Em junho deste ano iniciaram as novas empresas de zeladoria responsáveis pelos serviços de instalação de lixeiras, varrição, retirada de entulho, limpeza de bueiro, operação de ecopontos, pátios de compostagem entre outros. Está previsto até a vigência dos contratos, que possuem duração de três anos,  a instalação de mais 150 mil novas papeleiras na cidade, que já conta com cerca de 104 mil unidades distribuídas pelas vias.

Atualmente a cidade conta com dois modelos de papeleiras, um é a versão Tulip, que é feita de aço carbono com banho de aço galvanizado fixado ao chão; e o modelo Robocop (Iron) de cor verde que ficam afixadas aos postes, possuem giro de 360°, facilitando ainda mais o trabalho da coleta dos resíduos. Em 2018 foram coletados aproximadamente 77.4 mil toneladas de resíduos dos serviços de varrição – que inclui os resíduos recolhidos das papeleiras.

O tamanho do serviços === Esse trabalho é realizado por mais de 11 mil funcionários em 7.800 quilômetros de vias da cidade com 1.089 veículos dos serviços indivisíveis de limpeza urbana. Ao todo são coletadas diariamente oito mil toneladas de resíduos de varrição, entulho, feira, papeleiras e saúde.

A Autoridade Municipal de Limpeza Urbana – Amlurb, da Prefeitura de São Paulo, conta com colaboração da população para manter os equipamentos públicos em bom estado. Em casos de vandalismo a infração prevista no “INCISO VII”, do art. 1°, da lei 10.328/1.987, autua o cidadão que danifica ou destrói, no topo ou em parte, cercas, tampas de bueiros, abrigos, muros, marcos ou quaisquer outros bens e equipamentos urbanos do município, no valor de R$325,66.

Novos contratos de varrição === Desde junho de 2019 a cidade de São Paulo possui uma nova divisão para a zeladoria do município. A disposição vigente é formada por seis áreas e seis consórcios vencedores da última licitação efetuada, os consórcios são: Corpus Saneamento e Obras LTDA, Sustentare Saneamento S. A., Consórcio Locat SP, Consórcio Limpa SP, Consórcio Ecoss Ambiental e o Consórcio SCK – Eco Sampa.

Todas atuantes na realização dos serviços de instalação de lixeiras, varrição, retirada de entulho; limpeza de bueiro; operação dos 102 ecopontos e dos 5 pátios de compostagem; pinturas de guias, entre outros. Durante os três anos de contrato, a economia global será de R$ 684 milhões em relação ao contrato anterior – R$ 19 milhões por mês.

Com o início dos novos consórcios, automaticamente os contratos emergenciais de varrição foram encerrados. Além da economia de recursos públicos, cerca de 22% ao mês, a Prefeitura de São Paulo fez adequações e ajustes no edital a fim de propor melhorias na execução dos serviços de limpeza urbana. Foram incluídas, por exemplo, a destinação final dos resíduos, triagem e tratamento adequado aos recicláveis. Com essa mudança, as empresas passam a enviar os resíduos às cooperativas e às centrais mecanizadas.

Novos uniformes e caminhões === Nos próximos meses os agentes de limpeza receberão um novo uniforme que passarão por uma modernização, com mais refletivos, modelo feminino e a mudança de cor, do tradicional verde para o laranja. Os caminhões também passarão por uma reformulação de layout.


Sobre a AMLURB ===  Desde 2002 entrou em vigor a lei número 13.478, na qual houve a criação da AMLURB – Autoridade Municipal de Limpeza Urbana, um órgão regulamentador encarregado pela gestão dos resíduos e limpeza urbana da cidade de São Paulo. A autarquia é vinculada à Secretaria Municipal das Prefeituras Regionais, da Prefeitura de São Paulo e presta serviços com o intuito de proporcionar melhor qualidade de vida aos munícipes de São Paulo. Dentre os serviços públicos prestados, estão a conservação e limpeza dos bens de uso comum do Município, limpeza de áreas públicas em aberto, varrição e lavagem das vias, viadutos, praças, túneis e etc; capinação e roçada do leito de ruas, coleta de Resíduos Domiciliares até 200 litros, coleta de Resíduos da Construção Civil – RCC até 50 kg; coleta de Restos de Móveis e utensílios até 200 litros (Cata Bagulho), coleta de Resíduos de Serviços de Saúde e coleta Seletiva (Recicláveis). << Com apoio de informações/fonte: Assessoria de Comunicação Amlurb/PMSP – Thainá Lana Rodrigues Martins >>


                  População aprova coleta de lixo

Em pesquisa recente (julho 2019)  realizada pela Associação Brasileira das Empresas de Gerenciamento de Resíduos de São Paulo (Abrager) com apoio da Prefeitura Municipal de São Paulo e da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb), aponta que 54% da população avaliam como “bom” ou “ótimo” o trabalho de coleta do lixo na capital paulista.

O estudo foi encomendado pela Abrager à Opinion Box, companhia especializada em pesquisas de mercado, e foi direcionado para moradores da cidade de São Paulo de todas as regiões. O objetivo da pesquisa é medir a percepção do paulistano em relação à gestão dos resíduos gerados por estabelecimentos comerciais na cidade de São Paulo.

Os dados foram levantados por meio de um questionário online com 11 perguntas de resposta única, coletadas entre 3 e 9 julho de 2019. Ao todo, foram coletadas 300 respostas. De acordo com os entrevistados, avaliações “ruim” ou “péssima” somam apenas 10% das respostas. A percepção “mediana” do serviço de coleta de lixo foi apontada por 36,3% das pessoas ouvidas.

Para o diretor-executivo da Abrager, Julio Mirage, um dos grandes fatores que chama a atenção na pesquisa é a preocupação da população com a saúde pública, tendo em vista que 41,67% dos entrevistados disseram que o lixo acumulado pode resultar em focos importantes de doença. “Fica claro que a correta gestão de resíduos residenciais e comerciais é uma demanda latente do cidadão de São Paulo.

“Por isso, o comércio e a indústria devem, em especial, contar com serviços especializados de transporte, reciclagem, logística reversa, gerenciamento e tratamento dos resíduos sólidos gerados no ambiente privados”, acrescenta Mirage.

“A coleta domiciliar comum atende 100% do município. Somente em 2018, foram recolhidos aproximadamente 3,7 milhões de toneladas de resíduos. À medida que o cadastro de estabelecimentos comerciais vai crescendo, conseguimos aperfeiçoar ainda mais esse trabalho”, comenta Edson Tomaz de Lima Filho, presidente da Amlurb.


   CADASTRO OBRIGATÓRIO PARA BARES/RESTAURANTES/LANCHONETES

Desde o dia 10 de abril, todos os proprietários de estabelecimentos comerciais, como restaurantes, padarias, indústria e condomínios não residenciais, incluindo shopping centeres, entre outros, e que tenham CNPJs inscritos no Município de São Paulo, devem se cadastrar no site https://www.ctre.com.br/login, para que sejam enquadrados ou não como grandes geradores de lixo.

O prazo final para o cadastramento é 9 de setembro de 2019, conforme Resolução 134/2019 da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb), publicada no Diário Oficial no último dia 11 de julho. Por ser feito de maneira online, o cadastro permite o acompanhamento quase que em tempo real de todas as etapas da cadeia de resíduos sólidos no município, incluindo a geração, o armazenamento, o transporte e o tratamento e disposição final.

O cadastro é feito dentro de um sistema autodeclaratório e integra as iniciativas do poder público de facilitar o controle e o cumprimento da Lei 13.478, de 2002, regulamentada pelo Decreto nº 58.701, de 2019, que trata do lixo gerado nos estabelecimentos comerciais.

Pela regulamentação, todos os Grandes Geradores de Resíduos Sólidos, caracterizados como estabelecimentos comerciais que geram mais de 200 litros de lixo por dia, deverão obrigatoriamente contratar uma empresa responsável para a execução dos serviços de coleta, transporte, tratamento e destinação final dos resíduos gerados, mantendo via original do contrato à disposição da fiscalização.

Sobre a campanha “Lixo é da sua conta” ===  A campanha “Lixo é da sua conta” é uma plataforma multimídia de conteúdos educativos com o objetivo de orientar os estabelecimentos comerciais e transportadores instalados na cidade de São Paulo sobre como fazer a gestão correta dos resíduos, dentro dos requisitos da lei. Para mais informações, acesse http://www.lixodasuaconta.com.br/.


Sobre a Abrager ===  Fundada em 2017, a Associação Brasileira de Empresas de Gerenciamento de Resíduos (Abrager) é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, que congrega empresas de toda a cadeia de gestão de resíduos sólidos do setor privados, incluindo transporte, reciclagem, logística reversa, gerenciamento e tecnologia de tratamento de resíduos sólidos. Com atuação em todo o território nacional, a entidade coordena, representa e defende os interesses de seus associados quanto ao desenvolvimento do setor e do mercado de gestão de resíduos sólidos privados, promovendo e divulgando as boas práticas e o correto manejo de resíduos no Brasil. << Com apoio de informações/fonte: Totum Comunicação / Cristiane Pinheiro >>

Center Norte Youtube

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora