da Redação DiárioZonaNorte ===

Uma Serra da Cantareira de contrastes, com a maior floresta urbana do mundo nos seus 64.800 hectares atingindo São Paulo, Mairiporã, Caieiras e Guarulhos, e que está na ponta do mapa da Zona Norte de São Paulo – e que é de responsabilidade nos perímetros da Prefeitura Regional Jaçanã/Tremembé – e que até tem o CEP 02306-002 em toda sua extensão.

E, de forma marcante no meio dela, uma avenida que tem origem no Tucuruvi, junto à Av. Tucuruvi com a Nova Cantareira, e segue pela Vila Mazzei e Jardim Tremembé, transformando-se na realidade em uma estrada – que atravessa outras comunidades e jardins — até a divisa com o município de Mairiporã. Mesmo conservando o título de avenida é classificada pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER) como a SP 008 – Norte, uma rodovia urbana e estadual, que no passado era Estrada Velha da Serra de Bragança.

A transformação  === Os séculos passaram e os sítios e fazendas foram se transformando. Hoje a grande maioria são casas antigas e modestas – erguidas sem cuidados de engenharia ou arquitetura em tijolos aparentes, coberturas de tábuas ou material improvisado. Do velho caminho na rudimentar estrada, abriu-se ao lado dela a  moderna e bem cuidada rodovia federal Fernão Dias, em quatro pistas,  que segue pelas cidades do interior de São Paulo, a caminho de Mairiporã, Atibaia e Bragança Paulista, entre outras, para chegar ao lado mineiro até Belo Horizonte.

A zeladoria === O asfalto foi dando lugar aos paralelepípedos do lado da cidade e no asfalto que veio depois do chão batido no lado da estrada, chegando na divisa com o Município de Mairiporã.  E a responsabilidade pelo trecho de São Paulo, saindo da Rua Manuel Gaya (junto à DiCico) — a parte de cima até a Avenida Tucuruvi pertence à Prefeitura Regional de Santana/Tucuruvi/Mandaqui,  inclusive Palmas do Tremembé —  e seguindo até a divisa com Mairiporã, com toda a zeladoria que é da Prefeitura Regional Jaçanã/Tremembé. Todo esse trecho chega a 14 quilômetros.  Há poucos meses,   foi realizado o Asfalto Novo no trecho  de 2,5 quilômetros da Sezefredo Fagundes, da Manuel Gaya  até  Rua Ushikichi Kamiya.

O perigo da estrada === Logo do outro lado, a referência é o Restaurante Dib em Mairiporã,  que localiza-se no número 25.100 da avenida, ou seja no km 25 da estrada. Essa avenida-estrada é de grande importância para quem mora na região e trabalha em São Paulo ou Mairiporã – ou até para os proprietários de casas de verão na Serra, clubes de campo, pesqueiros, restaurantes e buffets.

E o mato estava subindo pelo asfalto, encobrindo guard-rails, calçadas e sarjetas. Quem dirige sabe das dificuldades, com pouca visibilidade nas inúmeras curvas, já que o mato estava alto em uma estrada estreita, com largura de cinco metros, em somente duas vias. Por outro lado, a avenida-estrada não tem acostamento, no caso de uma emergência. Em  outras palavras, a Sezefredo Fagundes passou a ser um perigo iminente, ainda mais com as obras do Rodoanel-Norte, com seus caminhões, máquinas e desvios. (Adendo: no caminho, antes da divisa com Mairiporã, o pitoresco Jardim das Pedras – que  em  06/08/2017 recebeu a  visita  do então prefeito João Doria Jr.  acompanhado do prefeito regional Alexandre B. Pires e mais de 300 pessoasveja aqui )

O “Mutirão” no sábado === Com essa preocupação, e uma melhor qualidade de vida para os moradores da região e preservando a reserva ambiental, o prefeito regional de Jaçanã/Tremembé, o incansável Alexandre B. Pires articulou com a Secretaria das Prefeituras Regionais – e contou com o apoio da  Superintendência das Usinas de Asfalto – SPUA — que não cuida só de asfalto mas também da manutenção das grandes vias de São Paulo, como as marginais Tietê e Pinheiros e a  Avenida Radial Leste. A SPUA cedeu três equipes de trabalho para agilizar o trabalho – que se juntaram a duas equipes de corte de grama/mato da prefeitura regional –, que começou às oito horas da manhã e seguiu por sete horas, com término por volta das três horas da tarde.

Esse “Mutirão” na Av. Sezefredo Fagundes, que aconteceu no sábado passado (30/06/2018), envolvendo o Consórcio Trevo, com acompanhamento direto do gestor Ciro Margoni –  o novo responsável pela limpeza urbana, que mobilizou seus vários supervisores no controle de novíssimos caminhões, equipamentos e equipes no total de 300 pessoas. O prefeito regional revelou que a avenida-estrada Sezefredo Fagundes não consta no contrato da AMLURB (Autoridade Municipal de Limpeza Urbana).  Lembramos que, a  área não tem um maior cuidado com a sinalização pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) por ser uma estrada urbana e que a tarefa compete ao  Departamento de Estradas de Rodagem (DER) – que, a partir de agora, a Prefeitura Regional Jaçanã/Tremembé fará gestões para que haja essas ações.

Quem esteve no local === Esteve acompanhando a ação o Chefe de Gabinete da Secretaria das Prefeituras Regionais e Assessor do prefeito, César Azevedo – que percorreu vários pontos de trabalho, ao lado do prefeito regional e que ouviu atentamente as observações  feitas pelo prefeito Pires.   Já, com apoio logístico e de segurança, estiveram a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e a Guarda Civil Metropolitana (GCM), com a Comandante da região Jaçanã/Tremembé, a Inspetora Kátia Medaglia.

No ponto de encontro – na divisa com o município de Mairiporã, ao lado do Restaurante Dib –, a presença de vários representantes de associações, destacando-se Luis Fernando Onofre, diretor da Associação dos Moradores e Amigos da Vila Renascença/Mairiporã; Dr. Antonio Godoy Camargo Neto  e Jacira Reis, diretores do Instituto de Defesa e Apoio da Mulher – Ideam;  Cido Viana, da Associação Mount Blue do Jardim Hebrom;  Dijair Almeida e Everaldo Matheus Vieira, assessores parlamentares do vereador Conte Lopes.

Neste local, o prefeito Alexandre PiresCésar Azevedo —  representante do prefeito Bruno Covas – foram recepcionados no Restaurante Dib por Fernando C.B.Brandão (que é Coordenador de Projetos e Programas da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo da Prefeitura de Mairiporã),  que agradeceu pelas ações na Sezefredo Fagundes – que vai dar mais visibilidade para o restaurante – e que poderão abrir possibilidades de projetos em conjunto entre os dois municípios, para maior abertura em turismo e preservação na Serra da Cantareira.

O trabalho coordenado === O prefeito Alexandre Pires dividiu a área em  quatro trechos.   Desta vez, o foco do mutirão foi no trecho  de Serra que tem a extensão em cerca de 14,5 quilômetros e compreende a altura do Clube Alpes da Cantareira até a divisa com Mairiporã (onde está localizado o Restaurante Dib). Os outros trechos compreendem do Clube Alpes da Cantareira até a alça de acesso da Fernão Dias – que é considerado pelo prefeito regional Alexandre Pires o mais crítico; da alça de acesso da Fernão Dias até a Rua Ushikichi Kamiya  – com  cerca de 5 quilômetros; e da Rua Ushikichi Kamiya  até a avenida Manuel Gaya.

Cuidados e abrigo de ônibus === Alexandre Pires, desde que assumiu a regional Jaçanã/Tremembé,  empenha-se em implantar  na extensão de serra  da Avenida Sezefredo Fagundes  (da alça de acesso da Fernão Dias até a divisa com Mairiporã), guias e sarjetas.   Desta forma, cria-se uma proteção para o asfalto (já que a água não poderá se infiltrar embaixo do asfalto, o que causa rachaduras), o que garante a qualidade do serviço e aumenta a segurança do usuário da via.

Outra providência articulada pelo prefeito regional Pires é a implantação de pontos de ônibus com abrigo na extensão da via. Um destes abrigo na entrada do Clube Alpes da Cantareira, em péssimo estado de conservação, já está em estudos e em breve deverá ser revitalizado. “Vamos dar mais condições aos moradores e trabalhadores que precisam destes abrigos de ônibus para maior segurança. E pensamos até em colocar a Gelateca (uma geladeira desativada com livros gratuitos) para preencher o tempo de espera e dar mais cultura”, planeja o prefeito regional.

O resultado === Com a maior tranquilidade, a avenida-estrada Cel. Sezefredo Fagundes oferece mais condições de tráfego, com visibilidade nas curvas. Até os guard-rails e as sarjetas que estavam embaixo do mato, surgem com visibilidade – até abriram espaço para o acostamento. As calçadas que existiam e não podiam ser usadas, surgiram para os pedestres não correrem o risco de atropelamento. Além das condições para os moradores e trabalhadores, que circulam na região, no vai-e-vem dos ônibus urbanos da Sambaíba. Logo mais, melhorias nos pontos de ônibus com abrigos mais eficientes e nova sinalização nas pistas. Esses são o objetivo e responsabilidade que se mostram.

O tamanho da região === A área administrada pela Prefeitura Regional de Jaçanã/Tremembé tem  64,9 km2 de extensão,  o mesmo tamanho dos municípios de OsascoBarueri, Mauá  ou Holambra – todos no estado de São Paulo.  Se o comparativo se aplicar às prefeituras regionais, a área do prefeito regional Alexandre Pires é a soma das áreas administradas pelas regionais de Vila Maria/Vila Guilherme/Vila Medeiros e Santana/Tucuruvi/Mandaqui – que são as regiões limítrofes.  Além deste comparativo, a região Jaçanã/Tremembé registra oficialmente – já que dia a dia cresce sua população e novas comunidades são criadas —  80 bairros, sendo 12 no Jaçanã e 68 no Tremembé, entre vilas e jardins — e calcula-se cerca de 380 mil habitantes.

No final da ação, o prefeito Alexandre B. Pires estava muito contente com o resultado da ação de zeladoria da avenida-estrada Sezefredo Fagundes. “É mais uma ação que fizemos no local, com toda a dedicação, com a garantia que estamos dando mais condições a todos da região. Mais uma missão cumprida!”, arrematou e fez os agradecimentos “a todos que ajudaram de uma forma direta ou indireta”.

Além da galeria de fotos abaixo,  veja a cobertura  fotográfica completa na fanpage do DiárioZonaNorte clicando aqui .

CenterNorte Institucional Maio2019

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora