da Redação DiárioZonaNorte ===

No meio da pandemia do Coronavirus, com o reforço ao isolamento social e tendo o comércio em sua maioria de portas abaixadas, o dia 11 de maio de 2020, nesta 2ª feira pode ficar marcado com o inusitado começo de um novo “Rodizio Municipal-24 horas”  na maior cidade do país com cerca de 12 milhões de habitantes e abrangendo todas as regiões e bairros do município, mas com deficiência no setor de ônibus circulando pelas ruas e corredores da cidade.

E, quem sabe, com os problemas de gente em pontos e os poucos ônibus lotados. São cenas preocupantes que podem acontecer por causa de movimento de protesto do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo – Sindimotoristas, que promete bloquear a saída dos ônibus em todas as garagens. O movimento está sendo articulado, a partir da zero hora, com a convocação da categoria.

“Uma afronta do poder público”=== Segundo o Sindimotoristas, “trata-se de um movimento de resistência da categoria à resolução do prefeito Bruno Covas de ampliar a frota em circulação, colocando mais mil ônibus nas ruas, porém, sem a presença dos cobradores”.  Além do reforço dos ônibus em circulação, o prefeito acrescentou que haverá uma reserva de mais 600 ônibus em bolsões próximos aos vários terminais. Na página do Sindimotoristas, uma das justificativas informa que “o sindicato que, desde o início da pandemia do coronavírus, encontra-se na linha de frente da batalha pela vida e pelo emprego dos condutores, considera isso uma afronta por parte do poder público”.

SP Trans nada sabe === Diretores do sindicato informaram que a questão foi encaminhada aos patrões e à Prefeitura com o posicionamento da categoria.  E avisam abertamente: “Sem cobrador nenhum ônibus vai sair da garagem”.  Mas, no domingo (10/05/2020),  consultada pelo DiárioZonaNorte, a São Paulo Transportes/SP Trans – que coordena as linhas e fluxo de ônibus na cidade, ligada à Secretaria Municipal de Transportes – informou que não tinha conhecimento do eventual protesto do Sindimotoristas, e acrescentou que “desconhecia qualquer medida de ônibus extras sem cobradores”, por telefone. Às 10h54, a Redação do DiárioZonaNorte recebeu o e-mail  informando que “a SPTrans informa que não procede tal informação”.

Ônibus sem horários === Aos usuários de transporte público, resta esperar para ver o que acontece. E se os ônibus circularem, o editor Adamo Bazani publicou na edição de sábado (09/05/2020) do “Diário do Transporte” uma nota com a  manchete: “Para evitar lotação, ônibus de São Paulo não vão cumprir horário, saindo de terminais de acordo com a demanda”. Segundo a nota, “medida é para evitar superlotação do transporte público com volta do rodízio mais severo” e “os ônibus da capital paulista não vão necessariamente seguir horários programados na 2ª feira (11/05/2020). Ele recomenda ao passageiro para estar atento a aplicativos que informam em tempo real a localização do ônibus e o tempo de espera nos pontos. E deixou uma declaração do Secretário Municipal de Transporte e Mobilidade, Edson Caram: “Assim quando o ônibus chegar ao terminal, dependendo do número de passageiros, o ônibus já vai sair, não precisa esperar horário” .

Fim do “cobrador de ônibus” === No relógio do tempo, no ano passado, a Prefeitura de São Paulo começou um movimento que pretendia eliminar a função de “cobrador de ônibus”. Alegava que a maioria dos usuários usavam “cartões eletrônicos”.  E a SP Trans começara a estudar a eliminação da “cadeirinha de cobrador”, em setembro,  com recomendação de aproveitamento do espaço para os novos ônibus. Já naquela oportunidade, o Sindimotoristas foi contra a ideia e o governo municipal  suspendeu o projeto.  A decisão foi tomada para atender reivindicação do sindicato,  que anunciou greve  da categoria.

A Prefeitura de São Paulo chegou a criar um Grupo de Trabalho (GT) para estudar projeto de requalificação de mão de obra para os cobradores, com recolocação em outras atividades. Terminou o ano de 2019 e até o momento, esse GT foi mantido e a discussão e a readaptação dos cobradores vai continuar. Mas os novos ônibus estão sendo encomendados com o local das ” cadeirinhas de cobradores”.


 

ObraFácil

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora