da Redação DiárioZonaNorte ==

Se existe um empreendedor obstinado, ele tem nome e sobrenome: Francisco Sant’Ana.  É dele a maior escola de sorveteria da América do Sul, a Escola Sorvete. E sua maior ambição é democratizar a produção do sorvete no Brasil. E por democratização, entendemos o desenvolvimento de toda uma cadeia de produção local, desde o leite, frutas, açúcares, maquinários, transporte, pontos de vendas e com geração de emprego e renda, de acordo com nossas realidades regionais.

Sant’Ana atua há 17 anos na área, é chef glacier  e uma das maiores autoridades em sorvete do Brasil e no mundo.  Seu curriculum?  Parafraseando o Castelo Ra-Tim-Bum “Senta que lá vem história”:  ministrou cursos e implantou gelaterias e fábricas de sorvetes em mais de 12 estados brasileiros. Prestou consultoria em mais de 25 países, entre eles Alemanha, Chile, Turquia, Marrocos, Nova Caledônia, Grécia, México, Argélia, Vanuatu, Chipre, Peru, Panamá,  Costa Rica, Rússia e Cazaquistão.

É vice-campeão latino americano em 2012 de confeitaria, Embaixador Callebaut no Brasil, foi o primeiro brasileiro a receber da Ecole Nationale Supérieure de La Pâtisserie (ENSP), na França, o título CAP – Certificat d’Aptitude Professionnelle en Pâtisserie e o primeiro assistente estrangeiro da instituição.

Francisco também foi professor assistente na Ecole Nationale Supérieure de la Pâtisserie (ENSP) na França, Escuela Universitaria de Hoteleria y Turismo de Sant Pol de Mar de Barcelona, Escuela de Cocina Mausi Sebess de Buenos Aires e Italian Culinary Institute for Foreigners (Icif) com sede na região de Piemonte.  Ah… ele é fluente em cinco idiomas.

Empreendedorismo ===  Encontramos Francisco Sant’Ana na 8ª. Edição da Feira do Empreendedor 2019 Sebrae-SP, o maior evento de empreendedorismo da América Latina, que acontece entre os dias 05 e 08 de outubro no Pavilhão de Exposições do Anhembi.  Durante a feira, a Escola Sorvete lança seus mais novos projetos:  a Loja Colaborativa e Curso OnLine.

O sorvete é pouco explorado no Brasil.  Nosso país é gigantesco,  tem exatos 8.511.000 km², cerca de 209 milhões de habitantes e clima tropical e apenas  20 mil sorveterias. Antes da Escola Sorvete, os profissionais do setor eram formados por empresas vendedoras de máquinas e  produtos pré-prontos.   “Não existiam sorveteiros, existiam misturadores de produtos”, lembra Sant’Ana.

A escola === A Escola Sorvete  já formou mais de dois mil alunos, em seus cinco anos de funcionamento.  Localizada  no bairro de Perdizes,  tem uma estrutura impressionante e é superequipada. Tem  desde uma simples batedeira (acessível a todos) até equipamentos importados, onde os alunos aprendem todos os processos de produção de sorvetes, sorbets, glaces, softs e picolés, além produtos para diferentes demandas do mercado como sorvetes salgados, veganos, funcionais, sem lactose, diet ou alcoólicos.

Cursos == Na Escola Sorvete  são oferecidos os Cursos Livre e Intensivo. O primeiro é um workshop e tem como público-alvo amadores que gostam de fazer sorvete em casa, ou quem deseja iniciar uma pequena produção doméstica, para complementar a renda. Já o segundo é voltado para quem sonha em abrir uma sorveteria ou para profissionais em busca de aprimoramento.

Ciência Exata == Os cursos são divididos em aulas  prática-teóricas (70% de prática e 30% teoria) e o aluno recebe uma formação completa. Fazer sorvete é uma ciência exata. Ela envolve cálculos e tabelas, onde  os resultados influem diretamente em textura, sabor e temperatura do sorvete. O sorvete deve ser de verdade. Sem saborizantes, corantes, melhoradores.  Com a técnica correta é possível fazer um produto delicioso e barato.

A base pode ser feita com leite ou água. As frutas devem ser frescas e chocolate de qualidade. As castanhas devem ser torradas e processadas no local do preparo do sorvete. Além da parte técnica, o aluno recebe noções de viabilidade comercial, marketing, vendas. Ele aprende inclusive que pode montar uma sorveteria com pouco ou muito dinheiro, dependendo do local, do público que espera atingir.

Loja Colaborativa ==  Ela  é uma incubadora de novos sorveteiros. A experiência é inédita no Brasil e no exterior. Será uma sorveteria aberta ao público, onde o aluno vai viver a experiência  por um período de “ser o dono do negócio”. Vai abrir e fechar a loja, lidar com contabilidade, emitir notas fiscais, fechar o caixa, cuidar do atendimento ao cliente, da produção dos sorvetes – incluindo compra dos ingredientes e preparo. Além da loja, dois pontos de venda (pdvs) no formato de carrinhos para eventos serão experimentados pelos alunos.   As vendas realizadas  serão abatidas do valor do curso, podendo o curso sair de graça.

Curso OnLine == Voltado para empreendedores de outras estados que não tem possibilidade de vir a São Paulo para o curso presencial, o Curso Online é um novo módulo da Escola Sorvete.  Com produção de Camila Moraes, o Curso OnLine terá a duração de 3 horas e custo  30% mais barato que o presencial. A aula inaugural será sobre Açaí e as inscrições poderão ser feitas durante a feira. Os alunos poderão ter acesso ao material por 12 meses e recebem três e-books com receitas.

Mentoria == Após a conclusão do Curso Online  e dos cursos presenciais, os alunos recebem a mentoria do chef Francisco, feita pelo WhatsApp.  E acreditem, durante nossa entrevista, o telefone não para de tocar.  São dúvidas sobre sabores, funcionamento de equipamentos, entre outros assuntos. E ele atende a todos, orgulhoso dos profissionais que encaminha.


Serviço:

ESCOLA SORVETE NA FEIRA DO EMPREENDEDOR 2019 SEBRAE-SP
Data:
De 05 a 08 de outubro – Das 10h às 20h.
Endereço: Pavilhão de Exposições do Anhembi – Setor laranja (SE43): Avenida Olavo Fontoura, 1209 – São Paulo.
Site: http://www.escolasorvete.com.br/
Instagramhttps://www.instagram.com/escolasorvete/
Endereço da Escola Sorvete: Rua Iperoig, 56, Perdizes – São Paulo.
Tel: (11) 3862-1698 – WhatsApp: (11) 9-3376.6098
Email: contato@escolasorvete.com.br

IBCC Institucional

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora