Sempre no último sábado do mês, às 11 horas, a SP Leituras e a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo promovem uma conversa descontraída com um nome atual da literatura brasileira. Já há alguns anos, os  encontros são conduzidos pelo jornalista e crítico literário Manuel da Costa Pinto, com o título “Segundas Intenções”, no confortável auditório da Biblioteca de São Paulo, com participação gratuita do público.

O “DiárioZonaNorte” faz as chamadas para esses encontros aqui na Zona Norte, que se revezam com outras apresentações no auditório do Parque Villa Lobos, na Zona Sul.  São encontros interessantes e que merecem atenção de estudantes e público em geral. Inclusive,  a participação vale como atividade complementar aos universitários.

A partir de agora, em acordo com a SP Leituras, estaremos trazendo as gravações do “Segundas Intenções” aos leitores do “DiárioZonaNorte”. E abrimos abaixo com o escritor Frei Betto.


                       Agora é a sua vez, Frei Betto!

Ele cresceu em uma casa ocupada por livros. Os pais eram escritores. Sempre foi escritor e em um momento de liberdade cerceada virou autor. Militante, ex-preso político, católico, jornalista e, aos poucos, construiu 64 obras literárias. Ainda luta por um país melhor. Sabe que não vai participar da “colheita”, mas é feliz. Faz questão de morrer semente.

Este é Frei Betto, o convidado do programa “Segundas Intenções”, em 27 de julho de 2019 (sábado).  Mediado por Manuel da Costa Pinto, o bate-papo com Frei Betto aconteceu na Biblioteca de São Paulo. Um encontro de duas horas que rendeu curiosidades, dicas de leitura, histórias de resistência e muita inspiração para quem o ouvia.

Frei Betto é escritor de livros históricos, de ficção, ensaios, cartas, todos repletos de reflexões sobre o Brasil, o mundo e as transformações que ocorreram nos últimos anos. Sua primeira obra publicada foi “Cartas da prisão”, um compilado de cartas que escreveu em seus quatro anos de reclusão como preso político, reunidas por Maria Valéria Rezende. Outro livro importante em sua trajetória é “Batismo de sangue”, escrito durante a sua participação na Ação Libertadora Nacional, em sua na luta contra a ditadura. A obra foi transformada em filme em 2007, dirigido por Helvécio Ratton.

Frei Betto ainda deixou uma forte reflexão sobre a felicidade, quando disse que “ninguém é mais feliz do que quem luta para que todos sejam felizes”. Ele tem um livro intitulado “A felicidade foi-se embora?”, em que discorre sobre a experiência subjetiva que é este estado de espírito que depende do sentido que imprimimos na vida. “O capitalismo como não propõe nenhum sentido subjetivo consistente, quer nos convencer de que a felicidade resulta da soma de prazeres, mas a felicidade é uma experiência interior, está em outro patamar de motivação, é uma experiência mística”.  << Texto/Cobertura de Sofia Sales Mariano, da SP Leituras / Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo / Governo de SP >>

Assista a íntegra do bate-papo com Frei Betto:


SP Leituras === A SP Leituras – Associação Paulista de Bibliotecas e Leitura – é uma organização social sem fins lucrativos, criada em maio de 2010. É uma instituição de natureza cultural, engajada em ações relacionadas à propagação do gosto pela leitura em todos os segmentos da população, aos mais variados públicos, com atenção especial a pessoas com deficiência. Em suas atividades, gere iniciativas da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo , pela Unidade de Difusão Cultural, Bibliotecas e Leitura (UDBL). A SP Leituras é responsável pela gestão integral da Biblioteca de São Paulo (BSP) , localizada no Parque da Juventude (antigo presídio do Carandiru), Zona Norte, e da Biblioteca Villa-Lobos (BVL) , situada no Parque Villa-Lobos, Zona Oeste, ambas na capital. Mais informações: https://spleituras.org.br/quem-somos/

Bibliioteca de São Paulo === A Biblioteca de São Paulo (BSP), inaugurada em 8 de fevereiro de 2010, está localizada no Parque da Juventude (antigo presídio do Carandiru). A BSP coloca a leitura ao lado de seus principais concorrentes: a música, os filmes, os jogos eletrônicos e a internet, para atrair principalmente o público não-leitor. Trata-se de um espaço público de aproximadamente 4 mil metros quadrados que oferece acervo diversificado de livros, revistas, jornais, jogos eletrônicos, filmes e CDs. Ocupa uma área de 4.257 metros quadrados para atender ao público – crianças, jovens, adultos, idosos com e sem deficiência. A biblioteca, conta com recursos tecnológicos e oferece aos seus usuários microcomputadores, rede wireless e terminal de autoatendimento.  Inspirada na Biblioteca de Santiago, no Chile, e nas melhores práticas adotadas pelas bibliotecas públicas do país, a BSP vem atuando, entre outras frentes, na oferta de equipamentos e espaços que permitam o acesso da população à produção e à expressão culturalem âmbito nacional. Lembrando que a BSP já recebeu outras premiações como o Prêmio IPL 2016 como Melhor Biblioteca do Ano e o Prêmio Ações Inclusivas 2013 da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, além de contar com Certificado de Excelência TripAdvisor.  Em agosto de 2019, atingiu a marca de 3 milhões de visitantes. Mais informações: www.bsp.org.br


Biblioteca de São Paulo / Parque da Juventude – D.Paulo Evaristo Arns

  • Endereço: Av. Cruzeiro do Sul, 2.630 – esquina com Av.Gal.Ataliba Leonel – Carandiru
  • Funcionamento: 3ª feira a domingo (fechada às 2ªs.feiras), das 9h30 às 18h30.
  • Atividades: gratuitas.
  • Referência: Estação do Metrô Carandiru
  • Informações: (11) 2089-0800

“Segundas Intenções” – Próximo bate-papo:

 


 

IBCC Institucional

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora