A obra é composta por relatos de profissionais que fizeram parte da história do mais antigo programa da Globo em exibição. “Foi o Jornal Nacional — o JN — que realizou na prática um sonho que meu pai, Roberto Marinho, nutriu desde a década de 1950: unir o Brasil por meio da televisão em rede, um feito cujas consequências benéficas para o país são reconhecidas por estudiosos de diversos matizes”, relembrou João Roberto Marinho –presidente do Conselho Editorial e do Comitê Institucional do Grupo Globo

A Globo Livros lançou, em parceria com o Memória Globo, “Jornal Nacional: 50 anos de telejornalismo”, obra que reúne memórias de diversos profissionais que fizeram parte da história do JN. Mais antigo programa da Globo em exibição, o Jornal Nacional registrou os fatos mais relevantes da história mundial, bem como as evoluções tecnológicas e de tratamento de informação que vêm transformando as comunicações em todo o mundo. Por isso, o JN tem recebido atenção especial do Memória Globo desde seu início. “Jornal Nacional: 50 anos de telejornalismo” é o terceiro livro dedicado ao telejornal.

Sob supervisão editorial do diretor-geral de Jornalismo Ali Kamel e da diretora de Projetos Especiais Maria Thereza Pinheiro, os autores foram convidados a escrever, da perspectiva das funções que exercem ou exerceram, sobre o desafio de levar ao público, com isenção, pluralidade, clareza e correção, aquilo que acontece de mais importante no Brasil e no mundo. Atravessando as páginas da obra, o leitor encontrará recordações dos mais variados profissionais, alguns deles responsáveis pela fundação da emissora, outros jovens que têm contribuído para manter o JN próximo de cada nova geração de telespectadores.

Data da foto: 1975
Cid Moreira e Sérgio Chapellin, apresentadores do “Jornal Nacional”, da Rede Globo.

Com prefácio de João Roberto Marinho, o livro se divide em capítulos sobre diversos temas como o jornalismo nas eleições, as grandes coberturas esportivas, a produção do telejornal, as reportagens especiais e coberturas internacionais. Foram incluídos não apenas relatos de diretores e jornalistas conhecidos do público, mas também de gente que, atrás das câmeras, de frente para os computadores, na operação e na produção, contribui para que o telespectador tenha o JN como sua principal fonte de informação.


 

Sobre o Memória Globo ===  O Memória Globo foi criado em 1999 com o objetivo de resgatar a história das empresas que compõem o Grupo Globo. Seu trabalho de pesquisa de fontes aliado à realização de entrevistas de memória oral com profissionais de diversos ramos de atuação permitiu tornar pública a história da Globo, cuja trajetória se confunde com a da própria televisão brasileira. A área foi responsável pela realização dos livros Dicionário da TV Globo: dramaturgia e entretenimento (2003), Roberto Marinho (2004), de autoria de Pedro Bial, Jornal Nacional: a notícia faz história (2004), Almanaque da TV Globo (2006), de Marcel Souto Maior, Entre tramas, rendas e fuxicos: o figurino na teledramaturgia da TV Globo (2007), Autores: histórias da teledramaturgia (2008), JN: modo de fazer (2009), de William Bonner, Guia ilustrado TV Globo: novelas e minisséries (2010) e Correspondentes: bastidores, histórias e aventuras de jornalistas brasileiros pelo mundo (2018).


 

Jornal Nacional: 50 anos de telejornalismo

  • Organização: Memória Globo
  • Páginas: 458
  • Formato: 16X23cm
  • Preço: R$ 69,90

    << Com apoio de informações/fonte: Comunicação Globo Livros / Bruna Tenório >>

LimpaSP – estréia

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora