Início Cotidiano Pandemia do Covid 19 altera calendário de eventos na cidade de São...

Pandemia do Covid 19 altera calendário de eventos na cidade de São Paulo

Em decorrência da pandemia enfrentada pela cidade de São Paulo, o calendário de grandes eventos da capital paulista será modificado. O anúncio foi feito pelo prefeito Bruno Covas nesta 6ª feira (24jul2020), durante a 99ª coletiva de Imprensa realizada no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo do Estado.

As alterações de datas têm o objetivo de controlar a disseminação do Coronavirus/Covid-19.  O Carnaval e a Marcha para Jesus serão adiados. Já a Parada LGBTQI+ será cancelada. O Grande Prêmio de Fórmula 1, que deveria ser realizado no Autódromo José Carlos Pace (Interlagos), foi cancelado pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA). Na semana passada, a Prefeitura de São Paulo já havia cancelado o Reveillon na Av. Paulista e a Virada Cultural. Outro evento de final de ano, que é a Corrida de São Silvestre, está em análise entre os organizadores e a Prefeitura, que deverá ser resolvido até o mês que vem.

                Desfiles de Carnaval deve acontecer em maio de 2021

Após conversas com representantes de escolas de samba e dos blocos de rua, a Prefeitura de São Paulo decidiu adiar o Carnaval de 2021, que ainda não têm data definida para ser realizado – que pode acontecer no final de maio de 2021. Na entrevista coletiva, estavam presentes vários presidentes e representantes das Escolas de Samba de São Paulo, no Palácio dos Bandeirantes.

“Finalmente batemos o martelo e estamos adiando o carnaval do ano que vem. Nós ainda estamos definindo, tanto com os blocos como com as escolas de samba e com as outras cidades, uma nova data. Muito provavelmente não ocorrerá em junho, que é quando acontecem as festas de São João no Nordeste, mas estamos definindo ou pelo final de maio ou começo de junho”, disse Covas.  O Carnaval da cidade de São Paulo é um dos maiores do país, pois conta com os desfiles das escolas de samba no Sambódromo do Anhembi e dos blocos que desfilam no carnaval de rua.

Logo em seguida ao anúncio oficial do prefeito da cidade, o site da Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo anunciava com destaque: “Carnaval 2021 na cidade de São Paulo é adiado” e acrescentando: “Decisão foi estudada em parceria com o prefeito Bruno Covas e demais entidades envolvidas na realização do desfile das escolas de samba”.  O Carnaval de 2021, portanto, foi transferido de fevereiro para o fim de maio, podendo ser adiado novamente para o começo de julho, de acordo com a situação em que a capital se encontrar diante da pandemia causada pela covid-19. “Nós estamos defendendo muito o posicionamento da Prefeitura, estamos indo muito em cima daquilo que os órgãos governamentais colocam pra gente. Não vamos fazer nada fora daquilo que seja determinado pelas autoridades”, garante Sidnei Carriuolo, presidente da Liga-SP e da Águia de Ouro, campeã do Carnaval 2020.

              Marcha para Jesus deste ano não deve ser presencial

A Marcha para Jesus, organizada pela Igreja Apostólica Renascer em Cristo pelo casal Bispa Sônia Hernandez e o Apóstolo Estevam Hernandez Filho, que é um evento apoiado pela Prefeitura de São Paulo, estava marcada para 13 de junho deste ano. O evento foi prorrogado para o dia 2 de novembro, mas, mesmo assim, não deve ocorrer nos moldes tradicionais em decorrência da pandemia. Os organizadores estudam um meio diferente e virtual para apresentá-lo.  Em 2019, o evento contou com a participação de 3 milhões de pessoas e um benefício econômico para a cidade de R$ 217 milhões.

“A organização da Marcha já avisou a Prefeitura de São Paulo que não fará a marcha no dia 2 de novembro de forma presencial. Então, nos próximos dias, eles vão apresentar à Prefeitura de São Paulo outro formato do evento, que não será de forma presencial”, disse Covas.

  Parada LGBTQI+ 2020, que tinha sido prorrogada, será cancelada

Outro evento que também tem o apoio da Prefeitura de São Paulo é a Parada LGBTQI+, que seria realizado em 14 de junho. Os organizadores do evento celebraram a data de forma virtual no mês passado e a parada nos moldes tradicionais tinha sido prorrogada para o dia 29 de novembro, em São Paulo. Porém, ela será cancelada.

“Nós teríamos uma outra preocupação, porque é exatamente a data de realização do segundo turno das eleições neste ano de 2020, dada a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC), no Congresso Nacional”, disse o prefeito Bruno Covas, que continuou: “Eu queria agradecer a organização da Parada LGBTQI+, por entender o momento em que a cidade vive, cancelando a realização do evento neste ano”, explicou o prefeito da cidade de São Paulo.

                           Fórmula 1: FIA cancela o GP Brasil

A Federação Internacional de Automobilismo (FIA), responsável pelo GP Brasil de Fórmula 1, cancelou a prova que aconteceria em novembro deste ano no Autódromo José Carlos Pace de Interlagos, na Zona Sul de São Paulo. A Prefeitura e o Governo do Estado lamentam a decisão, já que as autoridades sanitárias do estado e do município já haviam estabelecido os protocolos para a realização do evento.

“Nós, ao longo dessas últimas semanas, enviamos todos os dados à organização do evento mostrando que a realidade da cidade de São Paulo e do Estado é bem diferente da realidade brasileira. A projeção mostra que, em novembro, nós estaremos em uma situação bem melhor do que estavam os países europeus, onde nós já tivemos a realização do Grande Prêmio”,  disse  o prefeito Bruno Covas.

E acrescentou: “Já determinei o cancelamento da licitação que estava em andamento no valor de R$ 48 milhões para a reforma da pista do Autódromo de Interlagos. Não tem mais como a gente segurar isso, pois teríamos que dar andamento a uma licitação que já estava acontecendo. Não tem como gastar este dinheiro com o risco de não ter Formula 1 na cidade”, explicou o prefeito. A Prefeitura irá continuar com as tratativas com organização do evento para prorrogação do contrato, a partir de 2021.

Segundo a Empresa Brasil de Comunicação/Agência Brasil, que reproduziu o comunicado oficial da Federação Internacional de Automobilismo (FIA):  “Com a pandemia da Covid-19 em curso, significa que, infelizmente, não será possível competir no Brasil, EUA, México e Canadá este ano. Esperamos voltar na próxima temporada para as Américas para fazer um show para nossos fãs apaixonados da região.” E ainda completou em nota publicada no site “também queremos prestar homenagem aos nossos incríveis parceiros nas Américas e esperamos voltar com eles na próxima temporada, quando mais uma vez conseguirem emocionar milhões de fãs ao redor do mundo.”

Ainda segundo a EBC/Agência Brasil, por meio de nota oficial, a assessoria de comunicação da empresa Interpub, responsável pelo GP Brasil de Fórmula 1, disse: “sobre as notícias divulgadas nesta data (24jul2020), dando conta do cancelamento do GP Brasil de Fórmula 1 e das demais corridas das Américas, comunicamos que não recebemos até o presente momento nenhuma comunicação oficial da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) e, dessa forma, não poderemos nos manifestar”.

O Calendário dos GPs ===  A EBC/Agência Brasil finaliza as informações com um resumo das corridas: A Fórmula 1 deveria iniciar em março, mas teve de ser adiada por causa da explosão de casos de covid-19 pelo mundo. Ao todo, 15 provas já foram afetadas pela insegurança sanitária, sendo que sete delas (Austrália, Mônaco, França, Holanda, Azerbaijão, Cingapura, Japão, Brasil, Canadá, Estados Unidos e México) foram canceladas. Já outras quatro provas acabaram adiadas (Bahrein, Vietnã, China e Espanha).

Por outro lado, mais três circuitos foram confirmados para a temporada 2020. Em Nürburgring (GP da Alemanha), acontecerá em 11 de outubro. Já o de Portimão (GP de Portugal) aparece como novidade. Ele foi agendado para 25 de outubro, e será a primeira vez que o Circuito Internacional de Algarve sediará uma corrida de F1. O país não recebia um evento de Campeonato Mundial da categoria desde 1996. Por fim, o de Ímola (GP da Emilia Romagna) está marcado para 1º de novembro, na Itália.

Com o calendário revisado devido à pandemia, os organizadores da Fórmula 1 reiteraram o objetivo de completar o Campeonato Mundial com a disputa de 15 a 18 provas. Inicialmente era previsto 22 circuitos. O encerramento da competição deverá acontecer em dezembro, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. << Com apoio de informações/fonte: Secretaria Especial de Comunicação-Secom/Prefeitura de SP e Empresa Brasil de Comunicação-EBC/Agência Brasil>>