Início Cotidiano Ônibus de SP param em protesto pela superlotação e garantias de vacinação

Ônibus de SP param em protesto pela superlotação e garantias de vacinação

O  Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviáriio Urbano de São Paulo – Sindmotoristas promoveu na manhã desta 4ª.feira (24mar2021), atos de protestos em diversos terminais da capital.

As ações tinham como objetivo chamar atenção da Prefeitura de São Paulo e autoridades para  o problema da superlotação dos ônibus e garantir a vacinação da categoria, protegendo a saúde e a vida de todos.

Os atos foram realizados nos Terminais de Santana, Tucuruvi, Parque Dom Pedro, Santo Amaro, Vila Nova Cachoeirinha, Jardim Ângela, Santo Amaro, Pirituba, Pinheiros, A.E. Carvalho, Capelinha, Sapopemba, Lapa, Guarapiranga, Campo Limpo, João Dias e São Miguel, das 10 às 12 horas. Houve grandes congestionamentos nas imediações dos protestos, como o verificado no Terminal Tucuruvi, na Rua Paulo de Faria, ao lado do Shopping Metrô Tucuvuri — que teve os acessos bloqueados.

Pelas vacinas, pela vida

O principal objetivo dos atos foi fazer um apelo às autoridades pela inclusão da categoria no Plano de Vacinação, garantindo a proteção dos profissionais. Segundo o Sindicato, 82 profissionais perderam a vida com o vírus do Covid-19; e outros estão sob observação e afastados.

“Os trabalhadores estão engajados no manifesto porque se preocupam com a vida. Trabalhar em um ambiente aglomerado é algo arriscado e perturbador, nossos profissionais lutam pela vacina, lutam pela saúde, lutam pela vida”, declarou o presidente do Sindimotoristas, o deputado federal Valdevan Noventa.

Mais de 20 mil assinaturas foram colhidas em um abaixo-assinado e protocolizadas na Secretaria da Saúde, Secretaria do Transporte e Câmara Municipal, apelando por prioridade nas vacinas, uma vez que a categoria tem trabalhado na linha de frente sem parar um único dia.

“Foram mais de 400 trabalhadores da categoria. Em nossos levantamentos, mais de 1400 casos suspeitos. Pais e mães de família estão morrendo por irem trabalhar sem a menor atenção, cuidado e preocupação do Poder Público”, afirmou o presidente.

Descaso do poder público

Segundo o Sindimotoristas, “enquanto os órgãos de saúde recomendam evitar as aglomerações, o Poder Público tem agidos com irresponsabilidade, mostrando-se insensível e desinteligente para minimizar o caos. São mais de 80 mil pessoas infectadas diariamente, 3 mil mortos em 24 horas e os ônibus estão cada vez mais lotados. “Cadê o aumento da frota? Cadê o investimento no transporte? Cadê a imunização dos motoristas e cobradores?”, questionou Noventa.


<< Com apoio de informações/fonte: Ass.Imprensa Sindimotoristas>>

d