da Redação DiárioZonaNorte ==

Uma Oktoberfest  de verdade. Assim foi a 4ª Paulaner Oktoberfest Brasil, na 6ª feira e sábado (18 e 19/10/2019). O horário acertado era 19 horas, mas uma hora antes já o pessoal aproximava-se do Grande Salão de Eventos do tradicional Clube Atlético Juventus, na Mooca.  Nos dois dias da festa, cerca de 9 mil pessoas puderam viver um pouco da  Alemanha no coração da República da Mooca.

Como manda a tradição, balcões repletos de  torneiras de chope com a exclusivíssima Paulaner Oktoberfest Bier, cerveja oficial da Oktoberfest na Alemanha – criada especialmente para o evento e  trazida para o Brasil pela Casa Flora, importadora oficial da marca no pais e responsável pelo evento.

Da Alemanha para o Brasil === Vinda diretamente de Munique, a  Paulaner Oktoberfest Bier  chegou ao Brasil em contêineres dentro de navios atracados em Santos. Uma produção especial 1 mil hectolitros da cerveja e chope – o que corresponde a 100 mil litros –  vindos direto da Alemanha especialmente para a celebração dos apreciadores na festa da Mooca. Foi uma grande operação de guerra,  que teve início em dezembro do ano passado, mas a produção em Munique começou seis meses antes.  Os embarques dos barris de chope e cerveja para o Brasil começaram  no final de julho deste ano e chegaram ao Brasil no final de  agosto.

Seleção rigorosa === Essa mesma cerveja brinda o evento da Baviera, desde 1818.  Casa Flora é a única autorizada no Brasil para fazer parte desta festa ao lado da Alemanha, Estados Unidos, Espanha, Itália, França, México, Paraguai, países asiáticos e árabes. Mesmo assim a autorização e seleção de países é rigorosíssima, com muito controle de qualidade. No Juventus, tudo foi pensado e  sempre buscando o lado autêntico para dar o clima e características alemãs na festa — até caneca original de 1 litro estava presente.

A cerveja === Servida em canecas de um litro, a Paulaner Oktoberfest Bier é uma cerveja sazonal, festiva e saborosa, de alta fermentação, com perfeito equilíbrio e sabor dos maltes balanceados aos lúpulos alemães.  O estilo da cerveja é Lager/Marzen Bier – Oktoberfest Bier, com graduação de álcool em 6% ABV  e mantendo o melhor dos ingredientes: água puríssima, malte lúpulo e levedura, com temperatura ideal de  zero a 4 graus centígrados.

Gastronomia alemã === Ao lado dos balcões de chope, saborosos “pedaços da culinária germânica”. No cardápio, que teve a assinatura da Berna – referência em comida alemã, pratos como Currywurst (uma deliciosa salsicha de porco cortada e temperada com ketchup ao curry), Schublig (salsichão de carne suína levemente defumada), Kalbsbratwurst (salsichão de carne de vitela) Goulasch com Spatzli (carne bovina cozida  lentamente em um molho levemente picante e massa a base de farinha de trigo e ovos) ou  o  Einsbein com Coleslow (joelho de porco defumado, com salada de repolho finamente fatiado).

Como na Alemanha === Uma alegria contagiante começou a ser produzida aos poucos, com a chegada das pessoas, em maior número,  a partir das 20 horas. Gente por todos os lados. Muitos casais de Fritz e Frida, personagens símbolos da festa alemã, e um jeitão de “agarrar” a caneca com a mão envolta nela.

Casais e turmas de amigos assumindo os bancos das robustas mesas comunitárias, que em vários momentos se transformaram em palco de dancinhas. A cada gole uma felicidade trazida pela Paulaner, aquele fechar de olhos e suspiros de prazer que só a legítima  cerveja da Oktoberfest pode proporcionar. No salão um mar de canecas levantadas ao som de “prost”!  Ah… não tem ideia do que significa “prost”? No dialeto bávaro, a palavra é o equivalente ao nosso “saúde” ou “tim-tim” e é falado sempre quando alguém quer fazer um brinde.

O’Zapft is e a sangria do primeiro barril == E ainda seguindo a tradição alemã,  aconteceu a cerimônia da abertura dos dois primeiros barris  da Paulaner Oktoberfest Bier, que chegaram ao território brasileiro. Para conduzir a cerimônia, Adilson José Carvalhal (fundador da Casa Flora), Antonio Pereira Carvalhal Neto (diretor comercial da Casa Flora) e  André Gaxupé (embaixador da Paulaner no Brasil). Na sangria, o barril é aberto com a ajuda de um martelo e uma estaca, quando um pouco do líquido dourado espalha por todos os lados.

Após, uma torneira é encaixada no barril e a cerveja é oferecida aos convidados. Oficialmente, o evento só começa com a “sangria do primeiro barril de chope e os gritos de “O’Zapft is“, que no vocabulário da Baviera tem um significado muito especial, algo como “que a festa comece” .

Programação musical === No palco, o apresentador Felipe Montanari, de sobrenome italiano e caracterizado de alemão, mas com seu jeitinho de brasileiro não deixou de abrir a festa com algumas palavras de “boas vindas” em alemão.  A Fanfarra Alemã abriu a festa tocando músicas no estilo alemão, puxando a dança até a parte externa do salão – onde ficou para recepcionar a chegada dos convidados.

Rock dos bons e de lembranças === A banda Hot Rocks  tem em sua formação  Marcelo Mancha (vocal), Kleber Shima (guitarra), Ronaldo Lippi (teclados e guitarra),Marco Tulio (baixo) e Fernando Porto (bateria e vocal), apresentou o melhor do pop-rock e os clássicos mais expressivos do rock n’ roll

Banda Lemak,  formada por Diogo Berlim (voz e violão), Duds Bemol (violino e teclado), Jimmy Tonelada (guitarra) Digão Ferreira (baixo) e João Rufus (bateria), apresentou números de pop/rock carioca misturando acordes de violino ao rock’n roll.  Na sequência se apresentaram a  Banda Corcel (Folk), Rodrigo Haddad e a DJ Camila da 89FM, que embalaram o público até o Sol raiar.

No sábado (19/10), a programação musical voltou a ser a mesma, mas com muita mais alegria contagiante com as presenças também da Banda Do Fritz (rock e música típica de Oktoberfest) e o DJ Maia.  Não faltou o famoso “trenzinho pelo salão”.

Da Zona Norte para a Mooca ==   Um dos convidados da festa foi o restauranter Arno van Enck, dono da Biergarten Munique, uma das casas mais tradicionais da Zona Norte de São Paulo, instalada há 35 anos no Shopping Center Norte. Acompanhando Arno Van Enck, entre outras pessoas, estava  o empresário e do tenor Humberto Lisboa, dono de um talento ímpar e  um voz impressionante quase igual à de Elvis Presley.


Sobre a Casa Flora == Em 2020 completa 50 anos de atividades. Ao longo deste tempo, tornou-se o local dos melhores produtos na mesa e na adega de famílias brasileiras. Em primeiro lugar, a qualidade dos melhores queijos, alimentos gourmet, vinhos, cervejas, com produtos brasileiros e importados. E tudo começou na cidade de Flora, município mineiro de Três Corações. O queijo foi o produto que marcou a origem em 1955 da Casa Flora e a uva o ingrediente que fez a estreia da empresa como importadora, em 1992, vinda do Chile E a partir daí foram chegando produtos dos mais variados, atingindo mais de dois mil itens. No item vinhos, a Casa Flora tem um dos acervos mais completos e conceituados do mercado enogastronômico, marcas líderes e de prestígio internacional. Com a cervejaria da Paulaner na Alemanha tem a exclusividade no Brasil,  sendo a organizadora oficial da legítima Oktaberfest, desde 2015. A loja da Casa Flora está localizada à Rua Santa Rosa, 207 – Brás – telefone (11) 3327.5199  – www.casaflora.com.br


O DiárioZonaNorte  participou da 4ª Paulaner Oktoberfest Brasil, a convite da Casa Flora e da Anagrama Eventos e Comunicação.


 

IBCC Institucional

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora