De 10 a 31 de janeiro, o Theatro Municipal de São Paulo terá as suas visitas educativas gratuitas realizadas todos os dias de hora em hora no intervalo das 10h às 17h, sendo que a primeira ocorre às 11h. As inscrições devem ser feitas com 1 hora de antecedência na bilheteria do local. O público poderá conhecer o belíssimo prédio histórico e ainda a Praça das Artes, inclusive com visitas em inglês, sempre às 14h, e libras, às 16h.

Além disso, a concorrida “Visita aos Lugares não Visitáveis”, que anteriormente acontecia apenas em eventos como “Jornada do Patrimônio”, será oferecida a partir do meio-dia, e percorre o subterrâneo do Theatro. Os visitantes farão trajetos que despertam grande interesse e curiosidade do público. Será possível conhecer o túnel que liga o edifício do Municipal à fonte Carlos Gomes, o Salão dos Arcos e os túneis de manutenção, terminando no ponto mais alto do prédio: a Cúpula. Esta será oferecida apenas em português.

Theatro Municipal  ==  O Theatro Municipal surgiu para a cidade de São Paulo como um grande símbolo das aspirações cosmopolitas do início do século 20. Cada vez mais refinada e com mais recursos provenientes do ciclo do café, a alta sociedade paulistana espelhava-se em valores europeus e desejava uma casa de espetáculos à altura de suas posses para receber grandes artistas da música lírica e do teatro.

O edifício projetado pelo escritório Ramos de Azevedo com colaboração dos italianos Cláudio Rossi e Domiziano Rossi teve o início das obras em 1903 e foi inaugurado em 12 de Setembro de 1911. O Theatro Municipal foi aberto diante a uma multidão de 20 mil pessoas que acompanhavam a chegada dos ilustres convidados.

A luxuosa construção, fortemente influenciada pelos teatros de ópera ecléticos, foi considerada um feito histórico para a época, com traços renascentistas e barrocos na fachada e, em seu interior, muitos adornos e obras de arte: bustos, bronzes, medalhões, afrescos, cristais, colunas neoclássicas, vitrais, mosaicos e mármores. São Paulo integrava-se, finalmente, ao roteiro internacional dos grandes espetáculos.

Pelo palco do Theatro Municipal passaram as mais importantes companhias artísticas da primeira metade do século 20, que trouxeram a São Paulo nomes como Enrico Caruso, Beniamino Gigli, Mario Del Monaco, Maria Callas, Renata Tebaldi, Bidu Sayão, Arturo Toscanini, Camargo Guarnieri, Villa-Lobos, Francisco Mignoni, Magdalena Tagliaferro, Guiomar Novaes, Pietro Mascagni, Ana Pawlova, Arthur Rubinstein, Claudio Arau, Duke Ellington, Ella Fitzgerald, Isadora Duncan, Margot Fonteyn, Nijinsky, Nureyev, Baryshnikov, dentre muitos outros.

O Theatro também foi cenário de um dos principais eventos da história das artes no Brasil, a Semana de 22, que entre 11 e 18 de fevereiro de 1922 reuniu um grupo de jovens artistas que questionou os valores da arte e da cultura vigentes, nos campos da música, da escultura, pintura, poesia e literatura. Neste grupo estavam Mário e Oswald de Andrade, Heitor Villa-Lobos, Víctor Brecheret, Di Cavalcanti, Anita Malfatti, Plínio Salgado, Menotti Del Pichia, Guilherme de Almeida e outros que deram início ao movimento modernista brasileiro.

Nos mais de 100 anos de história, três grandes restauros marcaram as mudanças e renovações no Theatro: na década 1950, ampliou os camarins, transferiu os camarotes da boca de cena para a parte de trás da plateia, substitui as cadeiras da sala de espetáculos, que recebeu novo mobiliário desenhado pelo Liceu de Artes e Ofícios, e instalou o órgão G. Tamburini.  A segunda, de 1986 a 1991, restaurou todo o prédio e implementou as estruturas de palco e os equipamentos de cena foram substituídos.

 Para celebrar o centenário, o Theatro Municipal de São Paulo passou pela terceira reforma: 
as fachadas e a ala nobre foram restauradas, os vitrais recuperados, as pinturas decorativas, com base em fotos antigas, foram refeitas e o palco modernizado.

Já a Praça das Artes foi inaugurada em 2013. O espaço abriga parte dos grupos artísticos do Theatro, as escolas municipais de música e dança, além da Sala de Exposições e a Sala do Conservatório, sede oficial do Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo, e que abriga apresentações de música de câmara, contemporânea, orquestral e coral.

Serviço:

Visitas Guiadas em Janeiro

Gratuito

De 10 a 31

Idiomas: Português, Inglês e Libras

Horários:

  • 11h às 12h30 – Português
  • 12h às 13h30 – Lugares Não Visitáveis
  • 13h às 14h30 – Português
  • 14h às 15h30 – Inglês
  • 15h às 16h30 – Português
  • 16h às 17h30 – Libras
  • 17h às 18h30 – Português

*As inscrições devem ser feitas com 1 hora de antecedência na bilheteria do local.

 

CenterNorte Institucional Maio2019

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora