21.1 C
São Paulo
quarta-feira, 12 fevereiro, 2020
LimpaSP – estréia
Home Estilo de Vida Bem Estar & Saúde Número de mortos por coronavírus sobe para 563 na China. Menos casos...

Número de mortos por coronavírus sobe para 563 na China. Menos casos no Brasil

    FAB  a caminho para resgatar brasileiros

O Ministério da Defesa informou nesta 5ª feira (06.02.2020) que os aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) destacadas para repatriar os brasileiros que estão em Wuhan, China, epicentro do surto do novo coronavírus, já estão em Varsóvia, na Polônia, onde estava prevista uma das escalas.

As duas aeronaves VC-2 aguardam a alocação de um horário para pouso do controle aéreo chinês. De acordo com o ministério, a espera é devido ao alto fluxo de tráfego aéreo no país e das missões internacionais de repatriação, que estão saindo e chegando da região afetada.

A previsão é que as aeronaves brasileiras cheguem na China no final da 6ª feira (07.02).. Já a chegada ao Brasil deve acontecer no sábado (08.02) à noite ou na madrugada de domingo (09.02).

Os aviões da FAB partiram ontem (5) de Brasília para buscar ao menos 34 pessoas (brasileiros e parentes) que requisitaram resgate ao governo. A previsão é que as aeronaves levem 62 horas no processo de ida e volta, sendo 47 horas de voo.

Antes de chegar à cidade destino, as aeronaves fizeram escala em Fortaleza (CE), Las Palmas (Espanha) e Varsóvia (Polônia). Também está prevista uma escala em Ürümqi, já na China. No retorno, as aeronaves passarão pelas mesmas cidades. <Com apoio de informações: Empresa Brasil de Comunicação-EBC/por Andreia Verdélio – Repórter da Agência Brasil / Brasília >


             

           Brasil vai ajudar os países vizinhos

O ministro da Saúde, , Luiz Henrique Mandetta, defendeu nesta 5ª feira (06.02.2020)  atuação solidária do Brasil com os países vizinhos nas estratégias a serem adotadas para um eventual combate ao novo coronavírus. Segundo o ministro, o país que requer mais atenção é a Venezuela, mas, com a ajuda da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), será possível avançar nos trabalhos de vigilância e monitoramento.

De acordo com Mandeta, o Brasil é uma referência não só para os vizinhos, mas para todo o mundo, por conta do Sistema Único de Saúde (SUS). Nesse sentido, o Brasil tem ajudado na capacitação de todos os países vizinhos, bem como de alguns da América Central.

“Temos de ser solidários. O Paraguai, por exemplo, tem muita dificuldade com a parte laboratorial. Nós autorizamos que as amostras de seus pacientes suspeitos sejam rodadas aqui. Argentina e Uruguai têm uma boa estrutura. Nos preocupamos com a Venezuela por conta do desmanche do sistema de saúde deles, que resultou em casos de difteria e sarampo, e da fronteira com Roraima, um estado com estrutura de saúde menor e mais frágil’, afirmou o ministro após reunião com secretários de Saúde dos estados e das capitais.

“Por isso, vamos fazer um trabalho de vigilância e monitoramento junto com a Opas, que dialoga com o governo venezuelano”, acrescentou.

CARNAVAL === Perguntado sobre como ficarão os trabalhos preventivos ao novo coronavírus durante o carnaval, Mandetta disse que as medidas têm de ser estudadas caso a caso. “Não posso comparar o carnaval, por exemplo, de Mato Grosso, com o do Recife. As coisas são diferentes no que se refere à gestão da regulação do sistema.”

Segundo o ministro, a maioria dos casos que surgirão durante o carnaval possivelmente será de “resfriados que se autorresolvem”. “Quando o paciente tem percepção de que o resfriado é algo maior, geralmente o aconselhamento é domiciliar. Apenas uma fração da fração da fração vai usar um eventual sistema hospitalar. É com esse cenário que cada estado ou município fará seu cálculo.”

Mandetta destacou que cabe ao folião ter bom senso na hora de brincar o carnaval, em especial praticando a chamada “etiqueta respiratória”, termo usado para hábitos como os de cobrir boca e nariz na hora de tossir ou espirrar, e depois descartar o lenço no lixo (ou, quando não tiver lenço, usar o antebraço, e não as mãos, devido ao maior risco de contaminar corrimãos e demais objetos); lavar as mãos com frequência; evitar tocar olhos, nariz ou boca sem ter higienizado as mãos; ou usar máscara cirúrgica quando estiver com coriza ou tosse.

“A vida continua. Não somos uma bolha congelada no tempo. Existe o risco? Existe, porque tem lá na China um vírus novo. As pessoas saem de Pequim, vão para Roma, Lisboa; fazem conexões, convivem com pessoas por 10 ou 12 horas dentro do avião. Estamos blindados, sem risco de nunca vir o vírus aqui? Não, porque isso é próprio da humanidade. Se estiver gripado, com febre e nariz escorrendo, evitar o carnaval. Sempre houve mudança de vírus na história da humanidade. Ou nosso organismo criou imunidade, ou a ciência identifica, mapeia geneticamente e então trabalha com testes rápidos para, depois, termos a vacina”, completou. <<Com informações/fonte: Empresa Brasil de Comunicação-EBC/por Pedro Peduzzi-Repórter Agência Brasil-Brasília >>


    Saúde Municipal capacita educadores em SP

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), promove nesta 6ªfeira (07.02.2020), das 09h às 12h, capacitação sobre o coronavírus para mais de 150 profissionais das cinco Diretorias Regionais de Educação (DRE) da capital. A proposta é disseminar as principais informações sobre a doença nas escolas da capital. O evento acontece na sala multiuso da sede da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), organizado pela Coordenadoria de Vigilância em Saúde (COVISA).

O coronavírus (CoV) faz parte de uma grande família viral que causa infecções respiratórias em seres humanos e em animais.  O treinamento incluirá informações como situação epidemiológica, manejo clínico, biossegurança, dúvidas sobre o coronavírus e recomendações técnicas preconizadas pelo Ministério da Saúde.  A intenção é que os profissionais em treinamento disseminem as informações sobre as melhores práticas a serem adotadas em casos suspeitos. A Prefeitura de São Paulo está monitorando o tema desde o início de janeiro, quando iniciou a capacitação de funcionários da rede municipal de saúde. Até o momento, não há caso confirmado da doença nem em São Paulo, nem no Brasil.

Na última 3ª feira (04.02.2020), a Secretaria Municipal da Saúde/SP e a COVISA reuniram mais de mil servidores e parceiros que atuam na saúde para transmitir informações gerais sobre a doença e capacitar a rede de assistência à saúde, desde o atendimento primário ao terciário, urgência e emergência.

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS), em parceria com a Secretaria Municipal da Educação (SME), também realiza desde 4ª feira (05.02) uma ação de vacinação contra a poliomielite e sarampo em estabelecimentos municipais de ensino de São Paulo.  O público-alvo da ação é formado por crianças de seis meses até quatro anos, 11 meses e 29 dias de idade e a estratégia pretende elevar a cobertura vacinal contra a pólio e imunizar os menores de cinco anos de idade contra o sarampo, visando controlar o aumento no número de casos da doença nesta faixa etária. <<Com apoio de informações/fonte: Secretaria Especial de Comunicação-Secom >>


 

ObraFácil

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora