A programação de filmes em streaming do Sesc São Paulo, na recém-lançada plataforma Sesc Digital, que passou a reservar um espaço exclusivo para as sessões, oferece mais quatro novos títulos a partir desta 5ª feira (18jun2020). Basta acessar o Cinema Em Casa para conferir longas e documentários, sempre a partir de 5ª feira, com acesso gratuito a qualquer hora do dia e sem necessidade de cadastro.

Nesta semana, o #EmCasaComSesc exibe um clássico do cinema de 1952, o belo A Carruagem de Ouro, do francês Jean Renoir. O filme franco-italiano se passa no século 18. A estrela de uma trupe italiana de commedia dell’arte chega ao Peru e apesar de não encontrar um palco para se apresentar, ela conquista três pretendentes. É o início de uma série de eventos inusitados. Outra opção é o documentário intimista Eu Sou Ingrid Bergman, do sueco Stig Bjorkman, que apresenta um material inédito sobre a atriz, com entrevistas, cartas, diários e muitas imagens realizadas por Ingrid durante toda a sua vida.

A produção nacional também tem reservada duas salas (virtuais) e completam a programação desta semana. A partir desta 5ª feira (18/jun), o público pode conferir Paulinho da Viola – Meu tempo é Hoje, documentário dirigido por Izabel Jaguaribe com roteiro do jornalista Zuenir Ventura, que é um perfil afetivo do cantor, instrumentista e compositor; e o infantil Miúda e o Guarda-Chuva, ficção que narra as aventuras de Miúda, uma menina míope e imaginativa. Na plataforma Sesc Digital todas as produções são exibidas no formato FVOD – Free Video On Demand.

A programação do Cinema #EmCasaComSesc contempla quatro eixos principais neste primeiro momento. Uma curadoria de clássicos do cinema, em sua maioria cópias restauradas e exclusivas na plataforma; uma seleção contemporânea internacional, com filmes que tiveram uma trajetória relevante em festivais no mundo todo e que merecem uma nova oportunidade de exibição ao público; uma janela dedicada ao cinema nacional, com  produções de grande alcance de público e filmes independentes que merecem maior espaço de exibição – haverá também destaque aos documentários, ponto forte na produção cinematográfica brasileira; e por fim,  uma seleção de filmes infanto-juvenis, visando a formação de público, desde os primeiros anos de vida, para a diversidade do cinema e ampliação do lastro de narrativas.

A iniciativa de oferecer filmes em streaming em sua nova plataforma digital reforça os aspectos que ancoram a ação institucional do Sesc São Paulo, garantindo o acesso a conteúdos da cultura a variados públicos. Com maior presença no ambiente online, o Sesc amplia sua ação de difusão cultural, de maneira acessível e permanente. O público ganha assim mais um espaço para contemplar, descobrir e redescobrir o cinema, a partir de grandes obras selecionadas, disponibilizadas online e gratuitamente.

Os filmes ficam disponíveis por um período determinado, com alterações e novas estreias semanais a cada quinta-feira (considerando a semana de cinema de quinta à quarta-feira). Haverá ainda possibilidade de prorrogação da exibição, conforme a demanda do público, além de sessões especiais por períodos menores (como 24h, por exemplo). A curadoria do Cinema #EmCasaComSesc conta com a experiência do CineSesc, que segue fechado desde o mês de março, por conta da crise causada pelo novo coronavírus.

Os filmes podem ser acessados na plataforma do Sesc São Paulo : clique aqui.


+ FILMES EM CARTAZ ===  Quem navega pela plataforma Sesc Digital encontra também outras opções de filmes que permanecem disponíveis para acesso gratuito e irrestrito do público. Em Cinema Em Casa, há o terror surrealista A Hora do Lobo, do sueco Ingmar Bergman, o poético Coração de Cachorro, dirigido pela musicista e multiartista Laurie Anderson, a cópia restaurada de Mamma Roma, de Pier Paolo Pasolini, O Homem da Cabine, de Cristiano Burlan, e os brasileiros Aquarius, de Kleber Mendonça Filho, o delicado documentário Jonas e o Circo sem Lona, dirigido por Paula Gomes e a animação Historietas Assombradas – O Filme, de Victor-Hugo Borges. <<< Veja os descritivos destes filmes no link – clique aqui >>

CINESESC ===  Um dos cinemas de rua mais queridos da cidade, o Cinesesc iniciou seu funcionamento em 21 de setembro de 1979, no número 2075 da rua Augusta, na cidade de São Paulo, e se dedica à missão de fomentar a difusão do cinema de qualidade, exibindo obras que muitas vezes ficam fora do circuito comercial nas salas de cinema e plataformas online. Sua programação inclui grandes e pequenas produções do mundo todo.

Além de integrar o corpo de curadores em mostras especiais, o CineSesc também recebe festivais importantes do calendário cinematográfico paulistano, como a Mostra Internacional em São Paulo, Festival Mix Brasil e o Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo, entre outros.  O cuidado com a programação tem reconhecimento do público e da crítica, que o elegeu, por diversas vezes, a melhor sala especial de cinema na cidade de São Paulo.


PROGRAMAÇÃO: Cinema #EmCasaComSesc de 18 a 24 de junho

A CARRUAGEM DE OURO == (Dir.: Jean Renoir, França / Itália, 1952, 94 min) == Uma trupe italiana de commedia dell’arte viaja para se apresentar em uma colônia espanhola da América Latina no século XVIII. Junto com a companhia teatral, chega da Europa uma carruagem de ouro encomendada pelo vice-rei. É o início de uma série de eventos inusitados.

EU SOU INGRID BERGMAN == (Dir.: Stig Bjorkman, Suécia, 2015, 114 min) == Um documentário intimista sobre a vida de uma das mais premiadas atrizes da história do cinema, três vezes vencedora e oito vezes indicada ao Oscar, Ingrid Bergman. O filme apresenta um material inédito como entrevistas, cartas, diários e muitas imagens realizadas por Ingrid durante toda a sua vida, revelando aspectos de sua vida familiar e amorosa e suas relações com os filhos e companheiros. Uma homenagem a uma lenda, lançada no ano do centenário de seu nascimento.

PAULINHO DA VIOLA – MEU TEMPO É HOJE == (Dir.: Izabel Jaguaribe, Brasil, 2013, 83 min) == Documentário dirigido por Izabel Jaguaribe com roteiro do jornalista Zuenir Ventura, é um perfil afetivo do cantor, instrumentista e compositor. O filme mostra seus mestres e amigos, suas influências musicais e percorre sua rotina discreta e muito peculiar, em suas atividades e hábitos desconhecidos do grande público. Mas a grande revelação vem das reflexões do músico sobre um único tempo: o tempo. Em vários versos ele canta: “só o tempo ajuda a gente a viver”; “amor, repare o tempo enquanto eu faço um samba triste pra cantar”; “quando eu penso no futuro, não esqueço meu passado”. Há ainda encontros musicais memoráveis com Marina Lima, Elton Medeiros, Zeca Pagodinho, Marisa Monte e a Velha Guarda da Portela.

MIÚDA E O GUARDA-CHUVA == (Dir.: Amadeu Alban, Brasil, 2019, 74 min) == Miúda é uma menina míope e imaginativa, que cuida de sua planta carnívora de estimação, com muito amor e formigas fresquinhas. Às vésperas de completar 7 anos, tudo o que Miúda deseja é que a planta a chame pelo seu nome, mas esta exige cada vez mais formigas. As formigas, cansadas de serem comida de planta, bolam um plano que envolve poesia, guarda-chuvas e uma máquina do tempo. A menina atravessa uma jornada para compreender o mundo à sua volta e aprende que crescer é fazer escolhas.


(*)  Streaming é uma forma de distribuição digital, em oposição à descarga de dados. A difusão de dados, geralmente em uma rede através de pacotes, é frequentemente utilizada para distribuir conteúdo multimídia através da Internet. Nesta forma, as informações não são armazenadas pelo usuário em seu próprio computador. Assim não é ocupado espaço no disco rígido (HD), para a posterior reprodução — a não ser o arquivamento temporário no cache do sistema ou que o usuário ativamente faça a gravação dos dados. O fluxo dos dados é recebido e reproduzido à medida que chega ao usuário, caso a largura de banda seja suficiente para reproduzir os conteúdos, pois se não for suficiente, ocorrerão interrupções na reprodução do arquivo, por problema no buffer.  Isso permite que um usuário reproduza conteúdos protegidos por direitos de autor, na Internet, sem a violação desses direitos


<< Com apoio de informações/fonte: Conteúdo Comunicação/Sesc – Luciano Pereira/Isadora Bertolini >>

IBCC Institucional

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora