da Redação DiárioZonaNorte ===

<<< Em Primeira Mão >>> ==== Os olhares de investidores estão voltados para a Zona Norte da cidade de São Paulo. É um novo espaço aberto e com grandes perspectivas de sucesso em várias áreas. Já estão consolidadas as implantações da Universidade São Judas, Lassù Ristorante, Assaí Atacadista, Roldão Atacadista, Tri-Mais HiperCenter,  Condominio K-1 (o maior prédio da região),  entre outros – << (*) ver mais detalhes no final desta reportagem >>.

O Einstein chega === Agora, sem revelar valores, surge o investimento do renomado Hospital Israelita Albert Einstein — reconhecido um dos melhores nacional e internacionalmente — , que está em ritmo acelerado no término da construção da mais nova Unidade Clínica no bairro de  Santana. A previsão de inauguração está sendo apontada para o começo de 2020. O prédio está localizado no nº 3.265 da Avenida Braz Leme, esquina com a Rua Fernando Sandreschi (haverá saída da Unidade Clínica), onde funcionou uma Concessionária Chevrolet.  Os prédios vizinhos são da Universidade Anhanguera e do Banco Itau Personalité,  próximo do Corpo de Bombeiros e em frente ao Parque de Material Aeronáutico de São Paulo (PAMA-SP), no Campo de Marte.

Como será a Clínica === O prédio de dois andares ocupará um terreno de 1.763 metros quadrados, sendo que o térreo terá disponível 1.555 metros quadrados; e o primeiro pavimento com 1.254 metros quadrados. O projeto arquitetônico incorpora o conceito de “ambientes de cura”, com materiais diferenciados. Segundo os projetistas, ”tudo foi pensado para ser acolhedor, ajudar na reflexão e na recuperação da saúde”. Por outro lado, essa unidade conta ainda com um projeto exclusivo de fachada e será um marco elegante e de destaque na Avenida Braz Leme.

O que será oferecido === Segundo a direção do Hospital Albert Einstein, serão oferecidos serviços de Medicina Diagnóstica e Atenção Primária, com estimativa de 118 mil atendimentos no primeiro ano. Na Medicina Diagnóstica e Ambulatorial do Einstein oferece hoje uma estrutura completa para diagnóstico, prevenção e tratamento, variados tipos de exames e serviços, corpo clínico altamente especializado, consultórios de diversas especialidades, pronto atendimento adulto e infantil 24 horas, entre outros. Na Atenção Primária à Saúde possibilita melhores resultado e uso adequado de recursos clínicos. E para isto profissionais da saúde colaboram efetivamente para uma melhor assistência ao paciente.

No mesmo estilo e serviços, o Einstein possui quatro Unidades Clínicas em funcionamento na capital paulista: Alto de Pinheiros ( Av. São Gualter, 766), Parque Ibirapuera (Av. República do Líbano, 501), Shopping Parque da Cidade (Av. das Nações Unidas, 14401 – Chácara Santo Antônio) e na Zona Leste/Anália Franco. Desta forma, a Unidade Clínica Santana poderá ter à disposição uma equipe formada por médicos e enfermeiros, com apoio de nutricionistas, educadores físicos, psicólogos, entre outros, trabalhando juntos para garantir o cuidado da saúde dos pacientes e construir um plano de cuidado exclusivo.

Além do desejo do Einstein de estar próximo de seus clientes em todas as regiões da cidade, o bairro de Santana foi escolhido para esta nossa nova unidade devido à sua importância na Zona Norte, sendo a porta de entrada de vários e importantes bairros (Jardim São Paulo, Tucuruvi, Mandaqui e outros) —  com uma população cerca de 4 milhões de habitantes e um grande crescimento econômico e investimento imobiliário. No momento, a direção do hospital ainda não prevê outras Unidades Clínicas no restante da Zona Norte, como nos bairros da Casa Verde, Vila Guilherme, Vila Maria, Vila Medeiros e outros carentes de serviços especializados de saúde.

Boletim Informativo do Hospital Albert Einstein ===  Em sua última edição especial de nº 60 (  de  outubro de 2018 e março 2019 ), às páginas 12 e 13, a publicação editada pelo Departamento de Marketing do Hospital Israelita Albert Einstein já revelava as novas unidades de Clínicas Médicas do Einstein. Com o titulo “Novas Unidades – Atenção Primária – Aqui Tem: Einstein se expande como um sistema de saúde integrado, passando a oferecer também serviços de atenção primária e gestão da saúde populacional”. Transcrevemos abaixo a íntegra do que foi publicado:

Primeiro veio o hospital – de alta complexidade, com excelência no atendimento de níveis terciário e quaternário. Depois, nasceram as unidades externas, caracterizadas como nível de atendimento secundário, já que, além de medicina diagnóstica e pronto atendimento, congregam consultórios de especialistas. Inaugurada em 2018, no Alto de Pinheiros, a Clínica Einstein é a primeira de uma série de unidades que completam um sistema de saúde integrado: a oferta de serviços de atenção primária e gestão da saúde populacional.

Ainda este ano, serão lançadas mais quatro Clínicas Einstein: Parque da Cidade, República do Líbano, Anália Franco e Santana (Braz Leme). A rede inclui ainda a unidade da Av. Giovanni Gronchi, que atende colaboradores contratados do Einstein e seus dependentes dentro do programa Cuidar.

Sintonizado com os pilares do Triple Aim, esse é um movimento estratégico para fazer frente aos desafios do mundo da saúde. “Públicos ou privados, os sistemas de saúde estão sendo revistos, tendo os custos como grande direcionador”, afirma o Dr. Eliezer Silva, diretor da Medicina Diagnóstica e Ambulatorial (MDA).

Um estudo da Associação Nacional dos Hospitais Privados (Anahp) ajudou a entender o crescimento dos custos no Brasil. Mostrou que o valor dos procedimentos tem aumentado em níveis bastante superiores ao IPCA e que o grande impulsionador da chamada “inflação médica” é a maior frequência de uso. O problema é que esse uso é feito desordenadamente, sem uma coordenação do cuidado que leve em conta os níveis de complexidade de forma crescente: atenção primária, secundária e terciária, tendo a primária como porta de entrada.

“Quando o usuário vai direto para um especialista, pronto-socorro ou hospital, perde-se a capacidade de coordenação e de uso racional do sistema, com desperdício de recursos. Isso não acontece quando se tem um médico de família, que é a referência da coordenação do cuidado e atua com foco na promoção da saúde e na prevenção ou controle de doenças”, diz o Dr. Eliezer. Segundo ele, estima-se que 90% dos problemas podem ser resolvidos na atenção primária. “Só isso já derrubaria o custo associado à frequência de uso”, destaca.

DE CASA PARA O MERCADO === Por meio da sua rede de clínicas, o Einstein assume esse papel. Começou dentro de casa, com o Programa Cuidar e a Clínica da Giovanni Gronchi para atender colaboradores e dependentes. “Os resultados dessa abordagem são muito positivos, como se pode observar, entre outros pontos, pela menor procura de serviços especializados e menos exames por consulta.  Com isso, o custo do Einstein com o plano de saúde dos colaboradores, que crescia ao ritmo de dois dígitos por ano, declinou de maneira muito expressiva”, cita a Dra. Raquel Conceição, gerente médica da MDA.

Agora, é isso que a Instituição proporciona ao mercado, posicionando-se como um parceiro capaz de fazer a gestão da saúde populacional a partir do serviço de atenção primária e do referenciamento para os níveis secundário e terciário quando necessário, direcionando a navegação do paciente pelo sistema. Isso se traduz em melhor cuidado, uso racional do sistema e custos menores.  É uma equação que interessa a todos. “As empresas querem diminuir os custos com os planos de saúde, as operadoras querem diminuir a sinistralidade (e, portanto, os custos) e nós queremos tudo que permita cuidar melhor da população”, diz o Dr. Eliezer.

Com esse novo modelo, o Einstein já responde pela gestão da saúde de milhares de vidas por meio de acordos estabelecidos com operadoras e empresas, inclusive no Sistema In Company. “Para a população em geral, temos um produto no formato de pacote, em que a pessoa paga uma mensalidade e tem direito de usar os serviços da Clínica Einstein”, acrescenta a Dra. Raquel.

O QUE TEM NA CLÍNICA EINSTEIN? === Do ambiente à equipe de profissionais e ao modelo de atendimento, tudo traduz o jeito Einstein de prestar serviços de atenção primária e gestão da saúde populacional: com eficiência, qualidade e uma abordagem humanizada e acolhedora.

O conceito arquitetônico da Clínica Einstein do Alto de Pinheiros – e que será replicado nas demais – reúne todos os recursos para fazer dessas unidades um lugar de acolhimento e bem-estar.  Além de médico de família e enfermeiro de atenção primária, a equipe inclui educador físico, nutricionista e psicólogo, que trabalham no modelo de atendimento em grupo. São oficinas que abordam temas  variados – meditação, alimentação, bem-estar, etc. –, abertas ao público da região. A Clínica também conta com laboratório para exames mais simples, raio X, eletrocardiograma, MAPA e Holter. Para completar, há uma estrutura de walk-in-clinic, para atendimento de emergências de baixa complexidade.

MAIS ACESSO, MAIS PACIENTES PARA O EINSTEIN === O que acontece quando o paciente atendido na Clínica Einstein precisa de exames mais  sofisticados, de um especialista ou de uma cirurgia? As alternativas são várias. O paciente que já tem acesso ao Einstein pode ser direcionado para os serviços de outras áreas da Instituição.

Caso não tenha, pode ser referenciado a um hospital da rede da operadora, por exemplo. Mas um modelo que vem despertando grande interesse são os acordos que, além da assistência primária, possibilitam encaminhar para o Einstein pacientes que normalmente não teriam acesso à Instituição.

“São contratos que geram a oportunidade de trazer para o Einstein mais casos de alta complexidade”, afirma o Dr. Miguel Cendoroglo, diretor Médico e do Hospital. “Definimos um valor, que é acordado com a empresa ou operadora, estabelecemos e controlamos protocolos e selecionamos os médicos para esse atendimento – profissionais que concordam e têm disponibilidade para trabalhar nesse modelo, com um honorário preestabelecido. Ou seja, são clientes institucionais atendidos pelos médicos institucionais”, explica.

Essa é uma nova frente de crescimento do Einstein. “O restante segue como sempre. Vamos seguir trabalhando para a ampliação de acesso por meio de descontos diferenciados e negociações diretas  com as operadoras. E os médicos continuarão contando com os mesmos benefícios – retaguarda, consultório, etc.”, destaca o Dr. Miguel.

CORPO CLÍNICO: CONSTRUINDO NOVAS PARCERIAS === Os médicos são essenciais para que o sucesso do Einstein nesse movimento que nasce com a criação das clínicas de atenção primária e os acordos que envolvem o cuidado de especialistas para pacientes que não teriam acesso ao Einstein pelas vias convencionais.

Por isso, a Instituição tem convidado diversos profissionais a embarcar nesse projeto, médicos do corpo clínico modular. “Temos dirigido convites a profissionais de diferentes perfis, sempre considerando a boa prática reconhecida no Programa de Relacionamento. Mas o maior interesse parte de médicos mais jovens, que têm disponibilidade de agenda e estão dispostos a atender por honorários preestabelecidos, segundo os protocolos definidos e nos preceitos da medicina baseada em valor”, afirma a Dra. Juliana Soares, coordenadora de Relacionamento Médico.


Assista ao vídeo que conta a história do Hospital Israelita Albert Einstein:


Um pouco mais de história === Sonho virou compromisso da comunidade judaica: oferecer à população do Brasil uma referência em qualidade da prática médica ===  Com mais de 60 anos de existência, a Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein ainda mantém uma premissa: inovar e crescer, sempre com excelência. E olha que tudo começou pequeno, numa reunião de amigos, em 1955, em que o dr. Manoel Tabacow Hidal apresentou sua ideia de fazer um hospital. O sonho virou compromisso da comunidade judaica: oferecer à população do Brasil uma referência em qualidade da prática médica.

Mas a intenção era ainda maior. E assim tem sido feito. Construído com recursos provenientes de doações e do trabalho de um grupo de pessoas dedicadas, a pedra fundamental foi lançada em 1958. Nos anos 60, foram sendo entregues alguns departamentos, mas o Hospital Israelita Albert Einstein foi inaugurado mesmo em 1971. A partir de então, tornou-se referência em tratamentos com tecnologia de ponta e atendimento humanizado e expandiu suas fronteiras com ações de responsabilidade social e atividades de ensino e pesquisa.

Responsabilidade social === A atuação em responsabilidade social do Einstein começou ainda na década de 60, quando a Pediatria Assistencial atendia gratuitamente crianças da região do Morumbi. Em 1997, foi criado o Programa Einstein na Comunidade de Paraisópolis para dar assistência a 10 mil crianças de uma das maiores comunidades carentes de São Paulo. Hoje, além desse programa e do atendimento à comunidade judaica, o Instituto Israelita de Responsabilidade Social Albert Einstein atua em conjunto com os gestores públicos de saúde para ajudar a suprir suas necessidades assistenciais, tecnológicas ou de competências.

Atualmente a Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein está à frente de projetos importantes, que mostram como a parceria público-privada pode render frutos para a comunidade, inspirando outras instituições a engrossarem suas fileiras em prol da saúde do Brasil. As competências e conhecimentos do Einstein estão a serviço não só dos pacientes das oito unidades próprias, mas também em mais de duas dezenas de locais na Grande São Paulo, no Brasil e no mundo.

Só na cidade de São Paulo, o Einstein administra 23 unidades públicas. Assumimos em dezembro de 2015 mais um hospital municipal, em parceria com a Prefeitura de São Paulo, com atendimento 100% SUS: o Hospital da Vila Santa Catarina (Dr. Gilmar de Cássia Marques de Carvalho) – antigo Hospital Santa Marina. Sempre com a máxima qualidade.

Em 2006, a Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein iniciou um plano de expansão. Junto da Unidade do Morumbi, entre os projetos executados, o Pavilhão Vicky e Joseph Safra​ foi construído com todos os critérios de sustentabilidade e recebeu a certificação Leed Gold, criada pelo U.S. Green Building Council e verificada pelo Green Building Certification Institute (GBCI), que reconhece e certifica projetos, construções e operação de edifícios sustentáveis (verdes) de alto desempenho. Foi inaugurado em 2009, com 16 andares, 70 mil m² de área construída, 200 novos consultórios de várias especialidades, 20 novas salas cirúrgicas, 41 apartamentos para internação-dia. Também foi erguido o Edifício Reynaldo André Brandt.

Educação e pesquisa === Abrigadas no Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein, as atividades de educação e pesquisa são o motor de inovação que não se restringem aos pacientes do Hospital Israelita Albert Einstein e englobam cursos técnicos, de graduação e de pós-graduação, treinamentos sofisticados e pesquisas clínica e experimental.

​​Mas o Einstein vai além. Em 2016 passou a oferecer o curso de Medicina e já tem em meta a construção da Faculdade de Medicina próximo da sede do Morumbi.  (Texto revisado em 26/04/2019)


(*) Referências  aos investimentos de empresas e negócios na Zona Norte em reportagens publicadas pelo DiárioZonaNorte – clique em cima no nome:


HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEIN
  • Endereço: Av. Albert Einstein, 627 – Morumbi, São Paulo  
  • Horário: 24 horas
  • Fone: (11) 2151.1233
  • Fundação: 04 de junho de 1955 (64 anos)
  • Site:  www.einstein.br
  • Informações/Endereços Clinicas Médicas: clique aqui  

LimpaSP – estréia

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora