O grupo de repatriados da China,  em quarentena na Base Aérea de Anápolis, será liberado neste domingo (23/02/2020).  Na 6ª feira (21/02), foi feita a terceira e última coleta de material para exame específico para o novo coronavírus e, análise do Laboratório Central do Estado de Goiás, que mostrou resultados negativos. Cada um dos repatriados recebeu uma declaração do Ministério da Saúde informando o estado de saúde livre da doença pelo novo coronavírus (COVID-19).

<< Foi uma cena emocionante neste sábado. Um médico da Base Aérea de Anápolis frente ao grupo, em uma sala, com todos os repatriados sentados e com as máscaras brancas. O médico também com a máscara. Em dado momento, o médico retira a sua máscara e informa “e vocês podem tirar as máscaras a partir de agora, pois estão livres do coronavirus”. Quase simultaneamente todos retiraram as máscaras e foram jogadas para cima, como um ato de vitória. E o médico informou ainda que todos retornarão às suas cidades, em aviões da FAB, no domingo. Isto acontece em  14 dias, abaixo dos 18 dias estipulados para a quarentena”>>

“Todos os hóspedes da Base Aérea de Anápolis, que permanecem com o quadro assintomático, serão transportados, neste domingo, pela Força Aérea Brasileira para nove estados do Brasil”, diz a nota divulgada pelo Ministério da Defesa neste sábado.Os destinos são os seguintes: Distrito Federal – 20 passageiros, sendo 9 militares, 1 profissional do Ministério da Saúde, 1 profissional (cinegrafista) da Empresa  Brasil de Comunicação e 9 repatriados; São Paulo  – 13 passageiros, sendo 11 repatriados, um militar e uma integrante do Ministério da SaúdeRio de Janeiro – 11 militares; Paraná – 5 repatriados; Santa Catarina – 4 repatriados; Minas Gerais – 3 repatriados; Pará – 1 repatriada.  Dois repatriados, transportados para Brasília, seguirão em voos comerciais para o Maranhão e para o Rio Grande do Norte. Um repatriado permanecerá em Anápolis (GO).

Operação === No dia 5 de fevereiro, duas aeronaves da Força Aérea Brasileira – FAB foram à China buscar brasileiros em Wuhan, epicentro da doença que já matou mais de 2.300 pessoas na China . Entre brasileiros e familiares de outras nacionalidades, 34 chegaram ao Brasil no dia 9 de fevereiro. Além dos repatriados, 24 profissionais que fizeram parte do resgate também estão cumprindo a quarentena de 18 dias contados a partir da decolagem do avião brasileiro no dia 5. O procedimento é um protocolo internacional para evitar a disseminação da doença no Brasil.

Casos suspeitos=== Até o momento, no Brasil, não há registro de casos da doença. O mais recente boletim epidemiológico do Ministério da Saúde mostra que, no período entre 18 de janeiro a 21 de fevereiro de 2020, foram notificados 154 casos para investigação de possível contaminação pelo coronavírus (COVID-19). O primeiro caso suspeito no Brasil foi notificado no dia 22 de janeiro de 2020. Desse total, apenas um caso (0,7%) caso permanece em investigação como caso suspeito, 51 (33,1%) foram descartados por confirmação laboratorial para outros vírus respiratórios e 102 (66,2%) foram classificados como excluídos, por não atenderem à definição de caso.

Segunto o Ministério da Saúde: “Destaca-se, no entanto, que todos os casos excluídos estão sendo monitorados conforme protocolo da vigilância da Influenza. O perfil epidemiológico do atual caso suspeito é: brasileira, sexo feminino, 21 anos de idade, residente da China, encontra-se atualmente no RJ, chegou ao Brasil no dia 17 de fevereiro de 2020, início dos sintomas no dia 11 de fevereiro de 2020 (febre,tosse,dor de garganta e fraqueza)”, diz o boletim. Já  a Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que não foi estabelecido um tratamento definitivo para a doença. Contudo, a organização está aguardando os resultados de dois ensaios clínicos, incluindo uma combinação de medicamentos antivirais usados no tratamento do HIV. Os resultados devem ser conhecidos em três semanas.

Disseminação=== Autoridades de saúde pública da China confirmaram, na 6ª feira (21/02/2020), mais 109 mortes pelo novo coronavírus, elevando o total para 2.345 em todo o país. A maior parte ocorreu em Hubei, província onde o surto de coronavírus surgiu e cuja capital é Wuhan.

As autoridades informaram sobre um número adicional de 397 casos confirmados, elevando o total de infecções para 76.288. Acrescentaram que o vírus está se alastrando em diversas prisões nas províncias de Hubei, Zhejiang e Shandong, onde mais de 500 presos e agentes penitenciários foram infectados. << Com apoio de informações/fonte: Empresa Brasil de Comunicação-EBC – por Luciano Nascimento – Repórter da Agência Brasil >>


 

ObraFácil

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora