Início Bem Estar Mais de um terço da população da capital já teve contato com...

Mais de um terço da população da capital já teve contato com o Coronavírus / Covid-19

Tempo de Leitura: 2 minutos
Os resultados da quinta fase do Inquérito Sorológico 2021 com moradores da cidade de São Paulo foram divulgados nesta 5ª feira (13maio2021) pela Prefeitura de São Paulo e Secretaria Municipal da Saúde (SMS) e mostram que mais de um terço da população da capital já teve contato com o coronavírus.
O mapeamento realizado entre os dias 26 e 29 de abril aponta um índice de prevalência da infecção de 33,5%, contra 14,1% da primeira fase, 13,9% na segunda, 15,6% na terceira e 25% na quarta fase.

Entre aqueles que testaram positivo, 56,1% estavam assintomáticos e 43,9% sintomáticos. O índice de confiança da pesquisa é de 95% e foi realizada com duas metodologias.

A estimativa de prevalência de anticorpos contra SARS-CoV-2 foi significativamente maior com a metodologia do ELISA do que com o teste de Quimioluminescência isoladamente e apresentou-se ainda maior com a combinação de ambos os testes (ELISA + CMIA), alcançando os 33,5%.

A cada etapa, a base de estudo para o Inquérito Sorológico 2021 são 5.760 munícipes, adultos maiores de 18 anos, que participam da pesquisa realizada por sorteio, na base das 468 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da capital. Na quinta fase, a pesquisa foi realizada com indivíduos não vacinados.

Na divisão por Coordenadoria Regional de Saúde (CRS), o maior índice foi registrado na Coordenadoria Sul, com 39,1% de prevalência. Nas demais regiões, a prevalência foi de 34,4% (CRS Norte), 33,3% (CRS Leste), 29,6% (CRS Sudeste), e 27,2% na região centro-oeste.

A contaminação se mostrou maior, com indicadores superiores à média, em pessoas com idade entre 18 e 34 anos (31,1% de prevalência), seguidas pelas pessoas de 35 a 49 anos, que apresentaram 28,7 % de prevalência, e depois, bem próximo, pelo grupo dos 50 a 64 anos, com 28%. Devido à baixa proporção de indivíduos de 65 anos e mais, não foi calculada a estimativa de prevalência neste grupo.

Quando se leva em conta o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), quem tem IDH alto tem menor prevalência: 29,9%. Para IDH médio a prevalência é de 33,7% e para IDH baixo, de 36,2%. Contudo, a pesquisa aponta um crescimento significativo em relação à fase quatro, quando os índices eram respectivamente 20,1% (IDH alto); 25,4% (médio) e 28,8% (baixo).

Na faixa de escolaridade, a fase 5 do Inquérito Sorológico 2021 apontou que 41,7% das pessoas com testes positivos possuem ensino fundamental. Já as com ensino superior apresentam menor estimativa de prevalência – 19,2% -, numa diferença bastante expressiva. <<Com apoio de informações/fonte: Ass.Imprensa Secretaria Municipal da Saúde >>


 

d