da Redação DiárioZonaNorte ===

O Carnaval de Rua de São Paulo terminou no dia 10/03/2019 (domingo), com os blocos do último dia – até embaixo de uma violenta chuva. E, na 2ª feira, até o prefeito tirou licença particular para um passeio pela Europa – mas teve que retornar por causa das enchentes. Com isto, não houve coletiva para um balanço do que aconteceu com os blocos, megablocos e o Carnaval na cidade. Nas duas semanas anteriores, a Prefeitura divulgou o balanço com detalhes até quantas pessoas foram multadas por causa do xixi na rua. Depois disto, passados quase 10 dias, não se tem ideia do que aconteceu com os números finais do pré, do Carnaval e do pós. Cadê o balanço geral e total do Carnaval de Rua??!

Consultada a Assessoria de Comunicação da Secretaria Municipal das Subprefeituras – que teve a responsabilidade da organização e infraestrutura do Carnaval — que demorou mais de seis horas para responder o questionamento do jornal — encaminhou uma mensagem lacônica e certamente óbvia: “O balanço completo do evento será publicado nos próximos dias” – lembrando que o Secretário Alexandre Modonezi de Andrade está  de férias até 27 de março. Não houve resposta sobre uma entrevista coletiva do secretário, de seu substituto e do prefeito sobre o Carnaval 2019. Outros envolvidos na organização também não se pronunciaram.

O Ministério Público do Estado de São Paulo – MP-SP, através do promotor Dr. César Ricardo Martins, conduziu as audiências públicas e reuniões para controle do Carnaval de Rua. Foi o MP-SP que proibiu os megablocos na Avenida 23 de Maio, que fez a Prefeitura transferir para a Av.Tiradentes e Av. Marquês de São Vicente. E deverá também receber o relatório completo e final da Prefeitura, com os detalhes que serão debatidos na audiência pública em 16 de abril (3ª feira), às 14 horas, no auditório do MP-SP, no centro da cidade.

É de se estranhar que no período de Carnaval, o volume de informações emitidas pela Prefeitura de São Paulo foi além do normal e terminado o Carnaval, nada mais se falou a respeito.

Leia a reportagem do DiárioZonaNorte:   “O Carnaval passou. Agora, pede-se mais organização nos blocos de rua para 2020”, com balanço no programa “Metrópole em Foco”/ Rádio Trianon === clique aqui    

   


   

      BALANÇO INCOMPLETO / O QUE FOI DIVULGADO DO CARNAVAL DE RUA

Em matéria e balanço distribuídos pela Secretaria Especial de Comunicação (Secom/PMSP) e Secretaria Municipal das Subprefeituras, os números referem-se somente aos dois finais de semana (ver tabela)

“ Depois do sucesso do pré-carnaval (23 e 24 de fevereiro), a cidade de São Paulo recebeu neste fim de semana prolongado de carnaval (2, 3, 4 e 5 de março) 189 desfiles de blocos. Os blocos Agrada Gregos, Tarado Ni Você, Confraria do Pasmado – Pasmadinho e Bloco da Pabllo levaram multidões às ruas. Por conta de incidentes ocorridos no Largo da Batata, quando foram realizados eventos não-oficiais, a Secretaria Municipal das Subprefeituras decidiu remanejar, por questão de segurança, os trajetos de alguns blocos que estavam previstos no local.

Somando os finais de semana de pré-carnaval e carnaval, 391 blocos já passaram pela cidade. A Prefeitura de São Paulo emitiu 244 notificações de “multa do xixi”, com base no Decreto 57.983, que tem o objetivo de conscientizar a população a não urinar nas ruas e vias da capital, sendo 198 no período de carnaval.

Foram realizadas 6.675 apreensões de produtos irregulares, sendo 4.894 nestes últimos quatro dias. As ações contaram com o apoio da Guarda Civil Metropolitana (GCM).

As equipes de saúde contratadas realizaram 2.431 atendimentos durante o Carnaval de Rua, até o momento. Foram 719 no período de pré-carnaval, 404 no sábado (2), 493 no domingo (3), 390 na segunda-feira (4) e 425 nesta terça-feira (5). No Anhembi, na primeira noite de desfile, foram feitos 63 atendimentos. Na segunda noite, 223 atendimentos. Na noite de domingo e madrugada desta segunda-feira (Grupo de Acesso), foram feitos 189 atendimentos e na madrugada desta terça-feira (Grupo de Acesso 2) foram 139.

Os números do SAMU ainda representam o total absoluto, então não é possível afirmar com precisão qual a relação com o Carnaval. Posteriormente, será avaliado se houve impacto no SAMU ou não.

Como no final de semana do pré-carnaval, nos quatro dias deste fim de semana de carnaval, houve trabalho reforçado na área da segurança, com a presença da Guarda Civil Metropolitana, que atuou de forma estratégica em toda a cidade, para contribuir com a redução dos crimes de oportunidade e realizar apoio durante ações de fiscalização no combate ao comércio irregular. A utilização dos drones, que sobrevoaram os desfiles, captando imagens, também foi uma ferramenta importante no auxílio à segurança.

Foi mantido um efetivo diário de aproximadamente 700 GCMs e 120 viaturas, tanto no Sambódromo do Anhembi quanto nas apresentações dos blocos em várias regiões da cidade. No total, as equipes atenderam dez ocorrências que foram encaminhadas às delegacias. A operação contou com a participação de um efetivo de 700 guardas e 113 viaturas no sábado (2), 453 guardas e 176 viaturas no domingo (3), 626 guardas e 109 viaturas na segunda-feira (4) e 597 guardas e 119 viaturas na terça-feira (5).

A Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb) recolheu durante o pré-carnaval e o carnaval cerca de 600 toneladas de resíduos. Para lavagem das ruas, foram utilizados mais de 6 mil m³ de água reutilizada.

O Carnaval de Rua continua no próximo final de semana, 9 e 10 de março. A expectativa de público para os três finais de semana com o evento é de 5 milhões de pessoas.

Transporte ===  A Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes (SMT) preparou uma operação especial de trânsito e transporte público para todos os finais de semana com o Carnaval de Rua de São Paulo. A medida tem como objetivo facilitar o deslocamento dos foliões e da população em geral nos dias de festa em São Paulo.

Maior carnaval de rua do país ===  Com início no final de semana de 23 e 24 de fevereiro, no chamado pré-carnaval, a festa nas ruas da cidade de São Paulo vem se consolidando nos últimos anos. A expectativa da Prefeitura de São Paulo é que cinco milhões de pessoas prestigiem o Carnaval de Rua até o final do evento, no pós-carnaval, em 9 e 10 de março. No total, são inscritos 516 blocos, em 556 desfiles. A Skol é a patrocinadora oficial e disponibilizou R$16,1 milhões para financiamento da festa. Foi o maior recurso destinado ao evento até hoje.

A Skol também ganhou novos parceiros: os profissionais dos aplicativos iFood e Uber estarão incentivando o consumo inteligente de comidas e bebidas, além de evitar que os o e o uso do aplicativo pelos foliões”. <<Com apoio de informações/fonte: Secretaria Especial de Comunicação-Secom/PMSP e Secretaria Municipal das Subprefeituras >>

=============

ObraFácil

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora