Na visão das Nações Unidas, a Internet traz oportunidades, mas também riscos para menores. E a mostra artística “Crianças no Casulo Cibernético” busca explorar os riscos do mundo online através das experiências vividas pelas crianças. Ao mesmo tempo que a internet abriu inúmeras possibilidades interessantes para os jovens, ela também trouxe riscos para a segurança, autoestima e saúde das crianças.

Uma exposição que acontece (até 19/10/2018)  na sede da Organização das Nações Unidas (ONU),  em Nova York, procura chamar atenção para o problema. O conceito de Crianças no Casulo Cibernético foi desenvolvido pelo diretor criativo Kevin Wang e o artista Xie Yong.

Riscos === O Fundo das Nações Unidas para a Infância — a Unicef –, trabalhou com a equipe para criar as obras artísticas que buscam explorar os riscos do mundo online através das experiências vividas pelas crianças.

Antes da abertura, a ONU News conversou com a representante do secretário-geral sobre Violência contra as Crianças. Marta Santos Pais, dizendo que o impacto da intimidação nas crianças pode ser mais profundo do que se imagina.

“Algumas vezes nós achamos que este tema existiu sempre e não é um risco, porque as crianças vão ficar mais fortes se conseguirem ultrapassar estes desafios. Mas esquecemos do impacto que têm no coração da criança, na sua saúde, na sua educação e na sua capacidade de se relacionar e de confiar noutras pessoas”, segundo Marta Pais.

Casulos Cibernéticos ===  Os casulos representam o potencial isolamento que pode ocorrer quando crianças vivem num mundo cibernético no qual pais e cuidadores não entendem completamente. Os artistas produziram quatro esculturas que utilizam uma combinação de formas, luzes e vozes para compartilhar alguns dos maiores riscos pela perspectiva das crianças.

Entre eles, o uso excessivo da internet, onde as crianças vivem, comem e dormem a paixão pelos jogos online. O abuso sexual de crianças e o compartilhamento excessivo de informações pessoais também são abordados na exibição.

Bullying ===  De acordo com a ONU, o bullying cibernético também pode causar danos profundos nas crianças. O relatório do secretário-geral, Protegendo as Crianças do Bullying, indica que pelo menos 130 milhões de menores entre 13 e 15 anos no mundo já viveram algum episódio de bullying, online ou pessoalmente.

O estudo estimula ações positivas que reforçam habilidades de vida de crianças, informando, prevenindo e dando respostas ao comportamento violento e ao bullying.Outra proposta do relatório é que soluções a conflitos sejam replicadas e expandidas a comunidades, escolas e dentro dos países. << Com apoio de informações/fonte: ONU News –  por Daniela Gross >> 

CenterNorte Institucional Maio2019

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora