o ingresso no Parque Estadual da Cantareira. Mas continuará a gratuitdade para idosos (acima de 60 anos), moradores registrados e escolas públicas.

Os próximos passos são a abertura de um processo licitatório e posterior assinatura de contrato com a interessada em explorar os serviços de ecoturismo no PE Cantareira.

O que é ===  O  Parque Estadual da Cantareira é uma Unidade Conservação de Proteção Integral paulista que abrange parte da Serra da Cantareira. A condição de Parque Estadual foi adotada em 1962 e regularizada pelo Decreto Estadual nº 41.626 de 1963. Porém, apenas em 1968 foi publicado o decreto que oficializou sua criação (nº 10.228/68). Na época, o nome foi definido como Parque Turístico da Cantareira. No ano de 1986 ele passou a se chamar Parque Estadual da Cantareira.

Em outubro do ano de 1994, a UNESCO o declarou como parte da  Reserva da Biosfera do Cinturão Verde da Cidade de São Paulo.  Atualmente, é gerenciado pela Fundação para Conservação e a Produção Florestal do Estado de São Paulo (ou Fundação Florestal) – fundação vinculada à Secretaria do Meio Ambiente do Governo de São Paulo, que foi criada com o intuito de conservar, ampliar e administrar florestas pertencentes ao estado de São Paulo.

O Parque está localizado na Rua do Horto, 1799 – Horto Florestal (sua maior proporção se encontra na Zona Norte de São Pauloe também abrange áreas dos municípios de Mairiporã, Guarulhos e Caieiras. 

Ele se divide entre os distritos de  Tremembé e Mandaqui, mas não existe nenhum documento que afirme com precisão a qual distrito, de fato, o parque  pertença. O mesmo ocorre com o seu vizinho, o Horto Florestal de São Paulo.

O Parque fica aberto para visitação aos sábados, domingos e feriados das 8h às 17h.

Sobre o Parque – Nascentes e córregos que embelezam a região

<< Com apoio de informações/fonte: Secretaria do Estado do Meio Ambiente/SP / Governo de SP e Wikipédia >>

CenterNorte Institucional Maio2019

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora