por Aguinaldo Gabarrão (*) ===

O nome de Deus sempre foi usado para justificar ou avalizar atrocidades. Aparecem em frases ditas displicentemente como “Deus te castiga”, usada para gerar terror em crianças supostamente rebeldes ou por meio de discursos missionários, que serviram, entre outros aspectos, para promover o medo, dizimar culturas e povos ao longo dos séculos e sentenciar o sexo ao pecado.

Nestes últimos 30 anos a figura do Todo Poderoso é evocada também para promover a “cura gay”, assunto que tem causado acaloradas discussões e está fortemente presente no filme “O mau exemplo de Cameron Post”.

“Promessas de Deus” === Cameron Post (Chloë Grace Moretz) considerada uma adolescente de comportamento comum, é encontrada pelo namorado beijando outra menina. Por conta disso, é mandada para um centro de terapia que corrige adolescentes com atração por pessoas do mesmo gênero. No local, em meio a tantas atividades estranhas, ela conhece outros jovens gays na mesma situação e, aos poucos, começa a encontrar as respostas que tanto precisa.

Sem poder de barganha, a jovem – cujos pais morreram – é levada pela tia cristã para a comunidade “Promessas de Deus”, uma espécie de centro de reabilitação de jovens gays. E lá, o esforço do Reverendo que se confessa um ex-gay – se é que isto é possível – é lutar em nome do Altíssimo para reprogramar a cabeça da moçada e fazer com que todos voltem à heterossexualidade. Nesta tarefa ele é ajudado pela irmã, chamada por alguns internos de “vilã da Disney”. E a mulher faz jus ao epíteto.

O discurso hipócrita === A diretora Desiree Akhavan e a roteirista Cecilia Frugiuele fizeram a adaptação a partir da obra homônima de Emily M. Danforth, primeiro romance da autora, publicado no Brasil em 2018 pela editora HaperCollins Brasil.

Logo no início do filme, ambientado no início dos anos 90, a diretora dá o tom: um pastor de meia idade exorta em tom confessional, os jovens que o ouvem a fazerem do seu futuro o que ele, quando jovem, não soube fazer: fugir do pecado!

Esta hipocrisia mal disfarçada de humildade é a base que norteará as ações dos familiares moralistas e da comunidade “Promessas de Deus”, mergulhados num fundamentalismo religioso que não permite enxergar nas atitudes dos jovens, a necessidade de expressão de seus sentimentos mais importantes: afeto, a descoberta do corpo, a atração sexual e o autoconhecimento.

“Não penso em mim como homossexual” === Reunir numa mesma comunidade, jovens considerados anormais por seus familiares, paradoxalmente, acaba por despertar na jovem Cameron percepções que irão auxiliá-la na aceitação da sua sexualidade.

Mas, como todo processo de autoconhecimento, quando a dor se apresenta, o grande desafio é dar o correto acolhimento, o que se torna possível graças ao apoio decisivo de dois amigos: Jane Fonda (Sasha Lane) e Adam (Forrest Goodluck).

“Onde o meu coração bate agora?” ===  Se por um lado o filme tem o mérito de trazer para a discussão a polêmica e absurda ideia da “cura gay”, e em nenhum momento tornar-se panfletário de uma causa, não é menos verdade afirmar que as personagens do Reverendo Rick (John GallagherJr.) e de sua irmã, Lydia (Jennifer Ehle), se apresentam de maneira esquematizada, sem que se aprofunde as motivações de cada um deles.

Por sua vez, o jovem elenco não decepciona. Interpretações intensas ressaltam o drama interior das personagens e, especialmente num momento crucial da trama, o personagem Mark, um rapaz homossexual repudiado pelo pai, interpretado sensivelmente pelo ator Owen Campbell, utiliza frases da Bíblia para ressaltar que sua fragilidade é sua maior força.

O filme “O mau exemplo de Cameron Post” foi o ganhador do Grande Prêmio do Júri no Festival de Sundance e a forma sensível e corajosa com que trata a questão da sexualidade dos jovens, coloca-o numa lista seleta de produções que contribuem para o diálogo mais aberto entre pais e filhos, principalmente em tempos em que a hipocrisia e a desinformação rondam as planícies e planaltos deste país.

Assista ao trailer do filme:


FICHA TÉCNICA
O MAU EXEMPLO DE CAMERON POST
(Título original: The Miseducation of Cameron Post) – Distribuição: Pandora Filmes

Direção: Desiree Akhavan / Roteiro: Desiree Akhavan e Cecilia Frugiuele / Direção de Fotografia: Ashley Connor / Trilha Sonora: Julian Wass / Elenco: Chloë Grace Moretz, Sasha Lane, Forrest Goodluck, Steven Hauck, Quinn Shephard, John Gallagher Jr.,Jennifer Ehle, Owen Campbell, Kerry Butler

Gênero: Drama / Duração: 1 hora e 29 minutos / Idioma: Inglês / Cor: colorido / Classificação indicativa: 16 anos / País: EUA / Ano de Produção: 2018

Lançamento: 18 de abril de 2019

Pré-estreia: dia 17 de abril (4ª feira), seguida de debate ===  Para o lançamento do longa-metragem em circuito comercial, a Pandora Filmes promove uma pré-estreia seguida de debate, na próxima 4ª feira (17/04/2019), às 19h30. O evento, que acontecerá no Cine Belas Artes, terá como debatedores Alice Mello, da Harper Collins Brasil, responsável pela tradução e edição do livro em português; André Fischer, criador do Festival MixBrasil, Fernanda Soares, diretora de cinema e integrante do Canal das Bee, no Youtube;  e a artista e documentarista Mayara Afe. Ao final do evento, cervejas Império serão oferecidas aos espectadores. Ingressos à venda na bilheteria do cinema ou pelo site https://www.cinebelasartes.com.br/ 


(*) Aguinaldo Gabarrão, ator. Trabalhou com diretores de diferentes estilos e gerações. Adora cinema. Atua também no segmento corporativo por meio de cursos, treinamentos e palestras com as técnicas do teatro.


Nota da Redação: As críticas publicadas neste espaço são de inteira responsabilidade de seus autores. As opiniões nelas emitidas não exprimem, necessariamente, o ponto de vista do “DiárioZonaNorte” e nem de sua direção.


 

Inauguração loja

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora